• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Aos solteiros que procuram por um casamento incrível!





    Os solteiros que procuram se casar bem, podem aprender tanto com um homem que se casou há quatrocentos anos. Ele fez uma escolha supremamente sábia por todas as razões certas e se beneficiou imensamente por causa disso.


    Richard Baxter (1615-1691) ( Um dos Grandes Puritanos) viveu a metade de sua vida como um homem solteiro porque acreditou, naquele momento, que um jovem zeloso pastor estava "casado com sua congregação"  e não tinha tempo adequado para uma esposa como devia. Quando sua igreja o despediu e ele foi forçado a viver sua vida como um escritor (se transformou num dos escritores mais populares de seu tempo), pensou que ter uma esposa seria uma coisa muito boa, de fato, e ele logo entrou em um casamento muito feliz e gratificante com uma jovem chamada Margaret.


    Eles tiveram um casamento incrível .


    Ao fazer sua escolha, Richard já era um homem sábio que, como pastor, vira a loucura em que tantos outros haviam caído. Assim, ele estava determinado a "evitar a paixão tola que o mundo chama de amor".


    Ele não evitou o amor, mas procurou um amor mais elevado : "Eu sei que você deve ter amor por aquele com quem você se casa", ele escreveu, mas insistia que fosse um amor "racional" - que discernisse "valor e aptidão" no amado, não "cego ... luxúria, dejeso ou fantasia."


    Richard tinha visto como "a luxúria cega e a fantasia" (apelo sexual e paixão romântica) podiam fazer pessoas aparentemente sábias curiosamente cegas para o pobre valor de uma pessoa e baixo caráter, então ele determinou cedo que não seria guiado por essas coisas.


    Em vez disso, ele estava determinado a encontrar um cônjuge "digno" e um cônjuge "apto".


    Se você se sentir louco de paixão e seu maior e desesperado desejo é ouvir que o outro sente a mesma coisa sobre você, force-se a fazer duas perguntas racionais:


    "É uma pessoa digna?
    “Ela ou ele são aptos para o casamento? "


    Vamos olhar para cada um por sua vez.


    Primeiro, eles são dignos de você ter tal interesse neles? Force-se a olhar para eles objetivamente.
    Se você não tivesse sentimentos tão fortes por eles, e os fosse avaliar assim,
    você ainda gostaria deles,
    os admiraria e
    os respeitaria?
    Se você não pode responder "sim" a todas as três perguntas você está caindo presa de uma  "fantasia cega".


    Se você está muitas vezes desconfortável sobre eles, ou constantemente tendo que explicar e desculpar as falhas e falhas de caráter que todo mundo vê e aponta para você, você está no meio de uma "fantasia cega". Não é verdadeiramente digno de você para ser, aos olhos do mundo, o que a relação de Cristo é com a Igreja; Você não deve ter medo de que eles não sintam o mesmo sobre você; Você deve ter medo do por que você está se sentindo assim sobre eles.


    Em seguida, pergunte a si mesmo: "Eles são aptos?" Ou seja, eles têm as habilidades relacionais, emocionais e espirituais necessárias para ser um cônjuge superlativo num relacionamento com Deus?
    Eles podem lidar com conflitos?
    Eles são humildes, gentis e pacientes?
    Eles são um doador ou um tomador?
    Deus é o centro de sua vida?
    Eles oram e buscam crescer em justiça?
    Seriam um bom pai (mãe) e um verdadeiro amigo?
    Você pode confiar neles em todos os sentidos?


    Se a resposta for não, eles não estão "aptos" para o casamento.


    Os sentimentos são altos e fortes, e eles vêm e vão. Fazer perguntas sobre "dignidade" e "aptidão" irá ajudá-lo a ser objetivo e fazer uma escolha sábia.


    Resumindo - o melhor do pensamento puritano em fazer uma escolha marital sábia, sublinha que os cristãos foram instados a não procurar alguém que ama romanticamente, mas sim para alguém que se pode amar "com firme afeição em uma base permanente".


    Porque o casamento é tudo sobre o futuro e os sentimentos são apenas sobre o presente, faz mais sentido escolher alguém que você pode amar no futuro, porque eles são dignos de seu amor e aptos para o casamento. Essas coisas geralmente duram; Sentimentos nunca o fazem. Eles mudam.


    Descubra primeiro se a pessoa que você está interessado é digna e apta. Então pergunte a si mesmo:
    "É alguém com quem eu gostaria de passar o tempo?
    É alguém que me atrai fisicamente o suficiente para que eu deseje estar com ele (ela) sexualmente? "


    Desejo sexual e romance não são inimigos - eles podem ser deliciosas "especiarias" na vida. Mas se você fizer deles o curso principal, você terminará relacionalmente faminto, porque não podem satisfazer e se juntar aos desejos mais profundos da alma que só encontram satisfação em Deus.
    Eu polvilho canela numa banana frita... mas eu não como várias colheres de canela  como um substituto para o que vou comer naquele momento. Isso é o que você está tentando fazer quando você deixa "o desejo e as fantasia cegas" se tornarem os fatores principais em determinar quem escolher e, finalmente, com quem se casar. 

    Digno e apto.


    É isso que você deve procurar. Isso é o que você deve avaliar. Assim foi com Richard Baxter e Margaret.