• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Não temos nenhum descanso da tentação todo tempo.





    Nosso mundo é completamente cheio de tentações. Não há descanso do pecado aqui, e nenhum descanso da tentação todo tempo. Não há um único momento em que possamos relaxar de nossa vigilância. Como John Owen diz, poderemos deixar o pecado sozinho quando o pecado nos deixa em paz, e isso não acontecerá até que estejamos do outro lado do túmulo.


    As tentações podem ser como as ondas do mar à medida que eles se espalham pela praia - eles se levantam e caem, elas fluem pra todo lado, criam refluxo de correntezas... No entanto, as tentações não são inteiramente imprevisíveis, e há certos momentos na vida em que eles são mais propensos a nos pressionar mais fortemente que em outros. Aqui estão 4 momentos em que você precisa estar especialmente vigilante contra a tentação.


    A. Prosperidade.


    A prosperidade traz consigo a comida e o combustível para tanta tentação, tanta tentação...

    Prosperidade e tentação muitas vezes muito próximas. Não é que a prosperidade é uma maldição ou que você deveria temê-la. Em vez disso, você precisa ter uma consciência de que a  prosperidade traz consigo a comida e o combustível a tentação onde um pequena fagulha explode tudo.  Agur sabia disso, escrevendo em Provérbios ele diz: "Não me dê pobreza nem riqueza; Me alimente com a comida que é necessária para mim, para que eu não esteja farto e diga: "Quem é o Senhor?" "Guarda-te naqueles tempos de abundância e se prepara para uma investida certa da tentação - tentação de negar que Essa prosperidade é apenas um dom da boa graça de Deus (ingratidão!), tentação de acumular esses bons dons (ganância!), tentação de acreditar que Deus prefere você sobre aqueles que têm menos (orgulho!). Sua prosperidade pode ser a cortina de fumaça que mascara uma grande tentação. Na maioria das vezes as pessoas sequer irão perceber.


    B. Mesmice Espiritual.


    Há inevitavelmente tempos na vida quando seu prazer em Deus se torna morno. Há momentos em que seu coração deseja satisfação em algo - qualquer coisa - além de Deus e suas riquezas. Nestes tempos, sua adoração é marcada pela formalidade, seu tempo em oração e com a Palavra de Deus se tornam um dever frio, você olha com certo desânimo para os tempos de comunhão com outros cristãos. Você pode negligenciar a busca da comunhão com Deus e, em vez disso, tratar seu relacionamento com ele como apenas outro dos deveres sem alegria da sua vida. Nestes momentos, você pode ter certeza de que Satanás está próximo para tentá-lo ainda mais ( você se certa forma já caiu em tentação em sua mornidão – mas não é o fim), para atraí-lo ainda para mais longe de Deus e até mergulhar mais profundo em prazeres menores. Seu coração já está marcado pela frieza, e ele deseja ainda mais frio, mais frio.

    Certa vez alguém me perguntou: O que fazer se meu coração está frio, deve simplesmente cumprir tudo como uma disciplina e adorar assim mesmo?

    Eu disse: Lute. E a pessoa respondeu: Como?

    Deixe eu te dizer o que disse a Ele.

    O que fazer quando teu coração não está inclinado e terno em afeições espirituais em direção a adoração? Vazio de verdadeiros sentimentos piedosos...

    O que fazer?


    Você está reunido com a igreja, o culto começa - mas você não está sentindo nada a respeito da verdadeira adoração.
    Sem um perceptível temor a Deus.
    Nenhum desejo real por Ele...
    Nenhum encanto verdadeiro por Sua glória.
    Nenhum sentimento de maravilha por Sua santidade...
    Sem um tremor santo diante da grandeza de Deus.

    Sem poder dizer verdadeiramente como Davi:

    “...adorai ao Senhor na beleza da sua santidade.” -  1 Crônicas 16:29

    “Adorai ao Senhor na beleza da sua santidade; tremei diante dele toda a terra.” - Salmos 96:9

    “Glória e majestade estão ante a sua face, força e formosura no seu santuário.” -  Salmos 96:6

    O que você deve fazer?

    “Adorar” – ou seja, prestar culto de qualquer maneira?
    Sair e  tentar de novo na próxima vez, em outro momento?
    Existe essa opção?

    Ou fazer o que?

    Jesus disse que a verdadeira adoração deve envolver tanto o espírito como a verdade ( João 4:24 ).

    Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade. - João 4:24

    Nos versos 21 e 22 Jesus dirige a atenção da mulher tanto para a questão “interna" como para "questão teológica". A adoração deve ser vital e real a partir de dentro e deve ser baseada em uma verdadeira percepção de Deus. Agora o versículo 23 soma isso com a frase-chave "em espírito e verdade":  - "Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade"


    As duas palavras, espírito e em verdade - Adorar em espírito é o oposto de adorar em meras formas externas. É o oposto de formalismo e tradicionalismo. Adorar em verdade é o oposto do culto com base em uma visão inadequada de Deus.

    Portanto, devemos adorar em verdade - o que significa adorar o verdadeiro Deus revelado em Jesus Cristo e registrado nas Escrituras.

