• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Então todos podem escolher, menos Deus?







    Deus pode tudo! O nome disso? Onipotência! Ele é Todo-Poderosos e ponto final. Ele pode fazer tudo! Ele pode curar todas as doenças, esvaziar todos os leitos hospitalares... Ele pode erradicar o crime e fazer cessar todo o abuso de todas as situações da vida... Ele pode acabar com as guerras, com toda a injustiça, Ele pode alimentar todos os estômagos vazios, aliviar toda dor e todos os problemas que causam agonia mortal e eliminar a morte física para sempre.



    Está vendo? Ele pode fazer tudo. A libertação da dor e do trauma... é uma questão de soberania. O que quer dizer isto, soberania? Simples! Deus fará tudo o que quiser fazer controlado apenas pelo seu próprio caráter. Em outras palavras, se a liberdade de uma situação faz parte do Seu plano-mestre, o indivíduo será resgatado; caso negativo, Deus tem outro propósito para a vida da pessoa. O qual resultará em maior glória para Ele. Ponto final.



    Se Ele quer salvar Daniel das mandíbulas escancaradas dos leões famintos; ou permitir que Tiago seja decapitado, ou Estevão apedrejado, ou que Pedro seja escolta por anjos para fora da prisão; ou permitir que milhares e milhares de cristãos sejam devorados por feras no Coliseu romano, ou que Seu único Filho, Jesus, sofra a morte mais cruel pela crucificação para satisfazer a Sua justiça na redenção dos eleitos, Ele o fará.



    Muita gente fica irritada com uma tênue compreensão da Soberania de Deus. Lá no fundo isso é o clamor do desejo de ser deus... é o mesmo veneno da serpente. Todos, na mente do homem natural que é inimiga de Deus, tem direitos, menos Deus.


    Existe uma lista enorme de grupos de interesses especiais, que tem motivos para fazer acusações em casos legítimos.


    Direitos femininos.
    Direitos criminais.
    Direitos dos pacientes.
    Direitos constitucionais.
    Direitos dos trabalhadores.
    Direitos civis.
    Direitos dos animais.
    Direitos humanos.
    Direitos dos consumidor.
    Direitos religiosos...



    Cada um deles é legítimo até certo ponto, mas onde vamos parar? Damos as mães o direito de decidir se querem que seus filhos em seu ventre vivam ou morram? Damos um tapinha nas costas de um assassino porque seu advogado pleiteia com sucesso insanidade temporária? Perdoamos com leve punição um rapaz do ensino secundário por estuprar uma menina, por ele ainda ser “criança”? Ou por ter sido submetido a estímulos sexuais muito cedo na vida, ou ter sofrido abuso? Achamos certos matar milhões de seres humanos por nascer, enquanto aplicamos multas pesadas e punimos com prisão quem destrói ovos de tartaruga, ou seja, tartarugas por nascer? Adotamos a filosofia de que os prazeres pessoais são muito mais importantes que a fidelidade aos votos do casamento? Continuamos a permitir que mesmo criminosos confessos escapem da consequência dos seus atos devido a pequenos e burocráticos detalhes técnicos? Nesta terra só uma coisa não é considerada: e os direitos de Deus?



    O Criador e sustentador de todas as coisas... nEle tudo “existe, se move e respira” – Ele tem sido odiado sem motivo. Caluniado sem razão, e esquecido e desprezado em seu mundo sem pedidos de desculpas. Seu caráter é mau interpretado e Ele é acusado quando os seres humanos sofrem como consequência de seus próprios pecados. O Seu nome tem sido amaldiçoado quando os seres humanos colhem ou colheram apenas o resultado de Sua rebelião e desprezo ao autor de toda a vida. Na melhor das hipóteses, Ele tem sido totalmente ignorado. Ele tem sido acusado em ocasiões de fome, guerra, doença... Sua sabedoria tem sido ridicularizada de geração em geração... nada tem sido tratado com mais deboche e desprezo do que a Sabedoria de Deus revelada a homens indignos.



