• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Deus foi o primeiro Blogueiro. As “mídias sociais” de Deus são melhores para nós agora do que o Face a Face.




    Eu quero começar dizendo: Todos os cristãos devem amar e se regozijar no dom da comunicação escrita, das mídias sociais e tecnologia.


    É necessário ser dito que  os cristãos precisam parar de reclamar e resmungar sobre Internet, Facebook, Twitter, redes sociais etc. Isto é o mesmo que  cristãos se queixando de livros, jornais, revistas... em outro tempo – Ou seja, as coisas que as pessoas escrevem ou dizem! “Eu não suporto!” “Ler não é bom para mim!” “Estou desistindo dos livros, jornais, revistas...”


    Todos os lamentos e queixas, e todas as piedosas tentativas de parecer santo fazendo isso, é realmente simplesmente reclamar sobre as pessoas e tentar parecer santo assim. “Eles não dizem as coisas certas. Eles dizem coisas que não devem. Eles escrevem coisas que não deveriam. Eles gostam de coisas que não deveriam. Eles compartilham coisas que não deveriam. Eles leem coisas que não deveriam.”  Eu perdi alguma coisa? Essa não foi sempre a história humana?


    Mas Jesus viu as multidões e teve compaixão delas, como ovelhas sem pastor. Eu acho que Jesus teria a mesma reação ao Facebook, Instagram, Twitter, etc. Agora, é claro, Jesus às vezes deixava as multidões para descansar, orar, ensinar Seus discípulos...



    Então, claro, meu ponto é não deixar a (internet) multidões invadir e conduzir sua vida inteira. Você tem deveres para com Deus, seu marido, sua esposa, seus filhos, sua igreja, seu chefe, seus professores, seus pais, seus amigos, vizinhos... Você não deve negligenciar esses deveres. Mas às vezes, quando a mãe e os irmãos de Jesus apareciam fora de uma casa lotada onde Jesus estava ensinando a falando com a multidão, Ele não largou tudo e saiu correndo para ver sua família imediatamente. Às vezes, amor cristão e paciência demora um pouco mais nos comentários de um post no Facebook...



    Enquanto usamos a palavra virtual para descrever muito do que acontece on-line, simplesmente não é o caso de que as pessoas escrevendo, comentando, gostando e compartilhando sejam falsas ou irreais ( “virtuais” - Ok, alguns são perfis falsos ). Na maioria das vezes, eles são pessoas reais como você e eu, com amores e dores, esperanças e confusões, e pecado e sabedoria, tudo junto em diferentes combinações. Eles são pessoas reais, e, portanto, a internet é uma extensão da comunidade real. Observe que eu disse extensão e não substituição. Você não pode “ir à igreja” na internet, e isso é porque a igreja exige fisicalidade ( a não ser por um impedimento que não pode ser contornado).



    Agora é absolutamente verdade que aprender a se comunicar com palavras escritas e imagens... É um pouco diferente do que falar com outra pessoa cara a cara na mesma sala. Mas nós realmente não devemos exagerar esta diferença. Deus inventou a palavra escrita. Foi ideia dele, não nossa. A palavra escrita não é um subproduto infeliz do consumismo humanista. Adão pode ter descoberto palavras escritas pouco depois da criação; Ou talvez no tempo de Noé, o povo de Deus estava escrevendo as histórias da fidelidade da aliança de Deus. Mas certamente no tempo de Moisés, o próprio Deus estabeleceu um precedente de comunicação escrita como bom, santo e suficiente. O próprio dedo de Deus escreveu as primeiras palavras na Bíblia nas tábuas de Pedra. Ele fez isto quando Ele escreveu os Dez Mandamentos em tábuas de pedra com Seu próprio dedo e os enviou para baixo da montanha (duas vezes!).



