• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    O que é verdadeiro aconselhamento bíblico sobre casamento? ( A narrativa conjugal de Cristo ).




    O que é fundamental para um aconselhamento matrimonial? Como em quase todas as outras áreas da vida, quase tudo que é dito ( sermões, palestras...) e escrito ( artigos, livros...) sobre casamento na igreja de nossos dias, começa totalmente errado. A Bíblia não é dividida em pequenas seções individuais que eu escolho dependendo do meu interesse e problema momentâneo...


    Para muitos o ponto de partida instantâneo e instintivo sobre aconselhamento bíblico matrimonial é Efésios 5:22-33 - Os imperativos maritais bíblicos de Paulo. Mas basta pensar: o apóstolo Paulo não começou com Efésios 5:22-33. Em vez disso, ele construiu esses imperativos maritais em vários capítulos cheios de ideias bíblicas sobre Cristo e nossa identidade em Cristo - quem é Cristo e quem somos em Cristo.



    Então ... o que seriam princípios fundamentais para o conselheiro matrimonial bíblico ou sobre o casamento?



    Se vamos usar o ensino bíblico sobre o casamento, ( o que vai diferir todo aconselhamento que flui de filosofias humanistas seculares que enchem a igreja de nossos dias ) por exemplo, o que está em Efésios 5, sobre Cristo e a igreja como paradigma final sobre o casamento, é necessário toda a narrativa conjugal de Cristo que antecede o solidifica o que Paulo irá dizer no capítulo 5. Como falamos, Paulo não começou ali.


    Capítulo 1: É tudo sobre ele (Deus).


    Considere onde Paulo começa em Efésios ... com um hino de três estágios de louvor à glória e graça maravilhosa da Trindade:


    Deus Pai (1: 3-6),
    Deus Filho (1: 7-12) e
    Deus Espírito ( 1: 13-14).


    "Pai, Filho e Espírito" - Enquanto o  casal vomita veneno um do outro, o foco que precisam e que todo aconselhamento deve ter, é a visão da glória ( valor ) infinito de Deus e dessa graça. Precisam passar da desesperança terrestre para a esperança do evangelho. Precisam ver o grande quadro, o grande propósito redentor de seu casamento – trazer glória e honra a Trindade – a esse Deus de toda graça.  Precisamos lembrar do relacionamento inalterado, puro, bonito e eterno entre o Pai / Filho / Espírito. Eles são o modelo de relações humildes, desinteressadas, doadoras, sacrificiais (Filipenses 2: 1-11; João 17; Efésios 1: 3-14). O aconselhamento só é bíblico ( e não humanista secular ) se ajuda o casal ferido a se mover  do foco em si mesmo para se concentrar no amor cheio de paz, humildade, sacrificial, centrado no outro... expresso na Trindade. Amor profundo da Trindade que acaba por fluir em graça sobre pecadores indignos. Sai o foco em si mesmo e tudo é sobre Deus e Sua glória.


    Capítulo 2: É tudo sobre o poder do Espírito.



    O capítulo 2 começa assim: “E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados... Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos)” - Efésios 2:1-5.


    Há algo vital no ensinamento de Paulo sobre a família em Efésios 5:18-6:20 que muitas vezes perdemos. Observe onde Paulo começa, quando ele começa a falar de casamento e família. "... sejam cheios com o Espírito santo" (Efésios 5:1). E observe onde Paulo termina quando ele está falando sobre o casamento e a família. "Finalmente, seja forte no Senhor e em sua poderosa força" (6:10). "Orando em todo tempo no Espírito" (6:18).


    Se nos lembramos da cultura do dia de Paulo, lembramos que havia três pares de relacionamentos na casa greco-romana:


    1.)   Marido / esposa (5: 22-33), 2.)
    2.)   Pai / filho (6: 1- 4), e
    3.)   mestre / escravo (6: 5-9).      


    Então, as primeiras palavras que Paulo pronunciou depois de falar sobre essas três relações domésticas são as palavras: "Finalmente (maridos e esposas, pais e filhos, mestres e escravos) sejam fortes no Senhor e na força do seu poder" porque não há como Você pode viver uma vida doméstica piedosa em sua própria força!


    O pensamento principal no aconselhamento é levar o casal a ver que há esperança para seu casamento, se e quando são dependentes do Espírito. Se e quando eles encaixam seus pensamentos com o viver no poderoso poder de Sua força infinita e que sempre opera para Sua glória e nunca é centrada em nós. O mesmo poder que nos ressuscitou em Cristo quando estávamos mortos em nossos delitos e pecados.


    Capítulo 3: É tudo sobre salvação, Esperança e poder da ressurreição.


    Muitos casais chegam até o ponto de estarem esgotados de esperança. Seu "tanque de esperança" está vazio. Muitas vezes, nem vapores de esperança estão mais nesse tanque.


    Eles também se sentem impotentes  para mudar o seu cônjuge (o que não deve ser o seu objetivo de qualquer maneira), impotentes para mudar-se (eles precisam do poder de Cristo para mudar) e impotentes para mudar seu casamento.


