• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    O Grand Canyon da Bíblia! | N° 3 - A Primeira Benção Espiritual: Eleição Soberana!






    No artigo anterior ( N°2 - Começar com Deus e esquecer de si mesmo ) meditamos apenas em Efésios 1.3, e falamos apenas sobre como em Cristo temos TODAS de bênçãos: “... o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo” - Efésios 1:3.


    Quando Paulo começa nesta carta a falar sobre essas bênçãos espirituais, qual a benção espiritual que ele menciona primeiro? Qual tem essa proeminência?


    Estranhamente, aquilo que Paulo coloca em primeiro lugar aqui entre essas bênçãos espirituais em Cristo, é algo rejeitado ou visto como um problema para muitos “cristãos” hoje, por causa de um “evangelho” totalmente formatado de acordo com o humanismo secular.


    Você faria como Paulo e colocaria em primeiro lugar a doutrina da Eleição Soberana? Essa carta, onde andamos nos lugares mais elevados nas Escrituras, começa assim – Você começaria assim?


    Paulo diz: “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo” - Efésios 1:3 – A primeira coisa que ele menciona é: “Porque Deus nos escolheu ( Elegeu ) nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis em sua presença. - Efésios 1:4. Essa é a primeira benção espiritual em Cristo.


    Nenhum de nós poderá adorar a Deus realmente e corretamente  pela Salvação, se ocultarmos, nos esquivarmos ou negarmos essa Verdade: Sua Escolha Soberana na eternidade de todos os que Ele salva em Cristo.


    O incrível não é o fato de alguns não colocarem essa benção espiritual em Cristo em primeiro lugar, o inacreditável é que muitos “cristãos” professos a negam abertamente. Ou a mencionam constrangidos. Ou dizem crer nela, mas nunca a proclamam. Quantos sermões você ouve regularmente sobre esta benção espiritual pela qual Paulo está bendizendo a Deus em primeiro lugar?


    Mesmo quando alguém não a nega, o simples ato de se esquivar daquilo que o Espírito Santo colocou com primazia – como aqui – nas Escrituras, é um grande pecado. Todos devemos lidar com temor e maravilhados com a Palavra inspirado de Deus... olhe para Paulo: “Bendito seja Deus... todas as benção espirituais em Cristo... porque nos Elegeu nele ( Cristo ) antes da fundação do mundo!” – Te parece alguém constrangido. Ou que ousaria negar tal coisa? Não! Ele a coloca em primeiro lugar no livro mais profundo da Bíblia.


    Devemos abortar toda a verdade, e sempre com um senso de maravilha e adoração: “Bendito seja Deus... que nos Elegeu...!” Devemos sempre vir com o coração submisso a Palavra de Deus – sem consultar o homem ( inclusive nós mesmos ), sem influência externa qualquer... que dirá do humanismo secular. Se achamos que podemos questionar isso que Paulo põe em primeiro lugar... devemos lembrar que outros já fizeram nas próprias páginas da Bíblia, e o mesmo Paulo respondeu: “Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim? Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra?” - Romanos 9:20,21.


    Deus leva Paulo a abrir esta grande carta assim, colocando na frente e no centro da edificação de toda nossa fé em tudo que Ele por Graça fez em nós em Cristo – Eleição – para percebermos que tudo se inicia com Ele, continua por Ele e termina para a glória dele. A única coisa que podemos fazer e nos inclinar submissos a Palavra, mas mais do que isso, maravilhados: “Bendito seja Deus!”


    Quando passamos a olhar para Efésios 1.3,4 juntos, vemos que em primeiro lugar – uma das maiores bênçãos espirituais que Deus nos deu em Seu Filho foi nos escolher nele antes da fundação do mundo para sermos santos e irrepreensíveis diante dele.


    Paulo não escreveu essa carta para eruditos, mas para os cristãos comuns de Éfeso... muitos sem grande formação, outros escravos... e sem desculpa, ou grandes explicações... ele começa enumerar essas bênçãos, afirmando  que Deus nos escolheu e predestinou para adoção de filhos: “Como também nos ELEGEU nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; E nos PREDESTINOU para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade” - Efésios 1:4,5


    Mas nossa intenção hoje é ficar apenas no verso 4: “Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele” - Efésios 1:4

    Por que essa doutrina, Deus nos escolher na eternidade em Cristo é uma das maiores bênçãos espirituais, e a que Paulo põe aqui em primeiro lugar? Por que ela definitivamente garante nossa salvação... e não dá espaço para confusões ou distorções que alguns colocam, porque ele diz a razão da Eleição: “Para que fôssemos santos... diante dele”.


