• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    O Grand Canyon da Bíblia! | N°1 - Uma visão estonteante!


      

    Se fosse possível você adquirir um livro que contivesse nele a suma de uma vida inteira de pensamentos e experiências mais profundas em assuntos espirituais do maior líder cristão de todos os tempos, do homem que mais teve intimidade com Deus na história, você iria correr para comprá-lo? Você iria mergulhar nas profundezas da sabedoria sublime em cada sentença? E se toda essa sabedoria estivesse condensada em um texto que pode ser lido em apenas 19 minutos, você acreditaria? Esta é a carta de Paulo aos cristãos em Éfeso.


    Embora ela seja incrivelmente curta, eu estive lendo os sermões de Calvino sobre ela, e são 48 sermões totalizando 705 páginas. Só do capítulo 1, Lloyd-Jones pregou 37 sermões. O grande Puritano, Willian Gurnall (1616 – 1679 ) escreveu O Cristão com armadura completa – a obra tem 1.200 páginas para falar somente sobre Efésios 6.10-20.  Ou seja, 1.200 páginas para falar sobre 10 versículos! É porque há uma profundidade inimaginável nesta epístola tão breve. Como entender ou aplicar ela a nossa própria vida? É uma coisa imensa pensar nisso – ou escrever sobre ela. A única coisa que podemos fazer ao chegar a ela, é orar como Paulo Orou:


    “...lembrando-me de vós nas minhas orações: Para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos dê em seu conhecimento o espírito de sabedoria e de revelação; Tendo iluminados os olhos do vosso entendimento, para que saibais qual seja a esperança da sua vocação, e quais as riquezas da glória da sua herança nos santos; E qual a sobreexcelente grandeza do seu poder sobre nós, os que cremos, segundo a operação da força do seu poder” - Efésios 1:16-19


    Um famoso poeta inglês, Samuel Coleridge, disse que a Carta aos efésios é “a composição mais divina feita por um homem... o Grand Canyon da Bíblia” – porque – “é inacreditavelmente bela e  aparentemente inesgotável para aquele que separa tempo para contemplá-la” – Lloyd-Jones diz que Efésios é “a mais sublime e majestosa expressão do Evangelho”.


    Há algo interessante no ponto de partida dessa Carta, porque três manuscritos antigos omitem as palavras finais do primeiro versículo: “Paulo, apóstolo de Cristo Jesus pela vontade de Deus, aos santos e fiéis em Cristo Jesus que estão em Éfeso” - Efésios 1:1 – Em Éfeso não aparece em todos os manuscritos. Outros manuscritos tem as palavras. É estranho a palavra não está em alguns manuscritos, mas sem elas, a gramática do texto fica estranha, implicando que a alguma cidade ela foi designada. A maioria dos manuscritos gregos, porém, contêm as palavras. Assim ela foi associada a Éfeso. Mas como havia o interesse que a carta circulasse por outras igrejas na Ásia, se supõe que os que não contém as palavras, foi deixado um espaço em branco para se colocar o nome da igreja que também a receberia, apesar de originalmente ter sido endereçada a Éfeso.


    Na carta, Paulo trata de grandes Doutrinas do Evangelho, e não de problemas particulares de uma igreja local, uma congregação particular... por isso seria fácil a carta se tornar uma carta que poderíamos chamar de circular...


    Ela pode então circular por várias igrejas no oeste da Ásia Menor, mas Éfeso era a cidade mais importante da região. Efésios e Colossenses tem muitas coisas em comum, ambas, junto com Filipenses e Filemom, foram escritas por Paulo na prisão – ao que tudo indica, em Roma.


    Epafras, o provável fundador da igreja em Colossos, relatara a Paulo em Roma como a igreja estava. Existiam muitas razões para alegria e contentamento, mas também haviam – como sempre o erro encontra caminhos para penetrar na igreja – haviam também sérios problemas doutrinários lá. Então Paulo escreve aos colossenses para abordar isso, exaltando a pessoa e obra de Cristo como únicos.


    Refletindo e pensando no que escreveu aos cristãos de Colossos, Paulo foi tomado com a glória do propósito eterno de Deus para a Igreja, as riquezas infinitas da Graça do Pai para conosco em Cristo, e a maneira pelas quais essa grande verdade deve afetar completamente a maneira como vivemos. Sendo tomado por esse sentimento, ele escreve aos cristãos de Éfeso, pretendendo também que outros cristãos das igrejas daquela região, também tivessem acesso a carta.


