• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Usando a Teologia de forma errada para criticar hinos.




    Quando criticar vira nosso ofício... certamente é uma coisa miserável.


    Eu amo teologia sistemática... eu amo as doutrinas bíblicas... eu prego no mínimo 3 vezes por semana, 52 semanas por ano. Expor textos bíblicos é meu ofício quase full time. Mas quando se trata de interpretar música, hinos, poema... temos que usar nosso conhecimento bíblico com cuidado... para não mostrarmos tolice em vez de verdadeiro conhecimento bíblico.


    Vejo que a maioria dos “críticos de hinos” – iriam escrever um monte de críticas em seus blogs sobre os Salmos se eles não estivessem na Bíblia.


    Precisamos interpretar e criticar hinos, música e poemas em seus próprios termos e não simplesmente olharmos para nossos volumes de teologia sistemática e os usarmos como tolos.


    É assim que fazemos com os Salmos ( mas como disse – se não estivessem na Bíblia... os críticos cairiam em cima ).


    O Salmo diz: “Guarda-me como à menina do olho; esconde-me debaixo da sombra das tuas asas” - Salmos 17:8 – Quando vemos isso – não pegamos nosso volume de teologia sistemática no tópico de como Deus é  Espírito e dizemos: “Deus é Espírito, e Ele não tem asas e nem olhos!” – Entendemos simplesmente que o Salmista está falando em linguagem poética – está com a poesia pintando um quadro de como Deus age nos guardando e protegendo, e não fazendo um descrição física de Deus. ( Mas se isso estivesse num CD de hoje – posts apareceriam em blogs...  “Esse hino está errado... Deus é Espírito!” ). Quando o Salmista fala sobre as “asas de Deus”, não ponho minha teologia sobre o hino que ele escreveu, deixo ele falar comigo o que evidentemente ele quis dizer.


    Uma canção não pode ter notas de rodapé, para explicar os termos... se pressupõe que quem ouve, tem uma mente capaz de entender metáforas, figuras de linguagem... A canção e os versos só podem dizer uma coisa de cada vez (  não explicar toda a teologia envolvida no ser de Deus ) – A canção ( poesia ) não pode dizer tudo e fazer todas as qualificações. Como seria uma canção se fizesse isso? ( Nem o salmista fez na passagem citada, ao compor seu hino ).


    Meu sermão, artigo, livro... podem fazer qualificações... uma canção ou poesia não pode.


    O que temos que fazer quando ouvimos o verso de uma canção  é perguntar:
    “Qual é o principal ponto do autor aqui?”


    “Guarda-me como à menina do olho; esconde-me debaixo da sombra das tuas asas” - Salmos 17:8

    “O que ele realmente está tentando dizer?”

    Depois que temos o principal determinado, devemos perguntar: “Isso concorda com a Bíblia?” Então você verá, por exemplo, que apesar de Deus não ter asas ou olhos, o que o autor do Salmo 17.8 está falando, é algo que está de acordo com tudo que a Bíblia fala sobre Deus. Ele não está atacando nem mostrando desconhecer a doutrina de que Deus é Espírito.



    Portanto nós, pessoas comprometidas com a Verdade, devemos preservar nossa paixão pela sã doutrina e pela Bíblia. Jamais abandonar a sã doutrina ou pensar que as palavras não têm sentido. Mas também vamos ser justos com aqueles que criam hinos, poesia... arte. Nossas críticas e endossos devem sempre fluir da Bíblia, mas eles também devem abordar o ponto principal da peça, o que quase nunca vejo nessas críticas.