• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    A Bela e a Fera e Davi - Você precisa ser salvo de você mesmo.




    Nenhuma doutrina pode ser vista de maneira mais empírica e prática do que a doutrina da Depravação Total.


    "Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também." - Efésios 2.3


    A história de amor da Bela e a Fera não é apenas um conto de fadas. É um conto verdadeiro que é mais antigo que o próprio tempo. Cedo eu descobri que naturalmente minha identificação era com a Fera e não a Bela. Ele é consumido pela arrogância e egoísmo, exigindo seu próprio caminho e desprezando aqueles que se preocupam com ele. Seu castelo está sob uma maldição, que apenas pode ser quebrada quando alguém realmente o amar apesar do que ele é, e este amor o transforme até o ponto em que ele possa amar de volta. Soa como todos nós sob o peso da maldição comum, não é?



    Em  “Os quatro amores” ( The Four Loves), C. S. Lewis escreve: "Amar é ser vulnerável. Ame qualquer coisa, e seu coração certamente será ferido e possivelmente partido." Quando olho para a situação da Fera no início do filme, vejo um momento de vulnerabilidade quando ele percebe a depravação de seu coração. Eu não o “culpo” por sua reclusão; É uma decisão tomada por que se encaixa - como Adão fugindo. Um dos nossos maiores desejos é ser amado e conhecido… Um dos nossos maiores temores é que o amor nunca seja possível se formos realmente conhecidos. Então, em resposta, nos trancamos em nossas torres. Nos trancamos da graça. Fugimos.



    Quando o narrador do filme questiona: "pois quem poderia aprender a amar uma Fera" -  percebemos que podemos nos fazer a mesma pergunta. Quem poderia amar nossos corações egoístas e feios? Quem se sacrificaria para quebrar a maldição que está sobre nós por nossa culpa?



    Podemos pegar um dos melhores homens que o mundo já viu, e ver a Fera agindo. Se lermos 1 Sm 25.4-35 vemos um pouco dela.

    É impressionante como essa história pode parecer comum e normal.



    “E ouviu Davi no deserto que Nabal tosquiava as suas ovelhas,

    E enviou Davi dez moços, e disse aos moços: Subi ao Carmelo, e, indo a Nabal, perguntai-lhe, em meu nome, como está.

    E assim direis àquele próspero: Paz tenhas, e que a tua casa tenha paz, e tudo o que tens tenha paz!

    Agora, pois, tenho ouvido que tens tosquiadores. Ora, os pastores que tens estiveram conosco; agravo nenhum lhes fizemos, nem coisa alguma lhes faltou todos os dias que estiveram no Carmelo.

    Pergunta-o aos teus moços, e eles to dirão. Estes moços, pois, achem graça em teus olhos, porque viemos em boa ocasião. Dá, pois, a teus servos e a Davi, teu filho, o que achares à mão.

    Chegando, pois, os moços de Davi, e falando a Nabal todas aquelas palavras em nome de Davi, se calaram.

    E Nabal respondeu aos criados de Davi, e disse: Quem é Davi, e quem é o filho de Jessé? Muitos servos há hoje, que fogem ao seu senhor.

    Tomaria eu, pois, o meu pão, e a minha água, e a carne das minhas reses que degolei para os meus tosquiadores, e o daria a homens que eu não sei donde vêm?

    Então os moços de Davi puseram-se a caminho e voltaram, e chegando, lhe anunciaram tudo conforme a todas estas palavras.

    Por isso disse Davi aos seus homens: Cada um cinja a sua espada. E cada um cingiu a sua espada, e cingiu também Davi a sua; e subiram após Davi uns quatrocentos homens, e duzentos ficaram com a bagagem.” - 1 Samuel 25:4-13



    É um retrato fiel da nossa luta, o pecado e a tentação agindo no coração. Tenho medo que não vejamos a nós mesmos e Cristo numa história como essa. Veja essa história como um espelho. Da feiúra da Fera e da Beleza indescritível. Esta é uma história muito comum da vida em um mundo caído.



    Davi está na clandestinidade, no exílio. Ele ainda está tentando escapar da vingança e inveja do rei Saul . E, apesar dele ser o rei ungido de Israel, ele não vive como um rei. Ele vive no deserto, com 600 seguidores , isso é um monte de bocas para alimentar .



    E o costume da época era, quando um líder guerreiro estivesse em uma área, ele iria proteger os agricultores e os pastores nessa área. Os homens de Davi, deram esse tipo de proteção para Nabal e Abigail. Sua presença significa que os pastores estariam a salvo, e seus rebanhos não seriam saqueados.



    E o costume era que, em troca desse serviço de proteção, quando a época da colheita chegasse, ou quando o tempo do corte e abate chegasse, que ao exército protetor seria dado o necessário. Aí é onde pegamos a história no versículo 5-8.



    “David ouviu no deserto que Nabal estava tosquiando as suas ovelhas. Então Davi enviou dez jovens . E David disse aos jovens

    E enviou Davi dez moços, e disse aos moços: Subi ao Carmelo, e, indo a Nabal, perguntai-lhe, em meu nome, como está.

    E assim direis àquele próspero: Paz tenhas, e que a tua casa tenha paz, e tudo o que tens tenha paz!

    Agora, pois, tenho ouvido que tens tosquiadores. Ora, os pastores que tens estiveram conosco; agravo nenhum lhes fizemos, nem coisa alguma lhes faltou todos os dias que estiveram no Carmelo.

