• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Uma solução dourada para quase todos os males sociais.






    E se você fosse ao médico porque não consegue dormir e ele te dissesse que seu problema era que você dorme demais? "Você está dormindo duas horas por noite? Esse é o seu problema! Você precisa dormir apenas 10 minutos por noite", diz ele enquanto você olha espantado.


    Ou, imagine se você fosse a um nutricionista porque você quer comer melhor e ele te dissesse que seu problema é excesso de ênfase na alimentação saudável? “Coma mais chocolates e fast-foods” diz o nutricionista. “Coma mais frituras e coisas calóricas”, acrescenta ele. E você balança a cabeça em descrença.


    Você pensaria: “Meu médico e nutricionista ficaram loucos!”


    Todos nós temos dificuldade em entender, e com toda razão, quando o problema é receitado para nós como solução ou remédio. Mas nem sempre agimos racionalmente assim. Pelo menos não quando se trada da ideia de “amar a si mesmo”.


    Não estou sugerindo que precisamos nos odiar. Mas a verdade é que o que a Bíblia diz ser o grande problema, nossa cultura abraçou como uma solução dourada para quase todos os males sociais.


    Vá ao Google e busque “autoestima” ou “amar a si mesmo” e navegue por alguns milhões de textos que surgem. Caminhe no corredor de auto-ajuda da livraria mais perto de sua casa e leia alguns dos títulos que prometem lhe ensinar maneiras mais eficazes de amar a si mesmo, para se fazer feliz... para garantir que você olhe para si mesmo em primeiro lugar, como o número um...


    Esse é o tema mais popular em nossa cultura.


    Esse é um tema popular na música, como no sucesso de Whitney Houston, "The Greatest Love of All".


    “Eu encontrei o maior amor de todos
    Dentro de mim
    O maior amor de todos
    É fácil de alcançar
    Aprender a amar a si mesmo
    É o maior amor de todos”


    Aprender a amar a si mesmo, é o maior amor de todos. Isso me traz  a mente um monte de imagens totalmente surreais.


    Primeiro imagine um homem em um campo com os braços em volta de si mesmo dançando e declarando-se para si mesmo. Então a cena mudaria para uma mulher segurando flores, proclamando corajosamente que comprou flores para si mesma, porque ela se considerava a pessoa mais digna do seu amor... (Poderíamos continuar imaginando...  mais sempre seria ridículo).



    Com todo o respeito pela memória da falecida Whitney Houston, o maior amor de todos não pode ser encontrado "dentro de mim". Ou  Aprender a amar a si mesmo... ser o maior amor de todos” - Pelo contrário. Olhar para dentro para esperança, ajuda, Autoestima, coragem, alegria, paz ou amor é exatamente a coisa que a Bíblia nos ensina a não fazer.


    Ouça as palavras do Apóstolo Paulo enquanto escreve sua última carta a Timóteo: "Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos” - 2 Timóteo 3:1,2."


    Paulo passa a descrever então 17 sintomas odiosos, coisas como arrogância, orgulho, brutalidade, traição, amor ao dinheiro, ingratidão...



    É um recheio de sanduíche desagradável dentro de duas fatias de pão, uma  chamada de "amante de si mesmo", e a parte inferior sendo "não um amante de Deus."


    Essa é a resposta. O oposto do auto-ódio não é o amor-próprio. É o amor a Deus, que produz um amor saudável para com os outros. A solução não pode ser encontrada "dentro de nós". Ela só pode ser encontrada fora de nós, a criatura, e nele, o Criador. 



    Amor-próprio está no topo da lista em termos do homem natural em sua depravação. Portanto dizer que o homem deve amar mais a si mesmo, mas auto-estima... é um contrassenso, mas essa não tem sido só a mensagem da cultura, tem sido a mensagem do “evangelho” pregado em toda parte.



    Pecadores são consumidos com o orgulho é o senso de auto-importância, são consumidos por eles mesmos... e fizemos disso uma virtude, não só virtude, mas a mais importante, proeminente e dominante em nossa sociedade.



    Fomos chamados para pregar o evangelho a uma geração não só orgulhosa, mas que transformou o orgulho na virtude de todas as virtudes, que são tão apaixonados por si mesmos, que procuram a satisfação de todos os seus caprichos, de cada desejo, cada ambição... que procuram ser tudo o que podem ser... e que definem o valor de tudo que somos, e tudo que falamos, e  fazemos em nosso próprio ego.


    Isso fez com que perguntas que deviam ser absurdas, se tornarem frases famosas nas redes sociais – quem já não viu uma fato com os dizeres – “Sua igreja vai me aceitar como eu sou?” – como se essa fosse uma pergunta determinante do que é a igreja. Sequer podemos começar apresentar o evangelho sem colocar em primeiro lugar a cruz diante das pessoas: “: Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me” – Marcos 8.34 cf. Mateus 16.24


    O evangelho nos transforma tirando nossos olhos de nós mesmos e não o contrário: “Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.” - 2 Coríntios 3:18 – E nos tornamos um espelho refletindo a glória de Deus e não nossa cultura. Nossa mensagem para o mundo é um mapa para essa realidade eterna e não um espelho refletindo o mundo.


    “Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim” – Gálatas 2.20. Em todas as suas cartas vamos ver Paulo falando sobre uma nova vontade, uma mente nova, um novo coração, um novo poder, um novo conhecimento, uma nova sabedoria, uma nova percepção, um novo entendimento, uma nova vida, uma nova herança, uma nova relação, uma nova justiça, um novo amor, um novo desejo... Somando tudo isso a Bíblia diz que é novidade de vida, novidade de vida!