    Essa Eleição é o ato salvífico de Deus antes da fundação do mundo, em que Ele escolheu para a salvação, não por qualquer contagem de méritos previstos, mas tão somente por seu beneplácito, seu Soberano prazer. Em todos os léxicos gregos, você verá que escolheu aqui – significa escolher por si mesmo.


    A primeira coisa que essa primeira benção espiritual em Cristo mencionada por Paulo mostra, é que NINGUÉM é CAPAZ, ou tem qualquer inclinação a e para escolher Deus a menos que Deus o tenha escolhido primeiro na eternidade.


    A Eleição é incondicional, ou seria uma farsa. Ou seja ela não pode estar baseada em nada previsto no homem, ou não seria a Eleição da Graça, mas baseada no homem, o que seria a negação de tudo o que a Bíblia ensina. A Bíblia sempre é muito clara ao tratar disso:

    “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie; Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus...” - Efésios 2:8-10.


    “Todavia, antes que os gêmeos nascessem ou fizessem qualquer coisa boa ou má — a fim de que o propósito de Deus conforme a eleição permanecesse, 12 não por obras, mas por aquele que chama — foi dito a ela: “O mais velho servirá ao mais novo” 13 Como está escrito: “Amei Jacó, mas rejeitei Esaú” E então, que diremos? Acaso Deus é injusto? De maneira nenhuma!15 Pois ele diz a Moisés: “Terei misericórdia de quem eu quiser ter misericórdia e terei compaixão de quem eu quiser ter compaixão” 16 Portanto, isso não depende do desejo ou do esforço humano, mas da misericórdia de Deus. 17 Pois a Escritura diz ao faraó: “Eu o levantei exatamente com este propósito: mostrar em você o meu poder, e para que o meu nome seja proclamado em toda a terra” 18 Portanto, Deus tem misericórdia de quem ele quer, e endurece a quem ele quer.” Romanos 9.11-18.


    “Assim, hoje também há um remanescente escolhido pela graça. 6 E, se é pela graça, já não é mais pelas obras; se fosse, a graça já não seria graça.” – Romanos 11.5,6.


    Se Deus nos escolhesse por ver, em sua presciência eu o escolheríamos, Ele não teria nos escolhido, teria apenas respondido a nossa escolha – é muito grave procurar eufemismos para negar a Verdade clara das Escrituras. Essa inversão negaria a ênfase maravilhada de Paulo e o faria mentiroso, pois diz: “Bendito seja Deus... que nos Escolheu antes da fundação do mundo...” – quando de fato seria o contrário a realidade.


    Só temos duas opções: Ou Deus nos escolheu de acordo com sua Vontade – seu beneplácito – fora de qualquer coisa em nós, qualquer coisa que tenhamos feito, pensado dito... ou Sua escolha Soberana e por Graça seria uma farsa e um jogo enganoso de Palavras.


    Se estávamos todos mortos, “Vocês estavam mortos em suas transgressões e pecados” – Efésios 2.1 – O que havia para Deus prever? "Estávamos todos perdidos em Adão; E, portanto, se Deus não nos tivesse impedido de perecer, por meio de sua própria eleição, não havia nada a ser previsto ".  ( Calvin's Commentaries [Baker], on Eph. 1:4 , p. 198).


    Deus diz claramente ter escolhido os piores, exatamente para que nenhuma carne se gloriasse diante dele:


    “Mas Deus escolheu o que para o mundo é loucura para envergonhar os sábios, e escolheu o que para o mundo é fraqueza para envergonhar o que é forte. 28 Ele escolheu o que para o mundo é insignificante, desprezado e o que nada é, para reduzir a nada o que é, 29 a fim de que ninguém se vanglorie diante dele. 30 É, porém, por iniciativa dele que vocês estão em Cristo Jesus, o qual se tornou sabedoria de Deus para nós, isto é, justiça, santidade e redenção, 31 para que, como está escrito: “Quem se gloriar, glorie-se no Senhor” – 1Co 1.27-31.