    Pergunta-o aos teus moços, e eles to dirão. Estes moços, pois, achem graça em teus olhos, porque viemos em boa ocasião. Dá, pois, a teus servos e a Davi, teu filho, o que achares à mão.”



    É um pedido humilde , respeitoso. Não é fora da lógica ou irracional. Este não é um homem trazendo tropas para baixo e fazer uma ameaça e fazer um pedido. David tinha o poder de fazer isso - ele não fez isso. Seus seguidores não tinha roubado ovelhas e levado as coisas para fora do campo .



    Este foi um pedido adequado feito de forma adequada, você esperaria uma resposta adequada, mas este é um mundo caído de feras.



    O homem que recebeu o pedido era um tolo, seu nome, Nabal significa "louco". E ele responde a esta solicitação razoável com insulto e acusação.



    Pense em como você teria respondido.



    Eu te incentivo agora a  não ser hipócrita na maneira que você pensa sobre David neste momento, seja humilde.



    Qual teria sido a sua reação,

    tendo dado toda essa proteção,

    tendo feito um pedido respeitoso e habitual,

    e ser golpeado com vários insultos?

    O que você sentiria?

    O que você teria dito?

    O que você teria feito?



    Ouça as palavras de Nabal , versículo 10 : "E Nabal respondeu aos servos de Davi :" Quem é Davi? Quem é o filho de Jessé?” Nabal sabia.  Este não é um pedido de informações. Isto é um insulto.



    Ele está dizendo: "Quem  Davi pensa que é? " E , observe o que ele diz a seguir : "Há muitos servos nestes dias que estão fugindo de seus senhores. "



    Este é um escravo que escapou de seu mestre e não tem como prover para si mesmo e seu bando. Nós e Nabal sabemos, que este é um bom e leal homem, Fiel ao rei que o está caçando para matá-lo. Que foi forçado a fugir para salvar sua vida.



    “Respondeu Nabal aos moços de Davi, e disse: Quem é Davi, e quem o filho de Jessé? Muitos são hoje em dia os servos que fogem ao seu senhor. Tomaria eu, pois, o MEU pão, e a MINHA água, e a carne das MINHAS reses que degolei para os MEUS tosquiadores, e o daria a homens que eu não sei donde vêm? - 1 Samuel 25.10-11



    Que homem amável, não é? Note quantas vezes ele diz: "meu" e "minha". Adivinhe onde estão os seus olhos: "Eu... meu... minha".

    Foi neste ponto que o problema começou.

    Agarre-se à sua poltrona agora.

    Este é Davi, o nosso herói.



    O mesmo indivíduo que meses antes se recusara a revidar ou a contra-atacar, mesmo quando Saul tentava matá-lo. Este é Davi, modelo magistral da paciência...



    É possível que os homens de Davi tenham dado a resposta de Nabal na hora errada ou do jeito errado.  Vamos enfrentar a verdade, os homens famintos ficam irritados facilmente. É provável que Davi esteja no campo. Ele acendeu o fogo e pode até sentir o cheiro da comida, das cebolas, das pimentas verdes e da carne assada de carneiro em sua mente. Mas seus homens voltam de mãos vazias.



    Te pergunto, como você enfrenta as duras realidades da vida em um mundo caído , como você enfrentar esse chefe que te acusa de algo que você não fez,

    como você encara isso professor que parece ter a intenção de tornar a sua vida mais difícil,

    esse companheiro de trabalho que parece tão acusatório e tão egoísta, tão difícil de viver,

    um marido ou esposa que não parece se importar com você tanto quanto você esperaria de um cônjuge que deveria cuidar de você,

    um membro da família que fofoca sobre você pelas costas.



    O que acontece dentro de você?

    Como você responde ?

    O que você acha?

    O que você deseja fazer?



    Quando você de repente se depara com o insulto inesperado, julgamento inesperado, acusação inesperada, o que você faz ?



    Agora entenda isso, você mora na comunidade humana , e você vive em relação a outras pessoas, e você - você está me ouvindo? Será alvo o tempo todo de coisas assim.



    A história de Davi é a sua história.



    As pessoas nem sempre vão tratá-lo com amor.

    Eles nem sempre vão tratá-lo com respeito.

    Nem sempre estarão felizes em atender às suas necessidades.



    E devo dizer que isto, em tudo isso, você é vítima e agressor, porque você não está sempre amando os outros, você não está sempre considerando outras necessidades na frente da tua.



    Às vezes, a sua paz, conforto, felicidade, alegria, prazer e satisfação são muito mais importantes pra você do que as pessoas ao seu redor . Esta é a vida no mundo real.



    Eu amo a honestidade das Escrituras nos colocando cientes de quem somos e do mundo em que vivemos. Na semana passada, como você respondeu a tudo isso? No mês passado, como você responde a tudo isso?



    Bem, nós vemos a resposta de Davi. A rapidez é chocante, olhe para os versículos 12 e 13 : É neste ponto que a ira explode em loucura temporária!



    “Então os moços de Davi puseram-se a caminho, voltaram, e tendo chegado, lhe contaram tudo segundo todas estas palavras. Pelo que disse Davi aos seus homens: Cada um cinja a sua espada. E cada um cingiu a sua espada, e também Davi a sua: subiram após Davi uns quatrocentos homens, e duzentos ficaram com a bagagem. - 1 Samuel 25.12-13



    Quatrocentos homens! Quatrocentos homens! Quatrocentos homens!

    Isso irá provavelmente cuidar de Nabal, você não acha?

