• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Pecado!



    Pecado!
    Que palavra breve - mas quem pode penetrar seu profundo abismo com o pensamento?
    Nenhuma mente pode rastrear seu nascimento - nenhum olho pode ver sua morte.
    Antes dos mundos nascerem, ele escalou os céus e arrastou os anjos para baixo.
    No primeiro amanhecer da vida, entrou no Éden e matou a inocência.
    Não termina com o fim dos nossos tempos.
    Ele sempre rola em seu curso cada vez mais profundo sobre a humanidade.

    Pecado...
    É o golpe de morte na terra.
    Estragou a beleza de um belo mundo e o despojou de seu adorável manto.
    Fez com que o solo endurecesse e as folhas murchassem e se deteriorassem.
    Transformou a fertilidade em ervas daninhas e armou o espeto com seus espinhos eriçados.
    Fez as nuvens escurecerem e a tempestade se enfurecer.
    Ergueu o rugido da tempestade e fluir o raio com suas asas bifurcadas.
    Colocou o pé em uma obra perfeita, e deixou um naufrágio caótico!

    Pecado...
    É a ruína do homem.
    Sua mais poderosa ferrugem caiu em nossa vida interior.
    Expulsou a alma da comunhão pacífica com Deus.
    Mudou a criança amorosa em um rebelde endurecido.
    Roubou a mente da luz.
    Tornou a razão um labirinto de caos.

    Fez do coração . . .
    um ninho de pássaros impuros;
    uma fonte de riachos infectados;
    um redemoinho de paixões obscuras;
    uma cama quente de luxúrias ímpias;
    um antro de esquemas desafiadores de Deus!

    Pecado...
    É a doença - a miséria - a vergonha de toda a nossa raça!
    É a primavera de toda lágrima!
    É cada suspiro que sai do peito;
    cada franzido que está na testa;
    cada dor que envolve os membros é embalada em seus braços.

    Pecado...
    É a mãe daquele poderoso monstro - a morte!
    Ele cava cada túmulo em cada cemitério.
    Cada viúva e cada órfão experimenta o gosto de seu fel.
    Enche cada hospital com doentes.
    Enche o campo de batalha com os mortos.
    É o núcleo de todo sofrimento.
    É o verme que rói a raiz da paz.

    Pecado...
    Suas terríveis destruições não morrem no túmulo.
    Há uma região onde reinam os seus tormentos.
    Construiu a prisão do Inferno.
    Acendeu chamas sem graça.
    Forjou as correntes que prendem os pecadores perdidos aos seus leitos ardentes.
    Afiou a picada imortal de uma consciência ofensiva.
    Impele o desespero naquela escuridão exterior, onde. . .
    sempre há choro e pranto,
    e uivos de lamentos,
    e dentes que para sempre rangem,
    e tudo é ai, onde não se conhece descanso nem fim.

    Pecado...
    Ele trabalha essa amarga e eterna angústia, porque a maldição de Deus o acompanha.
    Ele levantou uma mão rebelde contra a Sua vontade.
    Ele se atreveu a violar Sua santa lei.
    Ele se esforçou para colocar sua honra no pó.
    Ele pisou no livro dos estatutos do céu.
    Portanto, a ira de Deus ferozmente queima contra ele.
    Por isso toda miséria segue em seu caminho.
    Ele deve ser pra sempre miserável, pois tem Deus contra ele!

    Pecado...
    Eis a foto em que todos os horrores se encontram!
    Considere-o com um olho sério.
    Nenhuma ficção o pode colorir.
    Nenhum poder pode descrever finalmente sua terrível realidade.
    Nenhuma habilidade do artista pode representar nem uma chama da consequência.
    A verdade terrível excede a descrição.
    Os perdidos se envergonham eternamente ao contemplarem os desertos do pecado!

    Pecado...
    Embora o pecado seja a morte, o pecador não precisa morrer.
    Existe uma fortaleza de fuga.
    Existe um remédio para curar essas feridas.
    Teus pecados são tantos quanto as areias do mar? 
    Todos eles podem desaparecer.
    Ele é negro como a noite sem estrelas?
    Cada um pode ser lavado.
    A sujeira pode ser toda limpa.
    As dívidas podem ser eliminadas.
    A alma pode encontrar o olho do Trino Deus sem uma só mancha.
    Existe um caminho pelo qual o mais vil pode permanecer puro.
    O amor de Deus decretou um plano.
    Ele quis um resgate e Seu Filho o alcançou.

    Pecado...
    Se aproxime da visão incrível!
    Cada pecado deve suportar sua carga de desgraças.
    Cada maldição deve ser suportada.
    Cada violação da lei santa deve beber todo cálice da condenação.

    Pecado...
    Jesus vem para ajudar!
    O inocente assume o lugar culpado.
    O homem-Deus representa o Seu rebanho escolhido.
    Ele permanece como sua completa e perfeita oferta pelo pecado.
    Ele paga em angústia e em sangue toda a dívida.
    Sua ira é suportada.
    Suas penalidades são pagas.
    Seus sofrimentos são sofridos até a última gota na taça.
    Suas agonias são agonizantemente tomadas infinitamente.
    O trabalho de salvação requer infinidade de aflições. Infinita aflição é suportado por Ele.
    Sua Deidade o capacita - Sua humanidade o qualifica.
    Assim, o pecado é totalmente punido - assim, os eleitos são totalmente salvos!