• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    O medo gera medo. A ansiedade gera ansiedade. ( A saída )



    O que faz alguém que diz conhecer a Verdade de Deus recorrer a algo que em sua essência nega tudo o que Deus diz, para tentar encontrar descanso, paz, equilíbrio emocional, etc... como é tão comum hoje?  A incredulidade sobre a Verdade de Deus e o abraçar filosofias e ideologias humanistas e seculares não cai como um raio. Apostasia funcional ( Quando alguém diz crer na Bíblia, mas vê o homem, a alma, o mundo como filosofias humanistas ) não acontece durante uma noite. Os homens não acordam uma manhã e decidem arruinar suas vidas achando que a Verdade não é suficiente. A incredulidade acontece como a erosão, como a água congelando lentamente, como uma tubulação que é corroída lentamente. O processo é quase imperceptível. Os corações endurecem em milhões de minutos, muitos punhos apertados, dentes cerrados, testa franzida contra dor e agonia, perda e desapontamento. E perto do centro de tudo isso está o medo, a ansiedade...



    A incredulidade de achar que a Verdade de Deus pode ser boa, mas não suficiente,  tem uma lógica trágica e auto-realizável. O medo gera medo. A ansiedade gera ansiedade. Nos arrastando contra outra dor, outro desapontamento... essa defensividade muito defensiva e reflexiva quase garante o próximo desapontamento. A auto-proteção, a preocupação, a ansiedade não podem deixar de ver qualquer coisa e tudo o que não é esperado ou de acordo com nosso plano como algum tipo de micro ou macro agressão. Tudo está indo errado; tudo está se afastando; nada está acontecendo conforme o planejado. E, rapidamente, essa mentalidade aterradora e defensiva é projetada em todos e em tudo. Eu penso assim, portanto, todos os outros devem pensar assim também. Eu penso assim e, portanto, o mundo deve ser assim.


    Acaz o ansioso!



    Que tipo de homem queima seus próprios filhos no fogo? Que tipo de homem faz isso? Um homem aterrorizado, um homem escravizado pelo medo e ansiedade. Acaz tornou-se rei de Judá quando tinha apenas 20 anos, e todas as indicações são de que sua vida se caracterizava por medo, ansiedade, pavor e inseguranças maciças. Ele caminhou nos caminhos dos reis de Israel. Ele criou imagens de metal de Baalins. Ele sacrificou e fez oferendas nos altos e nas colinas e sob todas as árvores verdes. Ele era paranóico, obcecado com o que as nações ao seu redor estavam fazendo. O perigo que ele corria... Eles o afligiram, e ele se tornou obcecado com eles. Quando viu o altar de Tiglate-Pileser, rei da Assíria em Damasco, ele ordenou que um igual fosse construído no templo em Jerusalém. E então ele começou  a remodelar o monte do templo por causa do rei da Assíria. Ele estava ansioso, obcecado, inseguro. E Crônicas diz que "em sua angústia, tornou-se ainda mais infiel para o Senhor porque sacrificou aos deuses de Damasco que o derrotou e disse:" Porque os deuses dos reis da Síria os ajudaram, eu sacrificarei a eles para que possam me ajudar. Mas eles foram a ruína dele e de todo Israel "(2 Crônicas 28: 22-23). Eventualmente, Acaz fechou as portas do templo e só adorou outros deuses fazendo ofertas em todos os lugares altos: “Acaz juntou os utensílios do templo de Deus e os retirou de lá. Trancou as portas do templo do Senhor e ergueu altares em todas as esquinas de Jerusalém.” - 2 Crônicas 28:24.



    E sim, ele mesmo ofereceu seus próprios filhos queimando-o diante de Moloque: “Queimou sacrifícios no vale de Ben-Hinom e chegou até a queimar seus filhos em sacrifício, imitando os costumes detestáveis das nações que o Senhor havia expulsado de diante dos israelitas..”  Essa lógica trágica e ansiosa é vista aqui: o medo da perda, o medo da morte, o medo da dor, o medo do fracasso, o medo de perder o reino leva com que Acaz provoque a perda,a morte, a dor e a destruição. Certamente ele pensou que não havia outra maneira. Ele ficou preso. Não há mais nada que eu possa fazer. Medo sempre nos leva a apelar para outras “sabedorias” que não a de Deus. Quantas vezes eu escuto: “Você não sabe o que é a noite da alma... não sabe como estou sofrendo... não sabe...” – Essa pessoa não tem nenhum argumento para defender o humanismo secular como sabedoria, não tem nenhum argumento bíblico para o que diz a não ser o seu próprio medo, ansiedade, angústia, noite da alma...