    Quando você faz algo exagerado em sua casa, há um ditado que diz: "Você está fazendo uma tempestade num copo d’água - ou matando a barata com um canhão”

    Você mata a barata... mas também derruba a parede. Ninguém pega uma espada e  manda 400 homens pegarem as suas só para discutir e dialogar.

    Podemos ter então uma boa idéia dos pensamentos de Davi. Estamos falando de matança!

    Não há necessidade de levar quatrocentos homens para acabar com um pão-duro. Davi perdeu o controle. Em um antigo livro sobre Davi eu li sobre este incidente:



    “Davi! Davi! O que aconteceu com você? Uma das coisas mais maravilhosas que aprendemos sobre você recentemente foi a sua paciência com Saul.

    Você aprendeu a esperar no Senhor, recusou-se a levantar a mão para tocar o ungido do Senhor, embora ele tivesse sido seu inimigo por tantos anos.

    Mas agora, olhe só para você, Davi! Seu domínio-próprio ficou em pedaços e algumas palavras insultuosas de um homem como Nabal o deixaram vermelho de raiva! Davi, o que houve?”



    Davi responderia. — Não há motivo para Nabal tratar-me desse jeito. Ele pagou toda a minha bondade com insultos; vou mostrar-lhe que ele não pode brincar comigo. Uma coisa é aceitar a atitude de Saul, que é meu superior; mas, deste tipo de homem? Este indivíduo arrogante precisa dar uma lição!



    Uau!  O súbita tentação, a suscetibilidade à tentação que você vê em Davi está registrada nas Escrituras como um aviso para todos nós.



    Escuta, você é mais parecido com este homem do que seu coração vai dizer que é. E enquanto o pecado mora dentro de nós, somos suscetíveis à tentação que vem de fora. A tentação tem um “amigo” dentro. Somos facilmente ludibriados . Esta não foi uma declaração de guerra, o que era um insulto egoísta e uma relutância em fornecer, foi respondida por Davi imediatamente com vingança assassina, e ele está a caminho de fazer algo que teria sido horrível.



    Não se sente aí lendo, e  pense que você não pode se relacionar com essa história completamente . Você já desejou quantas vezes o mal para outra pessoa?  Vê-los ferido, ou de alguma forma, você amaldiçoou em seu coração -  todos nós somos Davi.



    E isso vem tão de repente. Você pode estar indo muito bem, e a rapidez é chocante como as mudanças de temperatura emocionais estão governado agora -  não guiados por Deus, mas governado por paixões e por desejos.



    Talvez isso apareça como uma explosão de fofocas, ou um ato de baixo de vingança sutil, ou uma palavra de insulto, ou a recusa em ajudar. Escuta, esse problema não é primeiro um problema de comportamento; esse problema é primeiro um problema de coração. Ele revela quão profunda é nossa necessidade contínua da soberana  graça de Deus.



    Como o mal e inconstante nossos corações são. E ouça esta verdade: a tentação é tudo sobre o esquecimento, é sobre esquecendo de quem Deus é. Você não precisa se ​​vingar, o seu Deus vai cuidar disso. Você não precisa entrar em pânico diante da falta de provisão, o seu Deus é um provedor de final. Você não precisa se ​​preocupar com a sua reputação, você tem aceitação junto do Rei dos Reis e Senhor dos Senhores...



    Não é apenas sobre o esquecimento de quem Deus é, é sobre esquecer que você é você ( Se você está realmente em Cristo e é um homem regenerado) . Você é Seu filho pacto. Você é o objeto de seu amor. Você é um pecador que precisa de Sua graça. Como rapidamente nos esquecemos de quem Deus é e quem somos. Este é Davi como numa crise de amnésia. Ele esqueceu o seu Deus, ele esqueceu a sua identidade , ele esqueceu o seu chamado, e ele está em uma missão de assassinato.



    Beauty and the beast - A Bela e a Fera -  esta é uma Fera se manifestando  no homem, neste momento, é como um leão faminto, que não pode ser interrompido até que ele faça a matança. E este é o rei ungido de Israel. Como é chocante.

    Mas Deus é um Deus de graça notável . Veja o versículo 14 e esta virada dramática na história.



    Há uma enormidade quantidade de tolos no mundo. Na verdade este é um mundo de tolos. E somos freqüentemente provocados por eles e agimos com outros da mesma forma. Mas não demora muito para que, ao tentarmos corrigir os tolos, acabemos caindo na mesma tolice que estávamos determinados a rejeitar e reprovar. Davi, depois, iria orar à sua maneira por causa da influência de Nabal, cujo nome, aliás, significa “tolo” (nabal). No Salmo 14, Davi dá a sua palavra definitiva sobre os tolos:



    “Diz o tolo em seu coração: “Não há Deus’’ (Ou agimos como se Deus não existisse - ateísmo prático). Corromperam-se e cometeram atos detestáveis; não há ninguém que faça o bem.



    O Senhor olha dos céus para os filhos dos homens, para ver se há alguém que tenha entendimento, alguém que busque a Deus.



    Todos se desviaram, igualmente se corromperam; não há ninguém que faça o bem, não há nem um sequer.



    Será que nenhum dos malfeitores aprende? Eles devoram o meu povo como quem come pão, e não clamam pelo Senhor!



    Olhem! Estão tomados de pavor! Pois Deus está presente no meio dos justos.



    Vocês, malfeitores, frustram os planos dos pobres, mas o refúgio deles é o Senhor.



    Ah, se de Sião viesse a salvação para Israel! Quando o Senhor restaurar o seu povo, Jacó exultará! Israel se regozijará!”