    No mesma situação e momento, Ele, Paulo, escreve a breve carta a Filemom – para pedir perdão pelo seu  escravo fugitivo, Onésimo – a quem Deus chamou eficazmente através do apóstolo Paulo. Então ele envia as três cartas – Efésios, Colossenes e Filemom, para a região através de Tiquico, seu amigo e fiel colaborador que estava junto com ele em Roma ( Cl 4., Ef 6.21 e Filemom vivia em Colossos) – As cartas foram enviadas em algum momento dos anos 60-62 da nossa era.


    Efésios se divide em duas partes – Capítulos de 1 a 3 – onde Paulo apresenta nossa posição em Cristo estando assentado com Ele à direita do Pai, por causa tão somente de Sua Graça Soberana.  A ideia dominante é que a glória, poder e sabedoria de Deus são exibidos mais profundamente e completamente em Seu propósito eterno na Igreja, que é composta tanto de judeus como de gentios que foram reconciliados soberanamente  com Deus por Cristo.


    Depois dessa introdução, Paulo esboça as incomparáveis e inacreditáveis benções que já temos porque o Pai nos escolheu soberanamente segundo o beneplácito de sua vontade ( 1.4-6 ).


    Esse é o Plano do Pai, o Filho então nos redimiu ( 1.7-12), e o Espírito nos selou (1.13-14). Porque cada uma dessas verdades são imensamente importantes e tremendamente profundas, Paulo faz uma oração para que Deus abra nossas mentes para compreender as riquezas de tudo isso, de todas as coisas que Deus já nos deu quando nos fez membros do Corpo de Cristo, a Cabeça de todos nós ( 1.15-23)


    Quando chega no capítulo 2, Paulo passa a contrastar o que éramos por natureza antes de sermos soberanamente colocados em Cristo, MORTOS EM PECADOS, com o que Deus fez por nós tão somente pela Graça ( 2. 1-10 ).


    O Pai nos ressuscitou dos mortos e nos colocou assentados com Cristo no céu agora. Ele quer que todos nós – cristãos gentios – se lembrem constantemente que estávamos completamente alienados de Deus, e também das promessas de sua aliança, mas que agora, fomos trazidos soberanamente a Cristo e em Cristo. Que Jesus mesmo – não nos dá – mas ele mesmo é nossa paz – e que reconciliou gentios e judeus em um só corpo na cruz, de modo que de agora em diante, estamos sendo edificados juntos como morada de Deus no Espírito ( 2.11-22).


    Já no capítulo três Paulo inicia mencionando o fato dele ser um prisioneiro – prisioneiro de Cristo – não de Roma – para o bem dos gentios... todos nós. Ele não quer que de forma alguma sua prisão leve àqueles cristãos a duvidarem do soberano controle de Deus sobre todas as nossas provações e sofrimentos. Assim ele se aprofunda para mostrar a eles ( e a nós ) que Deus tinha agora revelado o mistério que esteve oculto em todos os tempos, que os gentios seriam co-herdeiros e membros do corpo de Jesus. Por isso, agora a multiforme sabedoria de Deus está sendo exibida na terra e no céu através da igreja de acordo com o propósito soberano e eterno de Deus. Como parte disso, as tribulações dele, Paulo, existem em favor dos gentios, para sua glória ( 3. 1-13 ).


    A visão dessas coisas grandiosas leva Paulo de novo a oração, para que segundo as riquezas de sua glória, Deus graciosamente conceda a esses cristãos a compreenderem algo do insondável amor de Cristo e fiquem então cheios de toda a plenitude de Deus ( 3.14-21 )


    Depois disso, Paulo nos capítulos 4, 5 e 6, mostra como a compreensão desse propósito soberano e glorioso de Deus e nossa posição final e inabalável em Cristo ( Capítulos 1, 2 e 3 ) deve nos levar a viver uma vida digna desse Evangelho no mundo.


    Do capítulo 4.1 ao 6.9 – Paulo mostra de maneira clara cinco “caminhadas” diferentes que são produzidas em nós com seus efeitos poderosos:


    O andar digno em um Corpo ( 4.1-16 ).

