• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Filipe Melanchthon sobre a morte de Martinho Lutero.



    Quando Martinho Lutero morreu, seu amigo íntimo e líder da Reforma Protestante, Filipe Melanchthon, no funeral de seu amigo, entregou um elogio poderoso a respeito de Lutero. Em seu tributo, Melanchthon aborda a clareza e a dureza do tom bem conhecido de Lutero. Na verdade, não era nenhum segredo que Lutero, com toda educação que tinha, não era chegado a um refinamento no falar. Na verdade, sua esposa, Katharina, muitas vezes o repreendeu como sendo "muito cru, direto e cortante". Mas numa época em que a pregação do Evangelho poderia significar você ter sua língua cortada, me parece que Lutero era apenas o homem certo para sua época.


    Aqui está Melanchthon dando glória somente a Deus pela vida de um homem que, com todos os defeitos que pudesse ter, foi fundamental para preservar o Evangelho de Graça para as gerações vindouras.


    Melanchthon diz:


    "No entanto, algumas pessoas que não têm má intenção, outras que têm...  expressam a suspeita de que Lutero manifestou demasiada aspereza no falar. Não vou afirmar o contrário, mas apenas citar as palavras de Erasmo (com quem ele teve o grande debate sobre a Escravidão da vontade): 



    "Deus enviou nesta última era um médico violento devido à magnitude dos distúrbios existentes", cumprindo em seu chamado a mensagem divina a Jeremias: "Agora ponho em sua boca as minhas palavras. Veja! Eu hoje dou a você autoridade sobre nações e reinos, para arrancar, despedaçar, arruinar e destruir; para edificar e para plantar". Jeremias 1:9,10.  


    Nem Deus governa ( Diz Erasmo )  a Sua igreja de acordo com os conselhos dos homens, nem opta por empregar instrumentos como os que eu e você escolheríamos para promover os seus propósitos. Mas é comum que as mentes pequenas não gostem daqueles que tem uma mente e uma personalidade mais ardente na defesa da mensagem confiada a eles". Mas, nosso Deus está no céu; ele faz o que lhe agrada.” - Salmos 115: 3.


    Erasmo não poderia ter resumido melhor o chamado de Lutero para lutar pela Verdade.