    Estar contra Nabal não é espiritualidade. Não há espiritualidade em se opor a um tolo de forma tola. Não é necessário muito tempo para percebermos que Nabal, esse orgulhoso, arrogante e vulgar calebita, é um tolo, e então continuarmos acompanhando o que Deus está fazendo. Foi o que Davi fez ao nos deixar o Salmo 14 como testemunho.



    Quando uma Abigail ou outra pessoa ou coisa aparece — uma beleza repentina surge ( apontando para a Beleza de Alguém ), numa canção ou num rosto, numa planta ou numa flor —, nós nos vemos numa luz maior e mais verdadeira. Davi estava vivendo no imenso e vasto mundo de Deus — amor e redenção de Deus, oração e santidade — e quase o deixa, para se entregar a uma vingança mesquinha e insignificante. A beleza de Abigail — sua beleza dupla, de caráter e semblante — recobrou para ele a beleza do Senhor. Abigail de joelhos fez Davi de novo ajoelhar-se.



    Um dos servos disse a Abigail, mulher de Nabal: "Do deserto, Davi enviou mensageiros para saudar o nosso senhor, mas ele os insultou.

    No entanto, aqueles homens foram muito bons para conosco. Não nos maltrataram, e, durante todo o tempo em que estivemos com eles nos campos, nada perdemos.

    Dia e noite eles eram como um muro ao nosso redor, durante todo o tempo em que estivemos com eles cuidando de nossas ovelhas.

    Agora, leve isso em consideração e veja o que a senhora pode fazer, pois a destruição paira sobre o nosso senhor e sobre toda a sua família. Ele é um homem tão mau que ninguém consegue conversar com ele". - 1 Samuel 25:14-17



    Servos efetuam essa comunicação; Abigail reúne provisões, você pode vê-las ali, versículo 18 e seguintes, bem um conjunto de provisões, e ela cavalga ao encontro de Davi, a Bela.

    Observe o coração escurecido de Davi, você pode ver como ele está no verso 21:  Davi tinha dito: "De nada adiantou proteger os bens daquele homem no deserto, para que nada se perdesse. Ele me pagou o bem com o mal.  Que Deus castigue a Davi, e o faça com muita severidade, caso até de manhã EU DEIXE VIVO um só do sexo masculino de todos os que pertencem a Nabal! "



    Isso é um homem irritado!



    E Abigail fala para Davi com tanta sabedoria notável. Aqui vemos como  nossa caminhada com Deus é um projeto da comunidade. E como muitos tem tentado negar isso hoje.



    Você precisa da instrumentalidade de outras pessoas em sua vida.

    Você precisa de sua sabedoria quando você não tem nenhuma.

    Você precisa de sua coragem quando você não tem nenhuma.

    Você precisa de seu aviso quando você não é capaz de alertar a si mesmo.

    Você precisa de sua força quando você está fraco .



    E Deus levanta uma mulher de verdadeira beleza, beleza que não é apenas física, mas a beleza de caráter, e ela fala com Davi com tal sabedoria notável. É incrível a beleza aqui.

    Observe o versículo 28 , as três coisas que Abigail que faz.



    Ela faz três coisas:

    Ela pede perdão.

    Ela abençoa Davi e lembra da bênção do Senhor, que foi prometida a ele.

    Ela faz uma terceira coisa , ela apela para a consciência de Davi.



    “Você não quer que esse sangue em suas mãos. Você não quer ir para o trono com essa culpa em suas mãos" Diz Abigail.

    Eu não consigo pensar em uma resposta mais sábia do que esta:

    Perdão,

    encorajamento,

    à consciência .



    “Esqueça, eu te suplico, a ofensa de tua serva, pois o Senhor certamente fará um reino duradouro para ti, que travas os combates do Senhor. E em toda a tua vida, nenhuma culpa se ache em ti.

    Mesmo que alguém te persiga para tirar-te a vida, a vida de meu senhor estará firmemente segura como a dos que são protegidos pelo Senhor teu Deus. Mas a vida de teus inimigos será atirada para longe como por uma atiradeira.

    Quando o Senhor tiver feito a meu senhor todo o bem que prometeu e te tiver nomeado líder sobre Israel,

    meu senhor não terá no coração o peso de ter derramado sangue desnecessariamente nem de ter feito justiça com as próprias mãos. E, quando o Senhor tiver abençoado a ti, lembra-te de tua serva". - 1 Samuel 25:28-31



    Lembre-se de quem você é.

    Lembre-se da unção de Deus e

    da Sua misericórdia.

    Não perca tempo em batalhas vãs; sua missão é lutar as batalhas do Senhor”

    Abigail lhe diz a realidade que está por vir: “a vida de meu senhor estará firmemente segura como a dos que são protegidos pelo Senhor, o teu Deus. Mas a vida dos teus inimigos será atirada para longe como por uma atiradeira” (1 Sm 25.29).



    Abigail estava dando o testemunho da obra de Deus na vida de Davi:

    o chamado de Deus,

    as promessas de Deus,

    o pacto de Deus,

    a Palavra de Deus.

    A vida de Davi estava tão entrelaçada com a obra e a revelação de Deus que não havia como ele pudesse se separar dessa verdade e ainda continuar sendo ele mesmo.



    Não havia como agir como agiu até ali se Deus não estivesse  agindo nele “de acordo com o seu bom propósito” (Ef 1.9).



    Sua vida havia sido formada e condicionada pelas ternas e doces misericórdias de Deus, e não pelos tolos desvarios como Nabal.

    Abigail testemunhou a obra de Deus em favor de Davi:

    protegendo, guiando, liderando, intervindo.