    O andar decidido do novo homem ( 4.17-32 ).

    O andar em amor, ou andar como filhos da luz num mundo mergulhado na escuridão ( 5.1-14 ).

    O andar em sabedoria em Cristo que afeta de forma total nossa vida em família – filhos, cônjuge... e nossa caminhar cristão no trabalho ( 5. 16 – 6.9).

    O andar e permanecer firme neste mundo mau... que tem dias maus especialmente ( 6.10-20 ).

    Como no capítulo dois o apóstolo nos descreve estando sentados em Crist no céu, descansando em Sua obra terminada, nos capítulos quatro e cinco, ele nos descrevendo caminhando neste mundo baseados naquela posição firme e definitiva.


    Sentados, retrata nossa posição definitiva em Cristo.

    Andar, retrata o viver nesse mundo.
    Permanecer firmes, descreve nossa resistência contra toda força espiritual do mal – mundo, carne, potestades... tudo por causa da nossa posição em Cristo.

    Enquanto vai desenvolvendo essas verdades impressionantes, Paulo introduz e enfatiza vários temas fundamentais.


    Um é o fato de Deus ter um Soberano e eterno propósito de reunir todas as coisas em Cristo, para a glória de Cristo ( 1.9-11; 3.11).

    A infinita salvação que Deus graciosamente nos concede apesar de nós mesmos, apesar de nosso pecado... para que sua graça soberana se mostre evidente  (1. 3-23; 2.1-22 ).

    Sobre essas coisas, a palavra “riquezas” aparece 5 vezes. A palavra “Graça” aparece 12 vezes. A palavra Glória aparece 8 vezes. A palavra plenitude, cheio ou preenchimento aparecem 6 vezes. Mas o termo “em Cristo” aparece 15 vezes. E porque todas essas coisas tão profundas sobre a Salvação soberana e o propósito eterno de Deus são naturalmente incompreensíveis para a mente do homem sem a ação soberana do Espírito, o apóstolo Paulo ora duas vezes para que Deus dê entendimento que seja sobrenatural dessas gloriosas verdades a eles ( 1.15-23; 3.14-21 ).


    Paulo quer que eles vejam que a salvação está associada inexoravelmente  a visão da igreja como o corpo de Cristo, e que isto está no coração do propósito de Deus ( 1.22,23; 2.19-22; 3.4-11; 5.25-27, 29-32).


    Juntamente relacionado a isso, está o mistério que no passado ficou escondido, mas que agora foi revelado, que a igreja é a nova criação... composta de judeus e gentios em situação de igualdade em Cristo ( 2.11-22/ 3.1-12 ). Isso para nos mostrar que a unidade da igreja é  muito importante, colocado como um tema dominante ( 2.14-22; 4.1-3,25 ).


    Nós falamos que havia certa correspondências em a carta escrita aos cristãos de Colossos e aos de Éfeso, mas apesar disso, em Colossenses temos apenas uma referência ao Espírito Santo (1.8), enquanto em Efésios ele assume um papel preponderante:


    Temos sido selados pelo Espírito como penhor de nossa salvação (1.13,14; 4.30 ).

    Temos total acesso ao Pai em um Espírito ( 2.18 ).

    Estamos sendo edificados como morada de Deus no Espírito (2.22).

    É o Espírito que revelou o mistério de Cristo aos apóstolos e profetas ( 3.5 )

    O Espírito que nos fortaleço no homem interior com poder ( 3.16 ).

    Somos chamados a manter a unidade do Espírito – não a criar... mas apenas manter o que Ele criou ( 4.3,4 ).

    Devemos dar atenção total a não entristecermos o Espírito Santo no qual fomos selados ( 4.30 ).

    Devemos ser cheios do Espírito Santo ( 5.18 ).

    Devemos usar a espada do Espírito ( 6.17 ).

    E todo tempo devemos orar no Espírito ( 6.20 )



    Mas Paulo sempre deixará claro que a centralidade de TODOS esses temas, é a supremacia do Senhor Jesus. Pois Deus propôs congregar todas as coisas no céu e na terra em Cristo ( 1. 10) – como consequência devemos conhecê-Lo em seu poder – para isso existimos ( 1.17,19 ). Deus Pai ressuscitou Cristo dentre os mortos e o colocou à Sua Direita, muito acima de todas as coisas, não só agora, mas por toda a eternidade ( 1.21-23 ). E tudo que Deus faz em nós – é centrado na pessoa e obra perfeita de Cristo e em nossa unidade ORGÂNICA com Ele. Estar nEle é expressão muito cara ao apóstolo Paulo. Enquanto andarmos lentamente por essa carta... esses são os temas que devem ser aprofundados.


