• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Ansiedade, medo, tristeza... Definindo Emoções. Por que Deus nos fez assim?




    Que propósito Deus tinha ao criar nossas emoções? A raiz da palavra emoção é “motere”, o verbo latino “mover-se” – junto com o prefixo “e” – que significa “afastar-se” – ou seja, indica uma tendência a agir – isto está implícito em todas as nossas emoções.


    Todas as nossas emoções são essencialmente inclinação para agir e reagir. Ou seja, Deus criou nossas emoções para nos colocar em movimento. Elas são a resposta interna que motiva a ação externa – as nossas emoções sinalizam para nossa mente entrar em alta velocidade. Para que você possa entender isso biblicamente, considere 1 Pedro 5.7,8:


    “Lancem sobre ele toda a sua ansiedade, porque ele tem cuidado de vocês. Sejam sóbrios e vigiem. O diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar.”


    Muitos não conseguem relacionar esses dois versículos, pois já não pensam biblicamente, mas foram formatados a pensar como a psicologia secular os treinou.


    A ansiedade, como todas as outras emoções, é uma emoção que nos motiva a agir... nos põe em movimento. Nossas emoções e mente sentem algo que percebemos como uma ameaça – um perigo. Podemos responder a essa situação provocadora de ansiedade com medo do homem, medo do futuro, autoproteção... o que seria uma resposta emocional caída.


    Ou, podemos responder a essa situação provocadora de ansiedade lançando nossa ansiedade sobre Ele e ficando alerta e vigilante pois sabemos que o diabo que ronda rugindo como um leão procurando a quem tragar, tentará usar exatamente esta emoção. Essa é a resposta emocional de nosso coração do homem regenerado. Ou seja – quando olhamos a situação provocadora de ansiedade, a “luz” de alerta e vigilância acende e começamos a buscar pistas do leão rugindo e respondemos de maneira dependente de Deus e de sua proteção toda poderosa. Lançamos sobre ele nossa ansiedade.


    Em vez de ver as emoções como apenas malignas ou caídas, precisamos entender que Deus criou emoções para desempenhar um papel crucial que nos obriga a fazer uma dupla checagem , olhar para o exterior e para dentro. As emoções são nossa "sentinela interior" que nos conecta o nosso mundo interno e externo.


    Então, podemos fornecer uma definição funcional de emoções:


    As emoções são a nossa capacidade dada por Deus de conectar nosso mundo interno e externo experimentando nosso mundo e respondendo a essas experiências. ( Respondendo como homem natural ou como um homem regenerado – como diz Pedro ).


    Nossa capacidade emocional inclui a capacidade de internamente experimentar e responder a uma gama completa de sentimentos internos positivos (agradáveis) e negativos (dolorosos).


    Precisamos de um modelo bíblico para compreender nossas respostas emocionais  - infelizmente é a psicologia secular humanista que tem sido o modelo seguido pela maioria dos cristãos.


    Para compreender melhor as nossas emoções, precisamos de uma introdução ao modo como Deus criou a nossa pessoa interior.


    Nós dissemos que Deus nos criou como seres emocionais. No entanto, isso não significa que somos seres únicos ou principalmente emocionais. Isso também não significa que nossas emoções devem nos controlar. Em vez disso, Deus nos projetou para que nossas emoções se submetam e respondam às nossas crenças ( fé )  e convicções.


    O que acreditamos (Romanos 12: 1-2) ( Direção Racional )


    Sobre Deus e a vida (Salmo 42: 1-2) ( Afeição Espiritual )


    Fornece a direção que escolhemos para prosseguir (Josué 24:15) (Motivação Voluntária) e


    Dirige a nossa resposta na vida (Efésios 4: 17-19) (Reação Emocional) ao nosso mundo.


    Pensemos novamente sobre como isso se mostra em 1 Pedro 5: 7-8. O contexto de 1 Pedro é uma resposta cristã ao sofrimento e à perseguição. Observe a chave de como respondemos ao sofrimento: está na frase "porque ele se importa com você". Nossa crença (direção racional) sobre Deus (afeição espiritual) - que Ele cuida de nós - é o que motiva nossa resposta piedosa – Nos fazendo lançar nossa ansiedade sobre Deus e resistir com vigilância o diabo ou leão que ruge ( motivação volitiva ) diante dos sentimentos de ansiedade ( reação emocional ).


    As crenças divinas – a Verdade -  (direção racional )

    Levam a afeições piedosas ( afeições espirituais ),

    Que por sua vez, levam a motivação e ação piedosa ( motivação volitiva ) e,

    Em última instância, resultam em emoções semelhantes a Cristo (reações emocionais ).


    Eis a razão de Deus criar nossas emoções – Ele as projetou para interagir com nosso mundo interno e externo.


    Eis o modelo bíblico para compreender nossas emoções.


    Nossa situação externa mais nossa percepção interna leva a nossa resposta emocional.


    Imagine nossas emoções assim:

    Situação negativa + Crença bíblica = Emoção dolorosa legítima (tristeza,  pesar...)

    Situação negativa + Crença não-bíblica = Emoção dolorosa ilegítima ((ódio, desespero...)

    Situação Positiva + Crença Bíblica = Emoção Positiva Legítima (Alegria, Paz...)

    Situação positiva + Crença não bíblica = Emoção positiva ilegítima  (orgulho, auto-suficiência... )

    Reflita:

    Ponderar uma situação atual que você enfrenta. Use esse modelo para avaliar a situação e sua resposta emocional. Sua situação externa mais sua percepção interna leva a sua resposta emocional.



    O homem regenerado, por sua nova natureza imortal e habitada pelo Espírito Santo, NUNCA ficará entregue ao desespero final. Nunca. Se é que o homem foi Justificado, Regenerado... Infelizmente a psicologia humanista secular tem dirigido o pensamento  que um dia foi cristão, mas que agora não é mais.


    “Lancem sobre ele toda a sua ansiedade, porque ele tem cuidado de vocês. Sejam sóbrios e vigiem. O diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar.” - 1 Pedro 5.7,8.