    Sua afirmação de que “a vida dos teus inimigos será atirada para longe como por uma atiradeira” tocou, sem dúvida, a memória de Davi, fazendo-o retornar àquele dia algum tempos atrás, quando, em espírito de oração, no vale de Elá, derrubara Golias com uma simples pedra que lançara de sua funda.



    O que Abigail estava na verdade dizendo era:



    “Sua missão, Davi, não é a de exercer vingança; a vingança pertence a Deus, e você não é Deus. Você está aqui no deserto para compreender o que Deus está fazendo e quem você é diante de Deus. O deserto não é um lugar no qual você deva testar a si mesmo para saber quão forte e resistente e. Mas onde você deverá descobrir a força e os caminhos fiéis de Deus operando em sua vida e mediante a sua vida. Nabal é um tolo; não se torne um tolo igual a ele. Chega de tolice nesta história. Basta a tolice de Nabal”



    Nabal não era um Golias, mas a maneira como Davi preferiu responder a ele viria a ser igualmente significativa para o desenvolvimento do povo de Deus.



    De maneira marcante — quase inacreditável — Davi para, olha e ouve Abigail, no meio do nada, de joelhos diante dele, falar, trazendo Deus de volta à sua vida por meio de oração e poesia. E Davi permite que ela fale.



    O clímax de resolução da história dá uma parada e é então revertido por Abigail, a marginalizada Abigail.



    Ela é marginalizada porque se encontra num mundo dominado por homens.

    Ela é marginalizada porque anda desarmada num mundo controlado pela espada.

    Acima de tudo, Abigail é marginalizada porque é bela, num mundo materialista e utilitarista.

    A beleza de Abigail é tanto interna quanto externa. Sua aparência agradável é equilibrada no texto pela expressão “bom senso” (25.33).

    Abigail é tão bonita interiormente quanto exteriormente. Sua beleza é um testemunho da vida criada por Deus, sustentada por Deus, abençoada por Deus, presente em toda parte, mas comumente obscurecida pela obstinação, tolice  e pela blasfêmia humana.



    A beleza de Abigail surpreende Davi pela súbita penetração que faz em sua própria torpeza, e ele volta a ver e ouvir Deus de novo.



    A beleza de Abigail volta a colocar Davi em contato com a beleza de Deus.



    Ela compreende quem ele é, o que faz, o propósito de sua vida. Nos seus encontros com Saul, Davi tinha visto a beleza da santidade naquela vida manchada pelo ódio e destruída pelo mal: Saul, o ungido de Deus — apesar de corrompido — era uma pessoa em quem ainda se podia ver Deus e honrá-lo.



    Esse reconhecimento da beleza da santidade em Saul aconteceu duas vezes, na caverna em En-Gedi (1 Sm 24) e nas montanhas de Haquilá (26), mas se emoldura na revelação de Abigail (25). Nessa revelação, Davi vê a si mesmo através da beleza de Abigail — um Davi obcecado pela vingança, defendendo a sua honra, sedento de sangue, em contraste com Davi, o ungido de Deus, uma pessoa em quem Deus estava presente e em quem devia ser honrado. No revelador espelho da beleza de Abigail, Davi vê a si mesmo como Deus o vê. Abigail recobra a Davi a identidade que Deus havia lhe dado por Graça soberana.



    Agora, o que isso lhe diz ? Diz que David não estava, de qualquer forma, sozinho neste momento. O Rei dos Reis, que havia nomeado Davi, o futuro rei, foi soberano sobre todas as peças desta experiência.



    Ele foi moldando este rei para o seu futuro reinado. Este foi um ensaio da graça. E porque era uma prova da graça, Deus não iria virar as costas para este homem neste momento. E Deus levanta esta mulher piedosa para que Davi visse  a sua desesperada necessidade, e seu coração recobrou a sanidade que a Fera não tem.

    Oramos pela graça de ser relembrado.

    Oramos pela graça da libertação.



    Quantas vezes nós precisamos da graça desconfortável do julgamento que expõe nossa necessidade e que nos leva além de nós mesmos, que nos traz e põe, mais uma vez, de joelhos, buscando a ajuda de Deus?



    Pense nisso, Davi era um homem em profunda necessidade de resgate. Mas Davi não precisa primeiro ser resgatado a partir de Nabal; Davi precisava ser resgatado de Davi, pois, é sempre apenas o mal dentro de nós que nos conecta com o mal fora de nós. Nós não podemos ser ambientalistas espirituais. Sim, vivemos em um mundo caído, sim, vivemos perto de pessoas imperfeitas, sim… mas a nosso maior, mais profundo, e permanente problema existe dentro de nós, e não fora de nós. E assim foi com o Davi.



    Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida. - Provérbios 4:23



    O coração do homem natural é o sua pior parte antes de ser regenerado , e deve ser melhor depois quando cativo a Verdade.

    É a sede de princípios, é a fonte das ações.

    O olho de Deus está fixo sobre ele, e

    os olhos do cristão deve estar, principalmente, fixos sobre ele.

    Aqui reside a própria força e stress da vida espiritual;

    Aqui é o que faz com que a forma de vida seja um caminho estreito, e a porta do céu uma porta estreita.



    “Bem-aventurados os puros de coração, porque eles verão a Deus”

    Jesus preocupado com o nosso coração - ( Um novo coração é a dádiva da Nova Aliança )

    A primeira coisa que podemos aprender com esta bem-aventurança é que Jesus está preocupado com o nosso coração. Não é o suficiente para limpar o nosso ato externo simplesmente.



    Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! para você, limpais o exterior do copo e do prato, mas por dentro estão cheios de rapina e ganância. Você cego fariseu! Em primeiro lugar limpar o interior do copo e do prato, que o exterior também pode ser limpo. ( Mateus 23:25-26 )



    O objetivo de Jesus Cristo não é reformar os costumes da sociedade, mas mudar os corações dos pecadores como você e eu. Assim, por exemplo, Jesus não estaria satisfeito com uma sociedade em que não houvesse atos de adultério.



    Ouvistes que foi dito: "Não cometerás adultério". Mas digo-vos que todo aquele que olhar para uma mulher com intenção impura, já cometeu adultério com ela em seu coração. ( Mateus 5:27-28 )



    O coração é o que você é, no segredo do seu pensamento e do sentimento, quando ninguém sabe, mas Deus. "O homem vê o exterior, porém o Senhor olha para o coração" ( 1 Samuel 16:07 ). Do coração flui todas as questões da vida.



    O que sai da boca procede do coração. . . Porque do coração procedem os maus pensamentos, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e difamações. Estes são o que contamina o homem. ( Mateus 15:18-19 )



    Assim, o coração é absolutamente crucial para Jesus. O que nós somos nos recessos profundos, privados de nossas vidas é o que ele se preocupa. Jesus não veio ao mundo simplesmente porque temos alguns maus hábitos que precisam ser quebrados. Ele veio ao mundo porque temos esses corações sujos que precisam ser purificados. Corações maus e precisamos de um novo e depois continuamente serem mantidos por Deus.



    Observe o giro incrível do coração de Davi no versículo 32:



    E Davi disse a Abigail: " Bendito seja o SENHOR , Deus de Israel , que hoje te enviou ao meu encontro ! ' (David entende que Abigail é uma missão de resgate de Deus.) "

    Davi disse a Abigail: "Bendito seja o Senhor, o Deus de Israel, que hoje a enviou ao meu encontro.

    Seja você abençoada pelo seu bom senso e por evitar que eu hoje derrame sangue e me vingue com minhas próprias mãos.

    De outro modo, juro pelo nome do Senhor, o Deus de Israel, que evitou que eu lhe fizesse mal, se você não tivesse vindo depressa encontrar-me, nem um só do sexo masculino pertencente a Nabal teria sido deixado vivo ao romper do dia".

    Então Davi aceitou o que ela havia lhe trazido e disse: "Vá para sua casa em paz. Ouvi o que você disse e atenderei o seu pedido". 1 Samuel 25:32-35



    É uma graça de Deus, que por Sua graça, eleve-se instrumentos da graça que têm o poder para ser usado pelo Espírito da graça para transformar radicalmente os nossos corações . Deus envia o Sua serva para salvar Davi de Davi.



    Hoje,  onde, aqui e agora, você está na necessidade de um resgate, redenção? Onde está a tentação poderosamente em você agora? Onde você está tentado a esquecer quem é Deus e quem é você? Agindo de novo como a Fera que você nasceu neste mundo, mas que já foi liberta da maldição?



    Você não pode ler esta passagem sem ouvir as cepas conhecidas do Evangelho. Deus enviou o Seu Filho, o Senhor Jesus, na última missão de resgate, ( A “Bela” - a verdadeira beleza ) porque a nossa mais profunda, maior problema não poderia ser resolvido por nós. Nós não temos a capacidade de escapar da única coisa que nos aprisiona poderosa e profundamente - o nosso próprio pecado. A Maldição.



    O que teria acontecido à Fera se a Bela não tivesse aparecido?



    Você conhece a história.  Eu acho que é por isso que, no fundo do nosso coração “infantil”, nos apegamos à histórias como a Bela e a Fera. Nela nos vemos uma história que é maior do que nós mesmos. Nós testemunhamos a salvação transformadora de Cristo na última cena, quando as características da Fera se transformam e se moldam para revelar uma nova identidade. É um lembrete de que nossa maldição será destruída para revelar a beleza de Cristo. A música de amor inesquecível do filme traz à mente a fidelidade de Deus a si mesmo, que é "certa como o sol, que se eleva no Oriente". Tudo isso ressoa com 2 Coríntios 5:17 : "Portanto, se alguém está em Cristo, uma nova criação se fez: O antigo se foi, o novo está aqui! "



    A Bela ( para quem Abigail aponta nesta história) é real para nós porque representa alguém que transformou a Fera dentro de nós. Ela nos lembra do nosso Salvador, que fez esta promessa em Ezequiel 36:26 : "Eu lhe darei um coração novo e colocarei um espírito novo em você; Vou remover de você o seu coração de pedra e dar-lhe um coração de carne ".



    Pense na Fera - Houve um tempo em que seu rosto era bonito e seu palácio agradável.

    Mas isto foi antes da maldição, antes das trevas caírem sobre o castelo. E, quando a escuridão tomou conta, ele sucumbiu. Recluso em seu castelo, rebelde, com um focinho reluzente e grandes caninos.

    Porém tudo mudou quando a mocinha chegou. Fico pensando, o que teria acontecido a Fera caso a Bela não tivesse aparecido?

    Melhor ainda, o que teria acontecido caso ela não tivesse se importado?

    Quem a teria culpado?  ( Só Graça Soberana poderia fazê-lo )

    Ele era tão... digamos, animalesco! Pêlos longos. Babão. Frustrado. E ela era tão bela. Estonteante. Uma bondade contagiante.