    Foi em um momento assim, quando o rei do reino do norte (Israel) e o rei da Síria se uniram para atacar Jerusalém. E o coração de Acaz e o coração de seu povo tremiam como as árvores da floresta tremem diante do vento (Is 7: 2). Isso não era um pensamento temeroso, não apenas uma pequena preocupação. Era ansiedade, angústia e desespero. Este foi um pânico praticado e estudado. Era seu velho amigo, medo, ansiedade aconselhando e ensinando o coração de Acaz – E humanamente falando, não sem era algo sem razão. Anteriormente, esses dois reis haviam atingido Judá e mataram 120.000 homens de valor em um dia (2 Crônicas 28: 6). Entende? Este mundo é um lugar aterrorizante. Terror acontece. Tragédia ataca. As coisas estão terrivelmente erradas. Como você pode não ter medo? ( Muitos cristãos fazem a mesma pergunta e abraçam caminhos de alívio tão absurdos quando Acaz – eles são aconselhados e ensinados pelo seu medo, ansiedade, noite da alma e não pela Palavra de Deus. São como Acaz ).


    Mas a  Verdade insiste e aparecer.


    Mas o Senhor enviou o profeta Isaías a Acaz para dizer-lhe: "Diga a ele: ‘Tenha cuidado, acalme-se e não tenha medo e desmaie ansioso. Que o teu coração não se desanime por causa do furor destes restos de lenha fumegantes: Rezim, a Síria e o filho de Remalias.” - Isaías 7:4


    E novamente o Senhor falou com Acaz:" Peça um sinal do Senhor, teu Deus; Que seja tão profundo como o Seol ou alto como o céu "(Is 7:11). Mas Acaz não faria isso. O medo e ansiedade o fez crer em outras coisas – Isaías diz: "Ouçam agora, descendentes de Davi! Não basta abusarem da paciência dos homens? Também vão abusar da paciência do meu Deus?” - Isaías 7:13.  Ah! Creia! A ansiedade e medo faz isso. O homem acredita em tudo, menos em Deus. Cristãos hoje acreditam firmemente como Acaz que Deus e Sua Palavra não pode lidar com ansiedades, medos...


    Acaz ( como esses cristãos ) praticou sua incredulidade e ansiedade por muitos anos. Ele havia nutrido seus medos. Seu coração não podia ouvir a oferta do Senhor para confortá-lo. O que passou pela cabeça de Acaz? Quem sabe? Ele achou que a Verdade vinda de Isaías era simplista demais? Que Isaías não entendia sua angústia, medo e noite da alma? Que a mão de Deus era muito curta para ajudar? Ele ridicularizava a Sabedoria de Deus para lidar com a alma que o próprio Deus criou. Ele simplesmente não acreditava que o que estava sendo dito era verdade? Como essas nações poderosas podem desaparecer tão rapidamente?  Deus não pode lidar com isso... isto está além... esse é um problema muito complexo. Não é o mesmo que muitos “cristãos” dizem sobre seus medos, ansiedades e noites da alma?



    Quando você pratica medo e ansiedade e se preocupa, a Verdade de Deus parece inútil. O humanismo secular com suas teorias parece útil – Acaz também achava que a ajuda tinha que vir de outro lugar e não da Verdade pregada por Isaías para ele. Isso ocorre porque o medo e a ansiedade funcionam em contrafacção, adulteração, deturpação, falsificação, imitação falsificada da Verdade para substituí-la - isto é, mentiras que se passam como verdade, ou pelo menos a verdade que parece mais plausível para  a mente natural. E se isso acontecer? E então, e se isso acontecer? E então, e se ...? E as perguntas, preocupações e medos e ansiedades rapidamente se aglomeram na mente. E conclusões e resultados falsos começam a surgir aparentemente cada vez mais prováveis de acontecer. Essa doença, a química do meu cérebro, esse problema no trabalho, essas crianças, meu casamento, meus pais, minhas contas ... e nossas preocupações e medos são tomadas como verdade. Nossas circunstâncias parecem realidades imutáveis. E quando a Verdade vem, podemos ter praticado nossos medos tão diligentemente que somos impermeáveis ​​à Verdade. A Verdade parece ridícula, estranha, talvez até ofensiva. E essa é a realidade de muitos que se dizem cristãos hoje.



    Mas Deus escolheu Acaz, um homem perverso, um tolo endurecido, como o primeiro a ouvir sua solução para todo o medo, toda a ansiedade, todo o medo, todo o pânico – que hoje, inacreditavelmente muitos que se dizem cristãos perderam dizendo conhecer a realidade que primeiro foi ouvida pelo ouvido de Acaz quando medos, ansiedades, noite da alma... caíram sobre ele. E o que Deus revelou a Ele pela boca de Isaías naquele momento como a solução de todos os medos, ansiedade, pavores e noites da alma. Chega a ser irônico para que se diz cristão hoje. Eis o que o profeta diz ser a solução final:  " Por isso o Senhor mesmo lhes dará um sinal: a virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e o chamará Emanuel.” - Isaías 7:14



    Que sinal estranho. E há muitos aspectos intrigantes para a profecia. Como esse sinal está exatamente relacionado à situação em que Acaz e Judá estavam enfrentando? Medo, ansiedade, pavor, noite da alma... Isso foi cumprido de algum modo durante aqueles dias? Não! Mas mesmo assim só a promessa e confiança nela – no sinal – devia ser suficiente para Acaz. Você sabe muito mais que ele – mas os cristãos hoje dizem: “Não é suficiente!”


