• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    A Graça te separou?







    "Todos estes morreram na fé, sem terem recebido as promessas; mas vendo-as de longe, e crendo-as e abraçando-as, confessaram que eram estrangeiros e peregrinos na terra". Hebreus 11:13


    Pela fé, Moisés, por exemplo, tomou uma decisão crítica. A regeneração sempre leva o homem a isso. Não é uma coisa periférica na vida, é abraçar algo tão diferente de toda sociedade a nossa volta, que  a única declaração que explica os novos desejos, novas prioridade, novos valores, novas motivações... é essa: Eu sou estrangeiro e peregrino neste mundo, não sou daqui.


    Essa declaração transborda do homem regenerado. Porque ele se sente um estranho neste mundo ímpio. Este mundo não é mais seu elemento, não é mais sua casa. Você é um estranho. Um estranho para seu labor, um estranho para as suas máximas, um estranho para suas modas camaleônicas, um estranho para seus princípios de vida, um estranho para todos os seus motivos, um estranho para suas concupiscências, um estranho para todas as suas inclinações. Tudo que move este mundo não é mais seu ambiente nativo.


    Todas essas coisas juntas estavam no coração de Moisés que ele se recusou ser chamado de filho da filha de faraó (Hb 11.24). O coração dele agora era um estranho no grande Egito. Se a luta contra o mundo não flui de dentro, desse coração que agora é um estranho neste mundo, a Graça não separou você ( pelo menos não ainda). Moisés não estava saindo do Egito levando um coração arrasado por ter que partir. No seu coração ele já havia partido. É isso que a graça faz ao separar um homem.


    A decisão de Moisés, não foi algo irrefletido, emocional, passageiro... Ele olhou, a Bíblia diz, para “os prazeres do pecado” – e não é que ele podia suportar ficar sem eles – eles não eram seu mundo mais. Ele olhou “os prazeres do pecado”, e preferiu ser “maltratado com o povo de Deus” (Hb 11.25).


    Ele era um homem jovem, ele era um príncipe. Lembre que ele não tomou essa decisão num vácuo existencial. Algo aconteceu e toda visão de vida de Moisés foi alterada, foi alterado completamente a avaliação dos prazeres e tesouros mundanos. O ponto central que Hebreus 11.26 nos mostra é que Moisés teve “por maiores riquezas o vitupério de Cristo do que os tesouros do Egito...” Hebreus 11:26 – ou seja, o abuso, o sofrimento, e o estigma de viver para Deus num mundo alienado de Deus, para ele era uma riqueza maior do que os palácios do maior Império do mundo até então.


    O que aconteceu com Moisés? Quando a Graça separa você pelo poder soberanos de Deus, embora você esteja no mundo, sabe que não é dele. Eu quero dizer claramente que se você estiver em casa neste mundo, se as coisas do tempo e do sentido são ainda o teu elemento, se você se sente um com as máximas do mundo, se teu cristianismo tendo cristianizar estas coisas, se está em acordo com os princípios e motivação do grande mundo estranho a Graça de Deus – A Graça não atingiu teu coração e a fé descrita neste capítulo de Hebreus, a fé dos eleitos, ainda não habita em teu seio.


    O que aconteceu com Moisés? Ele firmou um longo e honesto olhar sobre tudo que ser um príncipe do Egito, neto do homem que era adorada como um deus, poderia lhe oferecer. Não pense nele como um homem ingênuo, que tomou uma simples atitude passional... Ele sabia exatamente o que estava a sua frente, ele sabia exatamente o que estava deixando para trás. Nós só podemos palidamente imaginar o que ser neto de Faraó envolvia. Riqueza além de nossos sonhos, ilimitadas oportunidades sexuais em seus haréns, poder, influência, conforto, autoridade, fama, respeito, veneração... A Bíblia chama dos “tesouros do Egito!” – Mas Moisés disse: Não!! É isso que a Graça soberana faz! Ele escolheu a dor, o sacrifício, a censura daquele reino... O apelo que o Egito exercia sobre todos, perdeu o poder sobre Moisés. Grandes oportunidades de gratificação sexual, poder, dinheiro, influência, fama... A Graça que separa leva um homem como Moisés olhar para tudo isso e dizer: É brincadeira? Isso é tudo que o Egito tem para oferecer? Perto do prazer que eu tenho em Cristo, isso que vocês tem não tem a menor chance em meu coração! Quando a Graça separa um homem ele não tenta cristianizar o “Egito”, não tenta cristianizar o mundo, ele o deixa.


    O primeiro efeito da graça é separar! Foi assim no caso de Abraão. Ele foi chamado pela graça para deixar a terra de seus pais. A Graça separa e diz: “Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis nada imundo, E eu vos receberei; E eu serei para vós Pai, E vós sereis para mim filhos e filhas, Diz o Senhor Todo-Poderoso”. 2 Coríntios 6:17-18


    Esse separação só é possível porque a Graça a fez no coração do homem regenerado. Por isso Moisés podia olhar o Egito com aquela nova perspectiva. Separação de coração, separação de princípios, separação de afetos, separação de espírito... É o que acontece com o toque da Graça operando a fé dos eleitos. Você é um estranho neste mundo, e isso se tornará manifesto por sua vida.

    O desejo ardente é:

    Honrar nosso Redentor,
    Glorificar nosso Pai Celestial, e
    Gratificar a natureza sagrada que o Espírito Santo por Graça tem transmitido a nós.


    A lei de Deus que era objeto de nosso medo e desprazer, agora é o nosso objeto de amor! – “Oh! quanto amo a tua lei! É a minha meditação em todo o dia”. Salmos 119:97


    Ele é uma nova criação de Deus, e é exatamente o oposto da natureza carnal com a qual entra em conflito,“Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser”. Romanos 8.7 – O homem deve ser novamente criado, uma nova criação, antes que ele possa deliciar-se com a lei de Deus.


    Moisés simplesmente fez com seu novo coração uma avaliação cuidadosa e espiritual do que o Egito ofereceu contra o que tinha agora em Deus e chegou a conclusão de todos aqueles que foram separados pela Graça: Isto é o melhor que o Egito pode fazer? Eu tenho uma oferta muito, mas muito melhor do que isso. Só um completo estúpido preferiria os prazeres do Egito em detrimento de sofrer com o povo de Deus agora, e gozar Deus para sempre.
    A Graça de fato o separou!!


    Tendo por maiores riquezas o vitupério de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa. Pela fé deixou o Egito, não temendo a ira do rei; porque ficou firme, como vendo o invisível. Hebreus 11:26-27

    Sola Gratia! - Josemar Bessa