    Se duas pessoas se encaixassem exatamente nesta descrição, não seriam elas exatamente a Bela e a Fera? Quem a teria culpado caso ela não tivesse se importado? Mas ela se importou.

    E, porque a Bela amou a Fera, a Fera tornou-se linda.

    A história é familiar, não apenas por tratar-se de um conto de fadas. É familiar porque nos faz lembrar de nós mesmos o tempo todo.

    Mas não foi sempre assim. O homem não foi criado Fera.

    Houve um tempo em que a face da humanidade era bela e o palácio agradável.

    Mas isto foi antes da maldição, antes das trevas caírem sobre o jardim de Adão.

    E, desde a maldição, temos sido diferentes. Animalescos. Feios. Rebeldes. Ferozes. Fazemos coisas que sabemos que não deveríamos ter feito e ficamos pensando por que as fizemos. Mas não somos só prisioneiros da escuridão… somos Fera… amamos a escuridão… somos Fera… nossa mente é inimizade contra Deus… Somos Fera...



    Como li num grande texto:



    "É raro encontrar uma página nas Escrituras em que um animal não mostre seus dentes.  Caim mata Abel… O rei Saul perseguiu o jovem Davi com sua lança.  Davi como vimos nesta história… Amnom, filho de Davi,  violenta sua irmã, e a abandona, absalão ( outro filho de Davi) o mata...

    Siquém violentou Diná. Os irmãos de Diná (os filhos de Jacó) mataram Siquém e seus amigos.

    Ló negociou com Sodoma para enriquecer, depois quando quis sair de lá viu como Sodoma estava no coração de toda a sua família. Herodes matou os primogênitos em Belém. Outro Herodes assassinou o primo de Jesus.

    Se a Bíblia é chamada de Bom Livro, não é pelos seus personagens. Feras… Feras… Feras...

    O sangue corre livremente através das histórias como a tinta através das penas que as escreveram. Mas o lado mau da fera nunca esteve tão aflorado como no dia da morte de Cristo.



    A princípio, os discípulos ficaram anestesiados, depois rapidamente fugiram.

    Herodes queria um show.

    Pilatos queria livrar-se do problema.

    E os soldados? Eles queriam sangue.

    Então açoitaram a Jesus.

    O chicote legendário consistia em tiras de couro com bolas de ferro em suas pontas. Seu objetivo era singular.

    Bater no acusado progressivamente até quase matá-lo, então parar.

    Trinta e nove chicotadas eram permitidas mas raramente necessárias. Um centurião monitorava o estado do prisioneiro. Sem dúvida Jesus estava próximo à morte quando suas mãos foram desamarradas e Ele caiu ao chão.

    Chicotear foi a primeira ação dos soldados.

    A crucificação foi a terceira. Podemos dizer que os soldados eram obrigados a fazer isso - cumprir ordens…

    Mas difícil é compreender o que fizeram neste ínterim. Eis aqui a descrição de Mateus:

    Então, soltou-lhes Barrabás e, tendo mandado açoitar a Jesus, entregou-o para ser crucificado.

    E logo os soldados do governador, conduzindo Jesus à audiência, reuniram junto dele toda a coorte.

    E, despindo-o, o cobriram com uma capa de escarlate. E, tecendo uma coroa de espinhos, puseram-na em sua cabeça e, em sua mão direita, uma cana; e, ajoelhando diante dele, o escarneciam, dizendo: Salve, Rei dos judeus!

    E, cuspindo nele, tiraram-lhe a cana e batiam-lhe com ela na cabeça.

    E, depois de o haverem escarnecido, tiraram-lhe a capa, vestiram-lhe as suas vestes e o levaram para ser crucificado. (Mt 27.26-31)

    A obrigação dos soldados era simples:

    Levar o Nazareno até o monte e matá-lo.

    Mas eles tinham outra idéia.

    Queriam se divertir primeiro.

    Fortes, descansados e armados, os soldados cercaram um carpinteiro galileu exausto e quase morto, e o atacaram.

    O açoite fora ordenado. A crucificação ordenada. Mas quem teria prazer em cuspir em um homem quase morto?

    O ato de cuspir não tem a finalidade de machucar o corpo — de forma alguma.

    O ato de cuspir é a intenção de degradação da alma, e muito eficiente. O que os soldados estavam fazendo?

    Não estariam eles elevando-se a si próprios à custa de outra pessoa? Eles sentiram-se grandes ao humilhar Jesus.



    Você já fez isto?

    Talvez nunca tenha cuspido em alguém, mas já fofocou? Caluniou? Você já levantou as mãos enfurecidas como Davi na história que vimos, ou levantou os olhos com arrogância? Já fez alguém se sentir mal para você se sentir bem? Foi isto que os soldados fizeram a Jesus. Quando você e eu fazemos o mesmo, estamos emulando a Fera.

    Os homens não fazem coisas más, eles são maus!

    A Bíblia possui uma resposta com seis letras para esta questão: P-E-C-A-D-O. Existe algo ruim — animalesco — dentro de cada um de nós - que é parte do homem - está na sua essência. “Éramos por natureza filhos da ira” (Ef 2.3).



    Em termos teológicos, somos “totalmente depravados”. Embora feitos à imagem e semelhança de Deus, caímos. Somos corruptos ao máximo. O âmago de nosso ser é egoísta e perverso. Disse Davi: “Eis que em iniqüidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe” (Sl 51.5).