    Tudo que Deus podia ver ao olhar o futuro de homens fora de Cristo é morte espiritual e rejeição a Ele: “Como está escrito: Não há nenhum justo, nem um sequer; 11 não há ninguém que entenda, ninguém que busque a Deus. 12 Todos se desviaram, tornaram-se juntamente inúteis; não há ninguém que faça o bem, não há nem um sequer” – Romanos 3.11-13.


    Todos que negam a Eleição Soberana, tem que inexoravelmente negar a incapacidade dos pecadores de vir a Cristo por meios próprios – mesmo estando mortos em delitos e pecados. Alguns teólogos tentaram contornar essa contradição, dizendo que Deus deu “graça preveniente” a todos, para que eles fossem capazes de responder, se quisessem, ao chamado do Evangelho. Toda a tentativa é encontrar um meio disso ser aceito como o humanismo secular vê a vida.


    Jesus declara claramente: “É por isso que eu lhes disse que ninguém pode vir a mim, a não ser que isto lhe seja concedido pelo Pai” – João 6.65. Ninguém  pode, ninguém é capaz. Se o Pai concedesse isso a todos, a declaração de Cristo não faria sentido, e todos teriam que vir, pois Cristo também diz: “TODO o que o Pai me dá VIRÁ a mim” - João 6:37.


    Já em Mateus 11.27, Jesus diz: “Ninguém conhece o Filho a não ser o Pai, e ninguém conhece o Pai a não ser o Filho e aqueles a quem o Filho o quiser revelar.” – Ou seja, conhecer o Pai depende totalmente do Filho escolher revelar o Pai ao indivíduo, o que Ele não faz a todos. Mas logo depois dessas palavras, qual é a próxima frase a sair da boca de Jesus? “Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso.” (verso 28). Vemos que Jesus não véu contradição em dizer: “Ninguém pode conhecer, a menos que eu queira revelar...” e depois fazer o chamado geral: “Vinde a mim” – Junto com Jesus, não achamos contraditório. O homem tem o dever moral, porque ele foi criado com capacidade moral de fazer escolhas ( Mente, vontade...)  sua incapacidade é espiritual. Ou seja, sua vontade é escrava do pecado e ele está morto em delitos e pecados. Seria contraditório e injusto,   uma ordem para que o homem, por exemplo, voasse. Porque não foi dado a ele “equipamento” necessário. Asas... Mas Ele foi criado com capacidade moral de fazer escolhas, e faz escolhas... mas sempre de acordo com sua natureza caída e inimiga de Deus. Sua incapacidade espiritual não é um atenuante para sua culpa, é um agravante, já que ela é uma consequência da queda, do seu pecado... você não pode usar a consequência do pecado como um atenuante para Ele. Seria como o homem que assassinou seu pai e sua mãe, pedir clemência ao Juiz baseado no fato dele ser órfão.


    Sempre que alguém diz ter dificuldade com o fato da escolha de Deus ser última e a do homem, penúltima, ou seja, resultado da escolha soberana de Deus, eu lhe faço perguntas até ele enfrentar a realidade. Eu pergunto.


    - Por que você creu e outros não creram? Por que você é salvo e outros estão perdidos?

    - “Por que eu me arrependi e eles não”

    - E por que você se arrependeu e eles não?

    - “Porque eu admiti meus pecados e eles não”

    - E por que você admitiu teus pecados e eles não?

    - “Porque eu enfrentei a realidade sem racionalização e eles não.”

    - E por que você enfrentou a realidade sem racionalização e eles não?

    - “Porque eu não fui orgulhoso e eles foram.”

    - E por que você não foi orgulhoso e ele foram?

    - “Porque eu fui mais humilde que eles”


    Ah! Você vê? Se as perguntas continuam... e podíamos continuar ainda, a pessoa tem que admitir que ela é salva porque ele é melhor, é boa, mais humilde, menos orgulhosa em relação aos outros... ou seja, ela é salva pela sua bondade... e essa bondade é que a diferenciou dos que se perdem. A salvação é centrada nela. Não tem como escapar.