    Mas também devemos adorar em espírito.

    O que é a adoração em espírito?

    Uma pista é que o evangelho de João usa a palavra "espírito" para se referir a sentimentos e afeições profundas.

    Você pode ver que em João 13:21 – “Depois de dizer essas coisas, Jesus ficou perturbado em seu espírito.”

    A outra ideia é que em João 3:6, "espírito" é algo nascido do Espírito Santo em nós – “O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito”.

    Assim, a adoração em espírito significa adorar com sentimento dado pelo Espírito Santo.

    Juntos, as palavras "espírito e verdade" quer dizer que a adoração verdadeira vem do espírito dentro e é baseada em verdadeiros pontos de vista de Deus. A adoração deve ter coração e adoração deve ter cabeça. A adoração deve envolver suas afeições, sentimento e adoração deve envolver o seu pensamento. Verdade sem emoção produz ortodoxia morta e uma igreja cheia de lutadores não-espirituais. Emoção sem verdade produz agitação vazia e cultiva pessoas estranhas a verdade, que rejeitam a disciplina do pensamento rigoroso. A verdadeira adoração vem de pessoas que estão profundamente tocadas em suas afeições por Deus e que amam a doutrina profunda sobre quem Deus realmente é.

    Mas e se eu não estou sentindo isso?

    Adoração no espírito inclui
    louvor alegre,
    maravilha impressionada,
    tristeza pelo pecado, e
    anseio por Deus.

    Mas e se eu não estou sentindo nada disso?

    O que posso fazer?

    O que não podemos fazer é pensar que sentimentos, afeições e  reflexão não são importantes - e apenas ir com a maré. Apenas seguir com os outros.

    Jesus chamou isso de hipocrisia em Mateus 15:7-8

    Hipócritas! Bem profetizou Isaías acerca de vós, quando ele disse: "Este povo me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim ..."

    Então o que podemos fazer?

    Aprenda com Davi.

    No início do Salmo 40 Davi não estava sentindo a adoração.

    Ele sentiu como se estivesse em um poço de destruição e preso em um  atoleiro de lodo - Salmos 40:2.

    “Tirou-me dum lago horrível, dum charco de lodo, pôs os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos.” - Salmos 40:2

    Mas um pouco mais tarde tudo mudou - porque Deus pôs um cântico de louvor em seus lábios  - Salmos 40:3.

    “E pôs um novo cântico na minha boca, um hino ao nosso Deus; muitos o verão, e temerão, e confiarão no Senhor.’ - Salmos 40:3

    Então o que aconteceu entre o sentimento preso num charco de lodo - e ele agora cantando louvores a Deus?

    Davi nos diz no verso.1 - "Esperei com paciência no Senhor."

    Davi não atravessou de qualquer maneira os movimentos de adoração.

    Nem ele desistiu da adoração.

    Em vez disso - ele esperou pacientemente pelo Senhor para ajudar adorá-lo.

    O que significa isso? 

    Poderíamos pensar que esperando o Senhor significa passivamente ficar esperando Ele nos mudar.

    Mas a palavra hebraica significa buscar com entusiasmo e expectativa.

    Então aqui está como se espera no Senhor:

    Olhe para Jesus com expectativa. Não se concentre em seu coração sem vida - confiar nele para conhecê-lo, ajudá-lo, mudá-lo...

    Ore e peça a Ele para ajudá-lo a adorar.
    Admita a ele a sua falta de adoração como deve ser.
    Confesse qualquer pecado conhecido - e receba a garantia do perdão.
    Lance o teu fardo sobre ele – e peça a Ele para fortalecer a sua fé.
    Peça mais do trabalho do Espírito em seu coração para que você possa sentir a alegria da adoração, a estar maravilhosamente  impressionado e com desejo sincero por ele.

    Defina e ponha o seu coração na verdade de quem é Deus, como revelado em Jesus.

    Se a adoração é o incêndio,  a verdade é o combustível e o nosso espírito é a fornalha – Combustível, Fogo, Forno, Calor

    Portanto, como pastor de uma igreja, concordo com Jonathan Edwards quando ele disse: "eu me acho no caminho do meu dever, levantar o afeto de meus ouvintes tão alto quanto eu puder, desde que sejam afetados por mais nada, mas apenas com a Verdade".

    Então –

    O combustível da adoração é a verdade de um Deus gracioso, e soberano;
    a fornalha ou o forno da adoração é o seu espírito;
    e o calor de adoração são os afetos vitais de reverência, temor, contrição, confiança, alegria, gratidão, esperança...

    Mas algo está faltando na analogia, ou seja, o fogo. O combustível de verdade na fornalha de seu espírito não produz automaticamente o calor de adoração. Tem que haver fogo, que é a atuação do Espírito Santo que faz com que o fogo passa queimar.

    Quanto mais combustível -  mais quente o fogo.

    Concentre-se na verdade expressa nas músicas, nas orações, nas Escrituras.
    Continue os passos acima - com paciência.
    Somos chamados a esperar por uma razão. Deus pode mudar seu coração instantaneamente - ou não. Mas Seu tempo é a expressão do seu amor perfeito por você. Então, humildemente continue esperando por ele.