    Poderia alguém dentre nós dizer menos do que isto? Cada um de nós nasceu escravo do pecado e inimigo de Deus. A depravação é condição universal. As Escrituras afirmam isto claramente:

    Todos nós andamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho... (Is 53.6)

    Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá? (Jr 17.9)

    Não há um justo, nem um sequer... Porque todos pecaram e destituídos estão destituídos da glória de Deus (Rm 3.10,23)

    Há quem possa discordar com tais palavras fortes. Eles olham ao redor e dizem; “Comparado aos outros, sou uma pessoa decente”.

    Note que um porco pode dizer algo similar.

    Ele pode comparar-se com seus companheiros e dizer; “Estou tão limpo quanto todos os outros”. No entanto, quando comparado aos humanos, o porco precisa de ajuda “soberana”. Comparados a Deus, nós, humanos, temos a mesma necessidade. O padrão de santidade não pode ser encontrado entre os porcos cochos da terra, mas no trono celestial. O próprio Deus é o padrão.

    Somos as feras. O ensaísta francês Michel de Montaigne disse; “Não há homem tão bom que, ao submeter todos os seus pensamentos e atitudes às leis, não mereça ser enforcado dez vezes em sua vida.”



    Nossas atitudes são feias.

    Nossas ações escabrosas.

    E isso flui do coração



    Mudar a nós mesmos? Não! Mas “Pode o etíope mudar sua pele ou o leopardo as suas manchas? Nesse caso também vós podereis fazer o bem, sendo ensinados a fazer o mal” (Jr 13-23).

    O apóstolo concordou com o profeta: “Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus - realmente não” (Rm 8.7; ênfase minha).

    Acha a avaliação muito dura? Em caso afirmativo, aceite este desafio. Durante as próximas vinte e quatro horas, viva uma vida sem pecado. Não estou pedindo uma década ou ano perfeito, nem mesmo um mês. Apenas um dia perfeito. Você consegue? Você consegue viver sem pecar durante um dia?

    Não? E uma hora? Você poderia prometer que nos próximos sessenta minutos terá apenas pensamentos e atitudes santas?



    Então temos um problema: Somos pecadores, e “o salário do pecado é a morte” (Rm 6.23).

    Temos um problema: Não somos santos, e a Bíblia nos adverte a “Seguitr a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” (Hb 12.14).

    Temos um problema: Somos maus e “a obra do justo conduz à vida, as produções do ímpio, ao pecado” (Pv 10.16).

    O que podemos fazer?

    Permita que o cuspe dos soldados simbolizem a sujeira em seus corações. Então observe o que Jesus faz com esta sujeira. Ele a carregou até a cruz.



    Através do profeta Ele disse, “não escondo a face dos que me afrontam e me cospem” (Is 50.6).

    Misturado a seu sangue e suor estava a essência de nosso pecado.



    Deus poderia ter julgado de outra forma. No plano de Deus, se foi oferecido vinagre para sua garganta, porque não uma toalha para o seu rosto?

    Simão carregou a cruz para Jesus, mas não limpou o seu suor. Os anjos estavam presentes. Eles não poderiam ter desviado o cuspe?

    Sim, mas Jesus nunca ordenou que eles o fizessem. Por algum motivo, aquEle que escolheu os cravos escolheu também a saliva. Junto com a lança e a esponja, Ele suportou a cuspidela do homem. Por quê? Seria por ter Ele visto o lado bonito da fera?



    Mas a correlação com A Bela e a Fera termina.



    Na fábula, a bela beija a fera.

    Na bíblia, a Bela faz muito mais. Ela se torna fera para que a fera possa transforma-se em bela. Jesus muda de lugar conosco. Nós, assim como Adão, estávamos sob a maldição, mas “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós” (G1 3.13).

    E se a Bela não tivesse vindo?

    E se ela não tivesse se importado?

    Então teríamos continuado como feras.

    Mas a Bela veio, e ela se importou.

    AquEle que é sem pecado tomou forma de pecador para que nós, pecadores, pudéssemos nos tornar santos.”



    E assim, Deus fez uma coisa radical, Ele enviou Seu único Filho ( Para quem a Beleza de Abigail aponta na história que vimos ) para assumir a carne humana, a sofrer os estragos da vida em um mundo caído, a viver uma vida perfeita, para assumir o pecado dos eleitos na Sua morte, a ressuscitar dos mortos, vencendo o pecado e a morte, para que, no nosso ponto de necessidade, houvesse resgate disponíveis para nós. Ouça, que o resgate não é apenas o seu perdão passado, que o resgate não é apenas a sua eternidade futura; que o resgate é para o aqui e agora. Há graça para o que você enfrentar.



    Agora a questão é, você está entre os alcançados pela Graça Soberana, ou você prefere seguir a soberania de suas emoções e da soberania dos seus desejos? Diga… o que caracteriza tua vida é pensar, procurar, fazer, o que você sabe está errado aos olhos de seu Redentor para a realização temporária, ou você diria: "Meu Deus é o Senhor do céu e da terra. Eu sou seu filho comprado pelo sangue. Eu fui chamado Soberanamente para o Si mesmo. Ele é o provedor final… Sua Graça que me chamou e me deu um novo coração… me manterá até o final" - Então, por causa da Bela, já não somos Fera - e o custo - por mais que isso tenha custado a Bela na história, não foi um beijo na Fera - nós sabemos que foi se colocar debaixo da Ira infinita de Deus.

    Eu louvo a Deus que a história de amor da Bela e da Fera não seja apenas um conto de fadas. É um conto verdadeiro que é mais antigo que o próprio tempo, escrito por Aquele que nos ama em Cristo mais do que jamais poderíamos imaginar.