    Devemos manter em nossas mentes, que essas verdade profundas e insondáveis, não foram escritas para brilhantes estudiosos e grande teólogos, mas para os membros comuns da igreja... muitos dos quais eram escravos e totalmente desprezados em sua cultura. Grande parte deles eram gentios que tinham vivido na mais profunda e degradante idolatria, sem qualquer conhecimento de Deus.


    Devemos lembrar que Éfeso era muito famosa por seu tempo a Diana, ou Artemis – uma estrutura – o templo – quatro vezes maior do que o tão famoso Partenon em Atenas – que é visitado até hoje.


    Esse templo em Éfeso era considerado uma das sete maravilhas do mundo antigo... Artemis, tão grande, adorada e venerado por todo o império romano, era adorada através de encontros imorais com suas sacerdotisas prostitutas, por exemplo. Nesta atmosfera é que essas pessoas viveram antes de se converterem e depois de se converterem. O festival anual em Éfeso para Diana, atraía multidões para Éfeso como o carnaval faz no Brasil. Gerando receitas e riquezas abundantes para seu comércio e população. Quando o evangelho começou afetar as vendas do santuário... houve um grande motim dos ourives cuja riqueza dependia daquele negócio. Éfeso era o centro de artes ocultas em todo o império romano. Quando os cristãos queimaram seus livros ocultistas, Lucas diz que eles valiam 50.000 peças de prata – o que é equivalente a 50.000 dias de salário ( At 19.18-41 )!


    Foi para homens que viviam assim , homens comuns, que tiveram essa bagagem de uma criação numa cultura pagã e totalmente imoral, que Paulo escreveu sua carta.


    E ele comela a colocar para eles estes grandes temas – como a escolha soberana de Deus – Eleição, e a Predestinação de todos os eleitos em Cristo antes da fundação do mundo ( 1.4-11 ) – coisas que eram essenciais para eles – e para todo verdadeiro cristão – para que não só venhamos a conhecê-las, mas a nos regozijar nelas, se queremos realmente vidas santas neste mundo mau – como Éfeso era.

    Nenhuma dessas doutrinas são opcionais – elas são essenciais, e sem elas, você perde o Evangelho.


    Com tudo isso em mente, podemos olhar rapidamente para efésios 1.1-2:  “Paulo, apóstolo de Jesus Cristo, pela vontade de Deus, aos santos que estão em Éfeso, e fiéis em Cristo Jesus: A vós graça, e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo!”


    Deus quer que todos nós saibamos  QUEM somos em Cristo e COMO chegamos a ESTAR em Cristo.


    Primeiro temos Paulo – autor da carta. Ele ao fazer a descrição de si mesmo, nos ensina algumas coisas sobre quem ele era e como veio a ser quem ele é.
    Depois há os cristãos em Éfeso. Sua descrição deles nos ensina muito sobre quem somos de fato e como chegamos a ser isso.


    Então Paulo resume como ele e todos nós, viemos experimentar esta grande salvação na qual estamos firmes.


    "Paulo, apóstolo de Cristo Jesus pela vontade de Deus ..." (1: 1a).


    O nome de Paulo de fato era Saul. Ele era judeu da tribo de Benjamim, que era a tribo do primeiro rei de Israel – Saul. Paulo foi educado e treinado por um rabino famoso chamado Gamaliel ( At 22.3 ) Ele tinha avançado muito no Judaísmo, superando muito todos os outros, sendo totalmente e extremamente zeloso das tradições judaicas ( Gl 1.14 ). Ele aprovou e apoiou calorosamente a morte de Estêvão. A Bíblia diz que Paulo estava devastando a igreja – indo de casa em casa e arrastando homens, mulheres e seus filhos para serem presos, mortos... ( At 8.3;9.1).