    Seus padrões de santidade sempre foram considerados fora de moda pela sociedade... sociedade mergulhada com prazer no pecado de todas as eras.
    Ele é suficientemente grande para enfrentar todo esse abuso? Claro que sim! Ele não é inseguro. Ele pode cuidar de si mesmo; mas o ponto é, por sua graça inimaginável Ele se fez vulnerável e veio ao mundo e se expôs ao abuso inimaginável de seres humanos que falam todo tempo em seus direitos.



    De fato, se quisermos ampliar a questão da justiça e exigir nossos direitos, deveríamos estar grandemente agradecidos por Ele não responder todos os nossos pedidos de justiça com Sua Justiça perfeita neste instante.



    Vamos encarar os fatos – todos nós merecemos o inferno e a condenação. Deveríamos estar todos maravilhados com o que Deus poderia exigir de nós neste instante... sem delongas... sem mais um minuto sequer. Ele podia exigir uma resposta humana perfeita, sem dar uma segundo oportunidade. Ele tem o direito de dispensar o Juízo rápido que a humanidade merece.



    Em lugar disso, Ele preparou um plano em que sua graça e misericórdia se manifestou gloriosamente. Mas não só isso, mas também sua justiça, e sua ira... Embora os Seus direitos tenham sido arrogantemente violados segundo a segundo por todo esse planeta, sua graça se manifestou. A chuva continua caindo ainda sobre os “justos” (justificados) e injustos (homem natural) – Suas misericórdias são vistas ainda a cada manhã. Um dos mistérios de Deus não é a sua Ira, mas a sua paciência com uma humanidade indiferente.
    Deus nos fez, Ele também criou o mundo, portanto, Ele tem todo o direito de ser ouvido, obedecido, receber gratidão, honra e a glória devida ao Seu Nome Santo... mesmo em meio a dor e sofrimento. Ele tem o direito, e só ele tem, de ser amado e respeitado acima de qualquer relacionamento, bem material e busca na vida... mas em nossa sociedade ímpia, até jacarés tem mais direitos do que Ele... Deixem Deus fora de todas as coisas da sociedade... gritam as leis que aprovamos com alegria...



    Nós, se somos igreja, devemos proteger cuidadosamente em nossa vida, e proclamar ao mundo, o DIREITO dEle ser adorado e adorado, amado e servido acima de TUDO  e de TODOS. Sem levar em conta as nossas circunstâncias. Mas o que temos visto é uma “igreja” falando sobre os direitos dos homens e se questionando sobre a Soberania de Deus... diminuindo Deus... sendo parte da rebelião.



    Se os direitos de Deus fossem honrados e guardados, quase todos os direitos humanos que exigem atenção, não seriam mais necessários. A justiça não seria mais o tema que energiza tantas causas. Mas nenhum direito está seguro se Deus é desprezado... a luta do mundo é fútil e inútil. Mas se os direitos de Deus como Deus fossem abraçados...



    Esse é o antídoto divino contra a maldade ingênita de nossos corações. Mas por natureza, o homem está cheio de senso de sua própria importância e direitos, grandeza, auto-suficiência... em resumo – ORGULHO E REBELDIA.


    Entenda o dilema -  o homem tem que se gloria em si mesmo ou em Deus. O homem tem de viver ou para servir  a si mesmo ou a Deus. Tem de viver para agradar a si mesmo ou agradar a Deus... ninguém pode servir a dois senhores. A rebeldia humana é fruto da irreverência, e essa irreverência é fruto do desprezo quanto a Majestade, Soberania e autoridade de Deus.



    Pense neste instante: O que você está aceitando e tomando como direito seu, mas que deveria estar agradecendo como algo totalmente imerecido? Como você reage quando Deus diz não? De que modo você honrou os direitos de Deus nesta semana que está terminando? Medite por um momento sobre os mistérios da paciência de Deus sobre você. Como você responderá a Ele quando Ele permitir que o próximo sofrimento entre em sua vida?



    Alguém disse que a misericórdia de Deus retém o que merecemos de fato, e a sua graça nos dá o que não merecemos. Pense no que você merece – por direito – diante dos olhos de um Deus santo, e o que você NÃO merece.