• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Teu casamento pode ser ímpio sem você perceber.




    Existe um famoso livro chamado Respectable Sins ( Pecados respeitáveis ). No subtítulo do livro é dito: Confrontando os Pecados que Toleramos.


    No meio cristão, muitas vezes fazemos um bom trabalho ao abordar pecados “maiores” como infidelidade, pornografia, relação abusiva... mas temos a tendência de minimizar os pecados “mais respeitáveis” – ou seja que toleramos facilmente.


    Quando você olha o índice de conteúdo do livro, alguns tópicos logo se destacam, como pecados que mais facilmente “brilham” em nossas vidas. Coisas que você normalmente tenta minimizar... como raiva, falta de auto-controle, ingratidão... mas há um tópico que é um soco no estômago por ser tão terrível, e tão tolerado.


    É o pecado da impiedade... e queremos rapidamente olhar para o pecado da impiedade, e refletir sobre como afeta terrivelmente a caminhada cristã e o casamento.


    Assim, à primeira vista, como cristãos, seguidores de Cristo, as pessoas acham que cometem... por isso não lutam... com o pecado da impiedade... ser “ímpio”. Afinal de contas, se alguém é cristão, é porque foi levado a crer em Cristo como seu Salvador, e embora possa agir como um ímpio algumas vezes, os cristãos normalmente não acham que lutar contra o  pecado da impiedade seja um grande batalha para eles.


    Bridges faz um bom trabalho no capítulo sobre esse assunto em ajudar o leitor a entender a diferença entre a irreverência, maldade e impiedade. Mas especificamente, Bridges ensina partindo de Romanos 1.18, onde o apóstolo Paulo declara: “Porque do céu se revela a ira de Deus contra toda a impiedade e injustiça dos homens” – Nesta passagem Paulo distingue a impiedade da injustiça.


    Impiedade é descrita e descreve uma atitude para com Deus, enquanto a injustiça se refere a ações pecaminosas em si, em pensamento, palavra e ação.


    A impiedade pode ser descrita então, como estar vivendo a vida diária com pouco ou nenhum pensamento proposital sobre Deus, sobre a vontade de Deus, sobre a glória de Deus ou sobre a dependência de Deus... Poderíamos continuar aumentando a lista.


    Em outras palavras, Deus se torna irrelevante na vida real e diária dessa pessoa e ela vive basicamente – apesar de sua crença, seu cristianismo... – como se Deus de fato não existisse... ou estivesse presente e tivesse que ser honrado como Deus em cada aspecto da vida diária. Por exemplo, alguém faz planos sem sequer considerar Deus totalmente naquela lista que mostramos antes... ou sem reconhecer sua dependência de Deus para levar qualquer plano adiante. Não seria isso óbvio quando a vida de oração é tão tênue? Tiago diz: “Eia agora vós, que dizeis: Hoje, ou amanhã, iremos a tal cidade, e lá passaremos um ano, e contrataremos, e ganharemos; Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque, que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco, e depois se desvanece. Em lugar do que devíeis dizer: Se o Senhor quiser, e se vivermos, faremos isto ou aquilo.” - Tiago 4:13-15 – Isso é o pecado de impiedade se manifestando.



    Muito mais poderia ser dito ou escrito sobre o tópico, mas queríamos olhar sobre como nossos casamentos cristãos podem ser ímpios sem nós nem mesmo percebermos.


    Aqui estão alguns exemplos:


    1. Como você e seu cônjuge tomam decisões importantes sobre coisas como dinheiro, férias e horários?


    Se você está em um casamento ímpio, você vai tomar decisões baseadas mais no que se encaixa no orçamento, o que é conveniente aos horários e como tudo se alinha ao teu calendário. O mesmo que um homem natural faria. No casamento piedoso, por outro lado, as decisões são feitas em oração e processadas entre si em meditação na Palavra e com a comunidade sábia: “O que anda com os sábios ficará sábio, mas o companheiro dos tolos será destruído.” - Provérbios 13:20


     2. Você trabalha de todo o coração para com o Senhor, ou trabalha,  é pai, e ama seu cônjuge com “meio-coração?”



    “E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai. Vós, mulheres, estai sujeitas a vossos próprios maridos, como convém no Senhor. Vós, maridos, amai a vossas mulheres, e não vos irriteis contra elas. Vós, filhos, obedecei em tudo a vossos pais, porque isto é agradável ao Senhor. Vós, pais, não irriteis a vossos filhos, para que não percam o ânimo. Vós, servos, obedecei em tudo a vossos senhores segundo a carne, não servindo só na aparência, como para agradar aos homens, mas em simplicidade de coração, temendo a Deus. E tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor, e não aos homens” - Colossenses 3:17-23


    Na vida e no matrimônio ímpio, a pessoa dá 100% a alguns aspectos de sua vida, mas então vive sem entusiasmo nos outros. Ele não faz TUDO como que diante de Deus. Ou seja, impiedade. Então há dias em que a pessoa dá 100 % para o seu trabalho e, em seguida, dá as sobras e sucatas para sua esposa e filhos. Há dias em que a pessoa se mata no trabalho, servindo com todo o seu coração, mente, alma e força ( como ao Senhor, como Paulo diz ), e então chega em casa e passa passivamente pela esposa e mal tolera os filhos. No casamento piedoso, você tem suas prioridades retas e opta por fazer tudo, trabalhar de todo o coração ao Senhor em todos os aspectos da sua vida.


    Poderíamos continuar aumentando a lista... mas acho que cada um de nós pode fazer isso em aspectos particulares de nossa vida e casamento.


    Uma maneira melhor


    Em vez de viver uma vida ímpia e um casamento ímpio, Paulo desafia seus leitores em Colossenses 1: 9-10 a serem cheios do conhecimento da vontade de Deus em toda a sabedoria espiritual e entendimento, e andar de maneira digna do Senhor, ou seja, consciente sempre da presença dele – o que é piedade o oposto da impiedade. Temos um casamento piedoso? Uma família piedosa? – “Por esta razão, nós também, desde o dia em que o ouvimos, não cessamos de orar por vós, e de pedir que sejais cheios do conhecimento da sua vontade, em toda a sabedoria e inteligência espiritual; Para que possais andar dignamente diante do Senhor, agradando-lhe em tudo, frutificando em toda a boa obra, e crescendo no conhecimento de Deus;” - Colossenses 1:9,10


    Em vez de viver um casamento ímpio, deseje conduzir teu casamento de uma maneira que seja completamente agradável a Ele e realmente diante dele – Piedade, e não onde Deus é periférico e na verdade irrelevante na maior parte das coisas que compõe o casamento e a família – Impiedade. Não existe percentual de piedade... ou Deus está sendo considerado em tudo, ou não está.


    Como dissemos no início, a impiedade pode ser descrita como estar vivendo a vida diária com pouco ou nenhum pensamento proposital sobre Deus, sobre a vontade de Deus, sobre a glória de Deus, ou sobre a dependência de Deus...


    Responda a si mesmo: Você tem percebido diariamente as implicações profundas do pecado da impiedade no tua vida e teu casamento?