    Mateus diz que o que Isaías disse a Acaz que devia resolver todos os dramas, medos e ansiedades do seu coração, foi cumprido no nascimento de Jesus: " Por isso o Senhor mesmo lhes dará um sinal: a virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e o chamará Emanuel.” - Isaías 7:14



    E, no entanto, o sinal também é a resposta para o medo de Acaz, para o temor de Judá, para a ansiedade e preocupação que escraviza TODOS os homens. A solução não pode vir de nós. Do humanismo secular, filosofia secular, psicologia secular... Não podemos nos livrar dessa situação. Não podemos nos curar. Não podemos nos consertar. Não podemos nos salvar. Não podemos nos proteger de todos os casos, de todas as ameaças ou da própria morte. Talvez o elemento mais insidioso do medo seja o orgulho oculto no seu núcleo. Uma coisa é ter medo de alturas ou guerra ou parto, um certo medo natural e humano. E há tantos medos sem fundamento algum...  Mas outra coisa inteiramente diferente é ser governada pelo medo, ser escravizado pela insegurança e preocupação e ansiedade – podemos dar nomes poéticos como “noite da alma”, mas isso não muda nada. E esses hábitos são sempre uma espécie de querer agarrar a segurança, agarrar o controle, agarrar a sensação de segurança, mas eles são sempre baseados na suposição de que podemos fazer algo para nos consertar como nossas próprias teorias, filosofias, sabedoria. Se eu conseguir isso, ficarei bem. Se eu começar a comer de forma mais saudável. Ter um pensamento mais positivo. Melhorar minha autoestima... se eu conseguir a teoria e o “tratamento” para a alma certo. Se eu tiver um emprego diferente. Se eu apenas me casar ou ter um bebê... ou preencher o espaço em branco com a mais nova teoria saída do humanismo secular ... então eu vou estar bem, então eu me sentirei seguro e terei estabilidade emocional. Mas não é verdade. Nunca é verdade. Você vai de um lugar alto para outro, de uma colina para outra, de uma árvore verde para outra. Como Acaz escravizado pelo ídolos criados pela “sabedoria” humana.  Mas você não pode convocar tua salvação, equilíbrio, paz emocional, espiritual... Você não pode encontrar um salvador no humanismo secular totalmente refratário a Deus e que tenta explicar o homem sem Seu Criador. - mais do que um deserto pode produzir um jardim ou uma virgem pode conceber uma criança, você não pode!



    Você que se diz “cristão” pode, como Acaz, achar insuficiente. Mas o mesmo que foi dito a ele por Isaías é dito por Deus a você: " Por isso o Senhor mesmo lhes dará um sinal: a virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e o chamará Emanuel.” - Isaías 7:14  - Dizendo que isso é suficiente para tudo na vida e na morte. Mas talvez, espero que não, você como Acaz - que praticou sua incredulidade e ansiedade por tantos anos. Que havia nutrido seus medos. E seu coração não podia ouvir a oferta ( Emanuel ) como suficiente para confortá-lo – Mas se você crê como Acaz, seja honesto e não diga que é cristão. Ou pior, não tente misturar filosofias humanistas com a Verdade... pelo menos Acaz ficou só com os baalins – não tentou misturá-los com a Arca da Aliança.


    Paulo diz com Isaías por causa do Emanuel:  “Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os seus corações e as suas mentes em Cristo Jesus.” - Filipenses 4:6,7


    Dar graças a Deus por tudo que Ele é para nós em Cristo ( Emanuel ) é como a paz de Deus protege nossos corações e mentes. Vemos o que Acaz não pôde: Deus está conosco. Deus Emanuel: " Por isso o Senhor mesmo lhes dará um sinal: a virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e o chamará Emanuel.” - Isaías 7:14  


    Este foi o sinal para Acaz, e sua resposta deveria ter sido louvor e adoração. Devia ter sido ação de graças. Deus prometeu estar com Acaz, o Acaz malicioso, ansioso, duvidando... Ele prometeu ser Immanuel , mas Acaz não conseguiu ouvi-lo. Ele não iria ouvir isso. Seu coração era duro em sua ansiedade e medo e “noite da alma”. Mas ainda esse é o sinal para todos nós. Precisamos que Deus venha a nós. Nós precisamos de Deus conosco. Precisamos do Immanuel. Precisamos só de Seu Filho em Sua Palavra – Emanuel – Deus conosco: " Por isso o Senhor mesmo lhes dará um sinal: a virgem ficará grávida e dará à luz um filho, e o chamará Emanuel.” - Isaías 7:14.

    Mas se você é como Acaz, achará tudo isso muito simplista. Irá procurar outro caminho. Era melhor ele ter ouvido Isaías.