    Indo a Damasco em meio a perseguição e fúria – A Bíblia diz que ele respirava ódio, como uma fera, contra a igreja. Paulo é o exato protótipo de como não é o homem que busca Deus, mas Deus busca seus eleitos. Deus soberanamente interviu na sua vida. Uma luz repentina – mais brilhante que o sol do meio-dia, o cegou... Ele ouviu: “Saulo, Saulo, por que me persegues?” – Ele respondeu: “Quem és Senhor?” – “Eu sou Jesus, a quem tu persegues...” ( At 9.4-6).


    Paulo não estava insatisfeito com o Judaísmo, não estava buscando a Deus, ele não estava numa fase da vida que estaria considerando alternativas religiosas... ele esta empenhado  para ir militantemente contra tudo o que dizia a respeito de Cristo e ao evangelho. ( Gl 1.15,16 ). Mas ele diz: “Deus que me separou no ventre da minha mãe e me chamou por sua graça”


    Ou seja, Paulo não teve nada a ver com sua conversão... sua nomeação para apóstolo... Em vez disso – tudo aconteceu pela soberana vontade de Deus  e na hora determinada por Deus. Tudo que Paulo fez foi se opor feroz e freneticamente a Deus – quando Deus na hora que quis o parou literalmente, o cegou fisicamente, mas ao mesmo tempo abriu seus olhos  espirituais para ver Jesus ressuscitado. E Deus o separou  e enviou ele a pregar o evangelho, especialmente aos gentios, que antes, como um fariseu, ele desprezava completamente.


    Toda conversão verdadeira é assim – não buscamos Deus, ele nos buscou.
    Podemos olhar para a conversão de Paulo ( e a nossa ) e perguntar: Quem buscou quem?

    Olhe e responda:
    Paulo correu de Cristo; Cristo o perseguiu e o alcançou.
    Paulo resistiu a Cristo; Cristo o venceu e o desarmou.
    Paulo perseguia Cristo; Cristo o converteu.
    Paulo era um estrangeiro, um estranho; Cristo o fez membro da família.
    Paulo era um inimigo; Cristo fez dele um amigo.
    Paulo estava “na carne”; Cristo fez dele um homem “no Espírito”.
    Paulo odiava a igreja; Cristo o fez amar e gastar sua vida pela igreja.
    Paulo estava sob a Lei; Cristo o colocou sob a Graça.
    Paulo estava morto; Cristo o fez vivo para Deus...
    Agora me diz: Quem buscou quem? Quem escolheu quem?

    Paulo responde: “Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; E nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade” - Efésios 1:4-5


    Se realmente conhecemos Cristo como nosso Salvador, sabemos que não foi de forma nenhuma algo iniciado ou feito por nós. Estávamos espiritualmente mortos em nossos pecados ( Ef 2.1 ). Vivendo, como diz Paulo, na futilidade, obscurecidos em nosso entendimento, excluídos e alienados da vida de Deus por causa da ignorância que nos dominava, e estávamos totalmente entregues à sensualidade, impureza e amor ao dinheiro ( 4.17-19 ).


    Vivendo nesta condição, as palavras maravilhosas de Efésios 2.4,5 invadiram nossas vidas: “Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do seu grande amor com que Ele nos amou, mesmo estando nós mortos em nossas transgressões, nos ressuscitou juntamente com Cristo ( pela Graça sois salvos )” Foi tudo por causa do “mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que propusera em si mesmo” - Efésios 1:9

    E quando finalmente Paulo descreve os cristãos em Éfeso, ele diz muito de como chegamos a ser o que somos: "Aos santos que estão em Éfeso e que são fiéis em Cristo Jesus" (1: b).


    A primeira coisa é essa: somos “santos”. Ele não está usando o termo como para descrever crentes extraordinários, que estão num nível acima dos outros, não, na Bíblia todos os que estão em Cristo são santos. “Separados”, “santos, “santificados...” Ou seja, fomos separados do mundo e purificados de toda a culpa pelo sacrifício final de Cristo em favor dos eleitos ( Hb 10.10,14 ). Estamos agora separados desse mundo maligno, separados para Deus e seus santos propósitos: “Porque Deus nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis em sua presença. Em amor nos predestinou para sermos adotados como filhos por meio de Jesus Cristo, conforme o bom propósito da sua vontade” - Efésios 1:4,5.