    Paulo entendeu isso. É por isso que, logo depois de falar sobre o louvor – a grande doxologia -  da graça e da glória infinita da Trindade, ele se move para explorar a esperança de salvação e o poder de ressurreição (Efésios 1: 15-22). Infundir esperança em um casal sem esperança é vital para o aconselhamento matrimonial. O que eles precisam é do mesmo que Paulo ora no capítulo 3 de Efésios sendo aplicado ao casamento:


    "Pai, por favor, ilumine os olhos dos corações desse querido casal para que eles conheçam a esperança a que foram chamados para tua glória – que foram chamados como marido e mulher para participarem da realidade dessa esperança invencível na tua beleza. Ajude-os a entender que o mesmo poder que ressuscitou Cristo dentre os mortos é ativo dentro deles. Os capacite com a imensurável grandeza do seu poder energizá-los com tua grande força. Que todos  os dons da sua esperança, salvação e poder de ressurreição sejam manifestos através do casamento deles.  Que Cristo habite pela fé no coração deles; a fim de, estando arraigados e fundados em amor, eles possam perfeitamente compreender, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade do Teu amor no casamento deles. E conheçam o amor de Cristo, que excede a todo entendimento, para que eles sejam cheios de toda a tua plenitude. Sabemos que és poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera – a Ti seja a glória na igreja, e nesse casamento, por Jesus Cristo, em todas as gerações, para todo o sempre. Amém.”



    Capítulo 4: É tudo sobre a mudança do coração - Remoção da culpa pela graça de Cristo.


    Paulo ainda não está pronto para se mudar para Efésios 5. Em vez disso, ele começa a falar sobre a culpa diante de Deus e a graça em Cristo (Efésios 2: 1-10). Precisamos expor com compaixão o pecado que é a raiz de todos os problemas conjugais – lembrando que pecado é contra Deus antes de ser um problema para nós. Se estamos focados em aliviar nossa dor no relacionamento e não na glória de Deus, chegar a Efésios 5 será inútil.  Devemos levar o casal a ver a realidade do pecado com a ternura de Cristo e no contexto da exposição da graça – mostrando como onde o pecado abundou, superabundou a graça. (Romanos 5:20). Levando cada um a ver sua culpa diante de Deus ao pecarem contra Ele e por isso, um contra o outro. Enxergando como cada um deles individualmente precisa desesperadamente da graça de Deus – graça que perdoa e reconcilia. Que possam ver Deus como o Pai do marido pródigo e da esposa pródiga... assim, enxergando a festa do perdão de Deus... podem ver tudo de forma diferente... Sobre Deus e não sobre mim. O que enche o coração de esperança para se fazer um excelente trabalho conjugal para a glória de Deus.


    Capítulo 5: É tudo sobre a Igreja.


    Esse capítulo aborta vários problemas específicos – Pais e filhos, Senhores e escravos ( trabalho ), marido e mulher... Mas todo o capítulo é sobre a Igreja.


    Muitas vezes, as pessoas (incluindo líderes que aconselham) têm a ideia equivocada de que o aconselhamento ou ensino bíblico é uma bala mágica... uma receita... O aconselhamento só é bíblico quando é um subconjunto de tudo o que a igreja é e nós somos nela.


    É por isso que Paulo ora para que todos nós, incluindo cônjuges feridos e machucados, compreendamos COM TODOS OS SANTOS quão alto, largo, profundo e grande é o amor de Deus em Cristo Jesus (Efésios 3: 14-21).


    É por isso que é inútil aconselhar um casal que não está disposto a estar na igreja ouvindo a Palavra e crescendo com todos os santos em tudo que Deus nos chamou para ser para sua glória como povo de Deus. Não existe pequenas partes e seções da Bíblia que podemos usar negligenciando a razão dela. Portando, é preciso uma igreja para curar um casamento. É por isso que Paulo nos diz que o chamado primário dos pastores é equipar o povo de Deus para o ministério do evangelho no mundo - falando a verdade, amando uns aos outros... para que todos cresçamos juntos em Cristo (Efésios 4: 11-16). O casal precisa entender que eles só podem compreender e dar o amor de Deus enquanto estão entrelaçados com Seu povo. Se apegando a Cristo e ao Corpo de Cristo. O capítulo 5 envolve muitos relacionamentos, mas ele é sobre a Igreja.



    Capítulo 6: É tudo sobre a sabedoria da Palavra.



    Casais sem esperança não precisam da sabedoria do mundo. (E quase tudo que é ensinado na pregação e aconselhamento na igreja hoje não passa de psicologia secular, auto-ajuda...) Eles precisam da sabedoria da Palavra: a Palavra Viva - Cristo, e a Palavra escrita. Eles precisam de uma nova visão de seu chamado como esposa e marido. Podemos parafrasear: "Portanto, sejam imitadores de Deus, como filhos amados. E apaixonem-se, como Cristo nos amou e se entregou por nós, como oferenda perfumada e sacrifício a Deus” - (Efésios 5: 1-2).


    Eles precisam de uma nova visão da fonte de toda realidade na qual o casamento está inserido. Não é sobre eles, é sobre Deus. É sobre a glória de Deus.


    O fim da história.


    O aconselhamento matrimonial só é bíblico quando se baseia em todos os indicativos do evangelho de Efésios 1-6. O  aconselhamento e o casamento devem ser construídos sobre Efésios 1-6, que é a narrativa conjugal de Cristo, e não começar e apenas e se fixar em Efésios 5.22-33. Nenhuma área de nossa vida pode ser tratada separadamente de todo o Evangelho, toda a Verdade de Deus.


    O que o casal deve entender é que os 6 capítulo da narrativa do casamento de Cristo com a igreja é que mostra todo repertório do que o casamento é, e de como ele existe para a glória de Deus.