    Em outras palavras, Deus foi o primeiro a enviar um e-mail. Deus foi quem fez a primeira postagem de blog. Deus foi o primeiro a enviar um tweet. Foi idéia dele. Ele disse que era bom. Ele escreveu palavras que poderiam viajar ao redor do mundo, que seriam lidas e ouvidas por pessoas diferentes em momentos diferentes em lugares diferentes. Ele escreveu palavras que Ele intencionalmente determinou que  não seriam entregues cara a cara. E Ele insiste que elas são suficientes, boas e santas. De fato, enquanto certamente desejamos ver Jesus face a face, Ele disse que era melhor para nós Ele ir e enviar o Espírito. Neste momento, Deus determinou, é melhor para nós não vermos Jesus face a face,  é melhor nós ouvirmos e lermos Suas palavras escritas na Bíblia. Nesse sentido e por enquanto, as mídias sociais de Deus são melhores para nós. De fato,



    Não só isso, mas Deus insistiu que Seu povo o imite nisto. Na lei de Moisés, Deus começou a exigir que todas as coisas mais importantes fossem escritas. Os pontos de referência e os limites devem ser escritos e anotados. Deus exigiu que Moisés expandisse e explicasse as leis de Deus no Livro da Aliança, que incluía ou era combinado com o Pentateuco inteiro. Este padrão continuou com os profetas que foram instruídos a escrever suas profecias, a enviá-las como cartas, a entregá-las aos reis, a serem preservadas e lembradas por gerações. A nação foi obrigada a escrever as palavras de Deus nas portas de sua casa e nas portas de suas cidades. Paulo e os outros apóstolos estabeleceram o mesmo padrão de como levara o evangelho até os confins da terra e continuaram a transmiti-lo a nós hoje por meio de suas palavras escritas. Pastores e professores devem abraçar este chamado para serem homens da Palavra escrita e homens de palavras escritas. Todos os cristãos devem amar e se regozijar no dom da comunicação escrita e das mídias sociais.



    A diferença primária e fundamental da mídia social moderna é a velocidade . O negócio real de escrever palavras e as pessoas em outro lugar e em outro momento lê-los não é nada novo. Foi assim que os sermões de Spurgeon, por exemplo, tomaram o mundo. Arqueólogos, historiadores... recorrem a isso o tempo todo. O trabalho da exegese e da interpretação não é nada novo. A diferença é a velocidade, e com a velocidade vem o volume. Podemos escrever e publicar mais palavras por minuto do que nunca e, portanto, temos acesso a muitas mais palavras por minuto do que nunca. E com esta oportunidade (e bênção!) Vem perigos e tentações. Na multidão de palavras, o pecado está sempre presente. Mas observe que o pecado pode estar em qualquer extremidade nesta vida. Podemos pecar em escrita precipitada, mas também podemos pecar em leitura precipitada, interpretação... e conversa cara a cara com alguém.



    Uma regra simples é tratar suas interações com as pessoas reais nas mídias sociais como interações humanas reais. Se você não diria isso na cara de alguém, então certamente não deve escrevê-lo também. Se você mudar isso para o telefone, ou tomar um café junto, ainda seria verdade. Mas por outro lado, lembre-se que nosso trabalho não é ficar junto com todos e sermos agradáveis o tempo todo. Nenhuma dessas coisas são em si mesmas o fruto do Espírito. O amor é paciente, mas o amor também confronta. O amor cobre uma multidão de pecados, e o amor diz a verdade. Às vezes, trabalhar a coragem de dizer o que precisa ser dito pode começar com colocar isso por escrito. Escrever ajuda pensar com cuidado suas palavras, dizer o melhor que você pode.


    De forma geral, os cristãos estão muito preocupados em não ofender ninguém e não serem mal interpretados do que eles são sobre honrar a Cristo. Os cristãos temem os homens muito mais do que temem a Deus. Então, lembre-se, Jesus está sentado lá com você enquanto você está olhando para o seu telefone, teclando no Facebook, quando se prepara para enviar esse e-mail, ou tweet, essa mensagem privada...




    E a coisa a perceber é que muitas vezes Ele enfrentaria muito mais o pecado do que nós temos feito, Ele estaria em muito mais polêmicas na internet do que meu estômago suportaria, Ele teria muitos mais inimigos do que nós...  simplesmente porque Ele, que é a Verdade, ama a verdade muito mais do que nós.  Falada, escrita... em livros, revistas, Facebook, Twitter, Blogs... precisamos amar a Verdade em todos os lugares... e aproveitar o dom de Deus que nos deu tantas formas poderosas de nos comunicar. As que existem... e vamos ficar atentos, as quer forem criadas por sua Graça.