    Então, o que vai acontecer?

    Deus promete

    Quando buscamos a Ele de todo o coração - nós vamos encontrá-lo: “E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração.” - Jeremias 29:13

    Quando buscarmos conhecer o Senhor – “Ele virá a nós como a chuva da primavera: Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor; a sua saída, como a alva, é certa; e ele a nós virá como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra.” - Oséias 6:3

    Quando vamos a Jesus – a fome de nossos corações são satisfeitas: “E Jesus lhes disse: Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome, e quem crê em mim nunca terá sede.” - João 6:35

    Ele vai mudar os nossos corações para que nós experimentemos verdadeira adoração, com verdadeiras afeições de coração dadas pelo Espírito Santo.


    Por exemplo, aqui no Rio, a paisagem do Pão de açúcar nos dá uma ilustração útil:

    É um lugar deslumbrante com uma vista deslumbrante do Rio de Janeiro.

    Para chegar lá, você sobe por um teleférico a centenas de metros acima da cidade, montanha, vendo o mar... e quando você chega lá em cima e a vista se abre mais para os dois lados da cidade – todos - olhando a vista, dizem "Oooooh!" e "Aaaaah!"

    Agora imagine se quando chegasse lá em cima e quando você saísse,  tudo o que você visse fosse um nevoeiro. Sem vista incrível. Apenas tudo cinza.

    Isso é o que acontece quando não há afeições verdadeiras na adoração. A beleza de Deus está bem na nossa frente. Mas bloqueando esse ponto de vista está uma névoa de cansaço, preocupações ou pecado.

    Se nós apenas fizéssemos a coisa certa no ajuntamento para a adoração, então seria como sair do teleférico do Pão de Açúcar, olhar para o nevoeiro, e dizer: "Ooooh ... Aaaah ..." - sem sentimentos. Por que fazer isso?

    Mas - se vamos esperar no Senhor - é apenas uma questão de tempo antes de sentir o poder do Espírito começam a soprar o nevoeiro, e o nevoeiro começar a se desfazer - vemos então a beleza de Deus revelado em Jesus Cristo de maneira que todas as nossas afeições se despertam.

    E vamos adorar, como quando o nevoeiro se esvai  e as pessoas podem ver a paisagem deslumbrante do alto do Pão de Açúcar e naturalmente dizem: "Ooooh ... Aaaah ..." – Isso é adoração verdadeira, cheia de afetos, afeições espirituais profundas por quem Deus é.
    Então lute! Lute para restaurar a alegria da sua salvação.

    3. Um tempo de felicidade espiritual. Cuidado!

    Assim como a tentação pode estar perto do seu sofrimento espiritual, também pode estar à espreita perto de suas alturas espirituais, dos seus melhores momentos. Você pode observar isso mesmo na vida de Paulo, que recebeu o grande dom de ser levado ao terceiro céu e ver Cristo ali, mas que imediatamente foi visitado por Satanás (2 Coríntios 12: 7). Deus ama nos abençoar com esses tempos de liberdade e prazer, mas a tentação pode estar próxima. Naqueles tempos de grande prazer espiritual, você pode ser tentado a negligenciar os meios da graça. Tão satisfeito você está no estado atual que você para de lutar contra o pecado e aceita essa graça como devida a você. Você pode até se gabar das alturas que você alcançou, e fará tudo, exceto implorar a Deus para te confrontar com a Verdade e te humilhar. Aproveite as alturas espirituais, mas não deixe de proteger seu coração, mente e alma.

    4. Um tempo de autoconfiança.

    Cuide da autoconfiança e fuja dos seus primeiros raios no seu coração.

    Você inevitavelmente entrará em uma tentação dolorida e profunda naqueles momentos em que você estiver cheio de autoconfiança. Este foi exatamente o caso com Pedro, que, na última noite da vida de Jesus, se gabou de que ele nunca abandonaria seu Salvador. No entanto, em poucas horas, ele não só o abandonou, ele o negou completamente, mas não o negou uma vez, nem duas vezes, mas três vezes. Sua autoconfiança o permitiu comparar-se com os outros e se vangloriar: "Embora eles possam abandoná-lo, eu não vou". E ainda assim caiu gravemente na primeira oportunidade. Este mundo está cheio de tentações que vão desde pecados de luxúria até pecados de raiva e pecados de falsas crenças. Quanto maior a sua confiança em sua capacidade de superar esses pecados em sua própria força, maior a sua confiança de que esses pecados não podem influenciá-lo, maior a probabilidade de você ser tentado e vencido por eles, Cuide da autoconfiança e fuja dos seus primeiros sinais. 

    A tentação virá. A tentação pode muito bem chegar naqueles momentos de prosperidade, naqueles momentos de formalidade, naquele momento de bem-aventurança e naqueles momentos de autoconfiança. Mas mesmo quando a tentação é inevitável, sucumbir à tentação nunca é. " ão veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar.” - 1 Coríntios 10:13.


    Você deve, e você pode suportar.