• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Eu estou doente de amor | C. H. Spurgeon




    Spurgeon num distante  Novembro de 1863.


    “Se encontrarem o meu amado, o que dirão a ele? Digam-lhe que estou doente de amor.” - Cânticos 5:8


    Leitura adicional sugerida: Salmo 107: 17-22.


    Certas doenças são peculiares aos santos, e aos santos somente. Os ímpios nunca são visitadas por elas. É estranho dizer que essas doenças são sinais de saúde vigorosa.


    Quem, senão os amados do Senhor, experimentam a “doença do pecado”, na qual a alma aborrece o próprio nome da transgressão, é impassível e imune aos encantamentos do tentador, não encontra nenhuma doçura nos seus pecados assustadores, mas se vira com desgosto e aborrecimento de mesmo ter pensado na iniquidade?


    Somente estes, e estes sozinhos, sentem a “auto-doença” em que o coração se revolta de tudo que flui apenas da criatura e não do Criador – se afastando de toda confiança e força em si mesmo, estando cansado de si mesmo, seu ego, auto-exaltação, auto-confiança e “auto” de qualquer tipo.
    O Senhor nos aflige cada vez mais com a essa “auto-doença” até que estejamos mortos para nós mesmos e nossos desejos não santificados.


    Depois, ainda há uma doença amorosa dupla.


    Do mesmo jeito é aquela doença de amor que vem sobre o cristão quando ele é levado a um pleno gozo em Jesus, quando a noiva, elevada pelo favor e graça, derretida pela ternura de seu Senhor, diz no quinto verso do Segundo capítulo de cantares, "Por favor, sustentem-me com passas, revigorem-me com maçãs, pois estou doente de amor.” - Cânticos 2:5"


    A alma gozava com as comunicações divinas de felicidade e felicidade que vieram de Cristo e somente de Cristo, o corpo dificilmente suporta o delírio excessivo de prazer que a alma possuía, estava tão feliz em estar nos abraços de seu Senhor, que precisava ficar sob o peso irresistível da alegria.
    Outro tipo de doença amorosa, amplamente diferente da primeira, ( Mas que também ocorre, mas que podia não acontecer ) é aquela em que a alma está doente, não apenas porque tenha muito amor por Cristo, mas porque não tem consciência presente suficiente dele; doente, não da gozo e prazer, mas da saudade dele; doente, não por causa do excesso de prazer, mas por causa da tristeza por um amante ausente.


    Para meditação: Você sofre de “doença” espiritual? Cristo veio chamar aqueles que estão preparados para admitir que estão espiritualmente assim (Marcos 2:17). Isso já faz parte do processo do Chamado Soberano. Como ele disse sobre seu amigo Lázaro fisicamente: "Esta doença não é para a morte, mas para a glória de Deus" (João 11: 4). Essa é uma verdade espiritual para todos os eleitos.


    Tirado e adaptado do Sermão nº 539 – Pregado na Manhã de Domingo, 8 de Novembro de 1863 no Tabernáculo Metropolitano por Charles Haddon Spurgeon.


    Traduzido e adaptado por http://www.josemarbessa.com/