    A segunda descrição dos cristãos que Paulo faz aqui, é que são “fiéis em Cristo Jesus” – Fiel pode significar obediente... mas aqui, o significado é de “crentes”. Não existe salvação sem o homem ser levado a crer pessoalmente em Jesus e sua obra... expiação, propiciação... Cristo é o objeto da fé... ninguém creu nele verdadeiramente sem compreender o que Ele é e o que Ele fez.


    A fé salvadora é um dom de Deus ( Ef 2.8,9, Fil 1.29 ), é um dom que nos leva a fazer algo. Quando Deus, ao nos regenerar soberanamente, abre nossos olhos cegos para vermos nossa condição miserável ao mesmo tempo que vemos pela primeira vez a beleza de Cristo, seu sacrifício, sua expiação, sua propiciação... neste instante sabemos e conhecemos nossa impotência e depravação total, e corremos para Cristo. Nos lançamos totalmente em Cristo.


    Deus nos coloca então “em Cristo, para que tudo que é verdadeiro sobre Ele, passe a ser verdadeiro sobre nós por causa dEle: “É, porém, por iniciativa dele que vocês estão em Cristo Jesus, o qual se tornou sabedoria de Deus para nós, isto é, justiça, santidade e redenção, para que, como está escrito: "Quem se gloriar, glorie-se no Senhor". - 1 Coríntios 1:30,31


    Então, finalizando, Paulo resume como passamos experimentar esta grande salvação na qual estamos firmes ( 1.2 ).


    "Graça a vós e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo".
    Esta, apesar de ser uma saudação “comum” do apóstolo Paulo, é profunda. Como já foi dito, “nenhuma palavra é mais importante em toda a nossa fé do que  ‘graça’ e ‘paz’’.


    A Graça é o princípio da nossa fé.
    A paz é o fim de nossa fé.


    Graça é o favor imerecido de Deus. Nós merecemos sua Ira e Juízo – e ele nos deu soberanamente o oposto do que merecemos. A paz com Deus é a necessidade mais básica de um pecador nascido em Adão. Nada que podemos fazer poderia apaziguá-lo – nossos sacrifícios e boas obras merecem mais da ira de Deus. São totalmente contaminados. Paulo enfatiza no capítulo 2.14 – “Ele mesmo é a nossa paz” – Cristo ao fazer a expiação e propiciação pelos eleitos, nos reconciliou com Deus – Agora temos essa paz com Deus que reina em todas as situações – mesmo naquelas em que o homem entra em desespero... nos filhos de Deus, essa paz reina. Tendo um coração transformado assim, Deus também nos reconcilia uns com os outros.


    Quando a Graça soberana nos alcança no tempo determinado por Deus, somos levados a cruz, e agora, em vez de ser nosso Juiz, Deus se torna nosso Pai e Jesus Cristo nosso Senhor! Não mais fugimos de Deus, corremos para ele: “Sendo assim, aproximemo-nos de Deus com um coração sincero e com plena convicção de fé, tendo os corações aspergidos para nos purificar de uma consciência culpada e tendo os nossos corpos lavados com água pura.” - Hebreus 10:22


    Em oposição ao que éramos... em vez de com orgulho dirigirmos nossas vidas e viver para promover nossos interesses, nos submetemos pronta e alegremente ao nosso Mestre e Senhor, procurando, já tendo sido totalmente salvos para sempre, fazer a Sua vontade, pois essa é agora o nosso deleite.


    Nesse breve panorama introdutório de Efésios, você conhece pessoalmente de tudo isso que foi falado? Deus interveio soberanamente em tua vida e te regenerou soberanamente, resgatou de teus pecados e te deu um deleite em viver para Ele? Teus olhos foram realmente abertos para ver e se encantar com a beleza daquele que se ofereceu sobre a cruz Omo um substituto para os eleitos? Se isso é verdade para você, como era para aqueles crentes em Éfeso, agora você é um santo em Cristo, separado por Deus soberanamente deste mundo mau, filho de Deus. Você agora se deleita em sua graça soberana e desfruta de sua paz.


    Esse foi um sobrevoo de helicóptero sobre o Grand Canyon da Bíblia que a carta aos efésios é. Agora eu quero que saiamos do helicóptero, e comecemos a caminha por essa imensidão... será uma longa caminhada, mais as belezas serão inacreditáveis. Olhar cada paisagem e tesouros dessa grande Salvação em Cristo Jesus.