    Mas a Bíblia diz que Deus escolheu os piores. E diz que: Não há nenhum justo, nem um sequer; 11 não há ninguém que entenda, ninguém que busque a Deus. 12 Todos se desviaram, tornaram-se juntamente inúteis; não há ninguém que faça o bem, não há nem um sequer” – Romanos 3.11-13.


    Quando Paulo diz: “Porque Deus nos escolheu ( Elegeu ) nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis em sua presença. - Efésios 1:4. – Temos que perverter toda a Bíblia para significar: “Nós escolhemos Deus primeiro”


    A segundo coisa fundamental, é que essa... Ele nos “escolheu em Cristo” – não por meio de qualquer coisa em nós mesmos, mas somente pelo que Cristo fez, nos colocando nEle soberanamente antes da fundação do mundo.
    Paulo diz: “Ele nos escolheu nEle.” E como vimos no verso 3, recebemos todas as bênçãos espirituais “em Cristo”. “Se somos escolhidos em Cristo, não é de nós mesmos…. Em suma, o nome de Cristo exclui todo mérito, e tudo o que os homens têm de seu próprio; Pois quando ele diz que somos escolhidos em Cristo , segue-se que em nós mesmos somos indignos”. ( Calvin's Commentaries [Baker], on Eph.).


    Muitos, num desespero ímpio, tentam desvirtuar as palavras de Paulo que não tem nada da ambíguas. É triste termos que gastar tempo, em vez de estarmos nos deliciando com a Verdade como Paulo: “Bendito seja Deus... que nos escolheu...” – tendo que refutar erros que nascem na igreja e de supostos cristãos. Mas todos esses erros simplesmente inundam a igreja de nossos dias. Alguns chegam a dizer, contra toda a lógica clara desse e de todos os textos que tratam desse assunto, que no verso 4 de Efésios 1, Paulo não ensina que Deus escolhe indivíduos, mas que escolheu Cristo e aqueles que creem nele pelo “livre-arbítrio”, são escolhidos em sentido de grupo e não individualmente. Todo esse esforço é para negar a escolha soberana de Deus tão claramente ensinada.


    Mas é evidente, que essa é apenas uma forma patética de tentar se esquivar do claro ensino da Palavra inspirada e infalível de Deus. “Ele nos escolheu!” – não é de forma alguma ambíguo! O “Nós” se refere a pessoas, indivíduos na a igreja. É necessário desonestidade intelectual dizer que sendo tão claro como é, Paulo na verdade queria dizer: “O que eu realmente estou querendo ensinar, é que Deus escolheu Cristo e então se por nosso livre-arbítrio nos escolhermos Cristo, estaremos inclusos, porque na verdade não foi Deus que nos escolheu, mas nós que escolhemos Ele”. Mas Paulo diz claramente: “Ele nos escolheu!”


    Paulo no verso 4, está enumerando a primeira de todas as “bênçãos espirituais que Ele nos DEU em Cristo... nenhuma delas é obra nossa. Ele nos DEU em Cristo. Por isso Ele começa com um “Bendito seja Deus!” Todas as bênçãos espirituais foram dadas a nós em Cristo.


    Spurgeon diz: "Deus nos chamou em Cristo. Ele nos justificou em Cristo. Ele nos santificou em Cristo. Ele nos aperfeiçoará em Cristo. Ele nos glorificará em Cristo. Temos tudo em Cristo, e não temos nada além ou fora de Cristo ".


    Paulo está usando essa palavra “nEle”, exatamente para tirar completamente todo nosso raciocínio ou pensamento de algo sobre nós mesmos, e nos concentrarmos totalmente me Cristo – tudo sendo recebido soberanamente pelos méritos somente do Salvador. Nunca, nada em nossa salvação deve ser rastreado até ser encontrada sua origem em nós mesmos. Nossa fé, nosso arrependimento... tudo vem a nós como um dom da Graça. Fomos escolhidos ( Eleitos ) nEle: “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual... em Cristo” – Verso 3.


    Tudo começa nEle, porque tudo termina nEle. Não é sobre nós esse Plano Eteno. A benção de sermos salvos  é parte de um Plano, mas esse plano eterno tem como objetivo Deus Glorificar a si mesmo. Sua Glória eterna! Por isso Paulo acrescenta o “antes da fundação do mundo!” Já falamos que do verso 3 ao 14 temos uma única frase no grego. Nesta frase enorme e inimaginável para nós, Paulo enfatiza num fôlego só – sem ponto – o Plano de Deus Glorificar a si mesmo. Não somos o propósito do Plano.


    Deus é o ser único e mais valioso que existe. Só Ele tem a vida em si mesmo... tudo o mais depende dele e é contingente. Seria inconcebível, que esse Deus perfeito e digno de Toda Glória, infinitamente sábio... criasse sem tem um plano para o que estava fazendo.


    Nenhum construtor, mesmo neste mundo “louco”, faz algo sem qualquer objetivo ou plano – sem um plano em mente de antemão. Ou sem a capacidade de realizá-lo, a não ser que falemos de um homem completamente louco.


    Esse Deus infinitamente sábio não criaria um universo inteiro – material e espiritual, sem um plano para ele ou sem a capacidade de realizá-lo. Nem faria um Plano Eterno para glorificar a Si mesmo que fosse dependente da vontade de homens rebeldes, que amam as trevas, e que suas mentes são inimizade contra Ele.


    “Antes da fundação do mundo!” Aí se deu a escolha soberana de Deus. Quando a queda aconteceu, Deus não disse espantado. “Agora terei que refazer meu Plano! Tudo está indo por água abaixo... vou ter que tentar consertar esse desastre”. Não! Ele teria que ser um Deus mutável, que comete erros, que não é Onisciente... E se Ele não estivesse no controle Soberano e absoluto do seu Plano... o que nos garantiria que Ele não teria que mudar tudo de novo? Como poderíamos ter certeza que agora esse plano remendado funcionaria? Pensar isso é uma blasfêmia! Como poderíamos saber que temos para sempre todas a sorte de bênçãos espirituais em Cristo? Se Ele não fosse soberano sobre tudo, incluindo as más ações dos homens, demônios... como saberíamos que finalmente suas promessas se concretizariam ou se novos contratempos não surgiriam?


    Essa ênfase de Paulo: “Antes da fundação do mundo” – é colocada aqui exatamente para nosso total conforto e segurança – que Ele nos abençoou com toda a sorte de bênçãos... e que a primeira delas, é nossa Eleição... e que ela foi feita “antes da fundação do mundo”, antes da queda... antes de qualquer coisa criada existir.


    Esses escolhidos, não são uma reflexão tardia de um Deus que está se esforçando para consertar as coisas que não deram certo. Ele colocou seu amor sobre nós, antes de criar o primeiro anjo, céu, terra, homens... universo. Significa que nossos nomes ( dos eleitos ) estão escritos no Livro da Vida do Cordeiro antes da Fundação do mundo.


    “...adorá-la-ão todos os que habitam sobre a terra, aqueles cujos nomes não foram escritos no Livro da Vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo.”

    “...aqueles que habitam sobre a terra, cujos nomes não foram escritos no Livro da Vida desde a fundação do mundo, se admirarão...” – Apocalise 13.8; 17.8.


    O Deus que planejou e escolheu antes da fundação do mundo, vai levar seu plano a conclusão exata do que Ele Decretou.


    Sempre surgem perguntas totalmente desconectadas com o claro ensino bíblico, como por exemplo: “Se Deus escolheu soberanamente salvar alguém, então essas pessoas poderão viver como quiserem...” – Mas o texto não poderia ser mais claro do que é sobre o propósito da Eleição.


    Essa é a primeira benção mencionada por Paulo depois de dizer que somos abençoados com toda a sorte de bênçãos espirituais em Cristo, porque essa benção – a Eleição – é a GARANTIA de que nos tornaremos santos e irrepreensíveis diante dele.


    Qual é o propósito? Deus nos escolheu “para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele...”

    Paulo sempre repete essa verdade:

    Esse é um santo chamado: “...que nos salvou e nos chamou com santa vocação; não segundo as nossas obras, mas conforme a sua própria determinação e graça que nos foi dada em Cristo Jesus, antes dos tempos eternos” – 2 Tm 1.9.


    Ele nos predestina para sermos como Seu Filho:Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. 30 E aos que predestinou, a esses também chamou; e aos que chamou, a esses também justificou; e aos que justificou, a esses também glorificou..” – Romanos 8.29,30.


    Esse último texto nos dá oportunidade de falar sobre esse – “os que de antemão conheceu...” – Essa palavra não é usada no sentido de simplesmente conhecer o futuro de todos os que viveram. ( Rm 11.2; 1Pe 1.2,20, At 2.23).


    "Deus me conheceu de antemão!”
    Eleitos de acordo com a presciência de Deus.
    Mas o que isso significa?

    Significa que eu realmente me elegi e então Deus soube que eu faria isso, então ele me escolheu com base na minha auto-eleição.

    É isso que "a presciência de Deus" é o ensino?

    “Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós” - João 15:16. Nossa escolha de Deus é baseada em Deus nos escolhendo, e não vice-versa.

    A presciência de Deus de seu povo não é meramente sua consciência do que eles farão. ( Quem estaria criando o futuro que Deus viria a conhecer? )
    Sua presciência de seu povo é o seu reconhecimento de que eles são seus, ou o seu reconhecimento deles. Deixe-me dar seus dois exemplos desse tipo de conhecimento.


    1. No Salmo 1: 6 diz: "O Senhor conhece o caminho dos justos, mas o caminho dos ímpios perecerá."

    Isto não significa que ele está ciente do caminho do justo, mas é ignorante do caminho do ímpio. Isso significa que ele reconhece o caminho dos justos. O conhecimento que Deus tem de seu povo é a sua aprovação e reconhecimento.

    2. Em Amós 3:2 Deus diz a Israel: "Vocês só tenho conhecido entre todas as famílias da terra." – “De todas as famílias da terra só a vós vos tenho conhecido” - Amós 3:2 – A NVI já coloca direto o significado: "Escolhi apenas vocês de todas as famílias da terra; por isso eu os castigarei por causa de todas as suas maldades". - Amós 3:2


    Isso, é claro,  não significa que Deus está apenas ciente da existência de Israel e não estava ciente da existência das outras nações, mas que ele só reconhece Israel como seu.  Ele só reconhece Israel como seu povo.


    Você vê que em Romanos 8 Ele diz: “Porquanto AOS que de antemão conheceu, TAMBÉM os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho” (V.29) - Ele não diz alguns dos que ele conheceu Ele predestinou. Mas todos os que Ele conheceu. Se sua presciência aqui fosse – estar prevendo o futuro – então ele conhece a todos assim. Mas aqui Ele fala que ...

    TODOS que Ele conheceu de antemão, a estes Ele predestinou...
    TODOS que Ele conheceu Ele PREDESTINOU.
    TODOS que Ele predestinou Ele CHAMOU.
    TODOS que Ele chamou Ele JUSTIFICOU.
    TODOS que Ele justificou Ele GLORIFICOU.


    Como nem todos os que Deus conhece o futuro, são chamados, justificados e glorificados, é óbvio que o sentido aqui é outro.


    Por exemplo, em Jeremias 1:5, Deus diz a Jeremias: "Antes que eu te formasse no ventre [sua mãe] Eu te conheci ..." O que significa isso? Esse “conheci”, não é previsão do futuro, pois nesse aspecto, ele conheceu todo mundo.


    O que isso significa? Será que isso significa: "Antes de você estar no ventre de sua mãe, eu sabia que você ia nascer?"  É claro que não é isso que Deus estaria dizendo. É meio óbvio. Obviamente, Deus sabe de tudo. Mas Deus está dizendo algo específico sobre Jeremias.


    Deus diz isso, porque na Bíblia, como já vimos, a palavra conhecer não significa apenas saber. Quando por exemplo, é dito em Gn 4.1: E CONHECEU Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz a Caim, e disse: Alcancei do SENHOR um homem. - Gênesis 4:1 – Significa que Adão soube que Eva estava lá e de repente ela ficou grávida? Não, é claro. Significava muito mais.


    Quando Deus diz: “Eu te conheci Jeremias, antes de você nascer” – não é eu sabia a teu respeito, que você existiria...


    É claro que ele sabia sobre ele.  Ele conhece todo mundo. O que foi diferente foi: "eu defini o meu amor e escolha sobre você.


    Quando Adão entrou e conheceu Eva, isso significava que ele pôs o seu amor em sua forma mais literal e completa possível; ele teve relações sexuais com ela, como a marca da Aliança de amor.


    Ele a amava.  Amava-a em sua totalidade.  Eles eram completamente um, e ela teve um filho.


    Você vê, quando Deus diz a Jeremias: "Eu conheci você quando você estava no ventre de sua mãe", o que ele quer dizer é: "Antes mesmo de você nascer ... muito, muito antes... Eu coloquei meu amor em você."


    Ele não está falando sobre o reconhecimento de uma existência que já está lá; ele está falando sobre a formação de uma existência através do amor.


    Por exemplo, Jesus dirá: “E então lhes direi abertamente: NUNCA VOS CONHECI; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade” Mateus 7:23. É porque Deus não sabia da existência dessas pessoas? Seria ridículo pensar isso. Ele nunca os conheceu no sentido que temos visto. Refere-se à escolha avançada de Deus de conhecer certos indivíduos numa relação de amor. Claramente, Paulo, em Romanos 8, está distinguindo aqueles em quem Deus estabeleceu Seu propósito de salvar do resto da humanidade. Assim, a presciência de Deus contém o conceito de Sua predestinação de pessoas e eventos.


    Deus nos escolheu para sermos santos e irrepreensíveis. Ambas as palavras olham para nossa santificação, mas de ângulos ligeiramente diferentes. A santificação progressiva agora de todos os que são chamados soberanamente por Deus, e a santidade final, que é a Glorificação – onde teremos completa ausência do pecado. Mas esse é o propósito inexorável da Eleição.


    Paulo diz que o objetivo de Cristo para Sua igreja é ( “Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito.” – Efésios 5.27.


    Isso leva os Eleitos aqui neste mundo viverem uma vida de integridade. Integridade significa você ser o mesmo em particular como é em público. Você vive constantemente consciente da presença de Deus. Isso é que é Piedade.


    Embora seja verdade que nunca seremos completamente santos e irrepreensíveis diante de Deus, enquanto estivermos neste corpo de pecado ( Rm 7 ), se formos o povo escolhido de Deus, estaremos crescendo em santidade. Quando Paulo fala em Romanos 8, ele mostra como a corrente que começa com a Predestinação é inquebrável, e termina inexoravelmente com a Glorificação: “E aos que predestinou, a esses também chamou; e aos que chamou, a esses também justificou; e aos que justificou, a esses também glorificou.” – Romanos 8.30.


    Justificação = O pecado não mais condena.
    Santificação = O pecado não mais reina.
    Glorificação = O pecado não mais existe.


    Paulo relaciona nossa Eleição feita por Deus, a um crescimento num comportamento santo: Colossenses 3: 12-13 : “Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longanimidade. 13 Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente, caso alguém tenha motivo de queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós”


    Portando, nada pode ser mais falso, do que dizer que se Deus Elege alguém, essa pessoa poderá viver como quiser, em pecado e mundanismo. Quem diz isso, ou nunca leu a Bíblia, ou é completamente cínico.


    Infelizmente gastamos tempo defendendo uma doutrina tão claramente ensinada nas Escrituras. Você vê que Paulo simplesmente declara aqui: “Porque Deus nos escolheu ( Elegeu ) nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis em sua presença.” Efésios 1.4.


    Paulo não debate o assunto, não pede desculpas... não fica andando sobre a ponta dos pés sobre este assunto. Ele declara clara e abertamente a verdade da Eleição Soberana.


    Ele nos abençoou com todas as bênçãos espirituais... e então diz que a primeira delas é essa: Eleição! Tentar negá-la, e negar abertamente a Palavra de Deus.


    Todo o problema é que é ofensivo para o homem natural, Deus ser Deus. E infelizmente muitos “cristãos” estão nessa mesma categoria. Quando você está inteiramente disposto diante da verdade de que “Deus deve ser Deus”, nunca mais a doutrina da Eleição Soberana será um problema para você.



    Você simplesmente se levantará e dirá com alegria como Paulo em adoração: “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestiais em Cristo. 4 Porque Deus nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis em sua presença.” – Efésios 1.3,4.