• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Sangue, vísceras, violência, abutres, escuridão e paz! ( Minha passagem favorita! )




    Há passagens bíblicas que estão constantemente em minha mente. Uma dessas passagens é gênesis 15. Neste capítulo, Deus e Abraão participam de um rito de Aliança que era comum no antigo Oriente. Abraão não podia  imaginar como Deus poderia cumprir a promessa feita a ele. “Olha agora para os céus, e conta as estrelas, se as podes contar. E disse-lhe: Assim será a tua descendência.” - Gênesis 15:5 - Como ele poderia ter certeza? Como poderia saber que teria, não só essa descendência, mas que no fim, a salvação deste mundo viria através disso. Como viria um descendente de Abraão que por esta Aliança traria salvação definitiva.


    Então Deus manda Abraão trazer uma bezerra, uma cabra, um carneiro, uma rola e um pombinho. Diz para ele cortá-los pelo meio, colocando os pedaços um na frente do outro fazendo um corredor sangrento no meio, e então esperasse. “E disse-lhe: Toma-me uma bezerra de três anos, e uma cabra de três anos, e um carneiro de três anos, uma rola e um pombinho. E trouxe-lhe todos estes, e partiu-os pelo meio, e pôs cada parte deles em frente da outra; mas as aves não partiu.” - Gênesis 15:9,10. Abraão esperou até o anoitecer.



    A ideia por trás disso tudo era bastante simples ( mais incrivelmente poderosa). Duas pessoas caminhariam através do corredor sangrento das partes dos animais cortados e separados, e com isso selariam um voto, uma aliança. Implicitamente estavam dizendo um para o outro: “Que o que aconteceu com esses animais aconteça conosco se quebrarmos nosso voto”. Era uma aliança... e tudo isso mostrava a seriedade de uma Aliança ( Hoje trocamos anéis... naqueles dias eles queriam algo mais óbvio sobre a seriedade de uma Aliança ).


    Abraão entendeu... Deus vai fazer uma Aliança comigo... Se eu cumprir minha parte, Ele cumprirá a parte dele. Se eu não cumprir... tudo dependeria da fidelidade de Abraão... Ele teria que passar entre os animais partidos e fazer o juramento.


    Abraão esperou muitas horas, até que a noite caiu... e animais, abutres... queriam comer as carcaças e Abraão tinha que enxotá-los.


    Mas então Deus rompe com todo o costume aqui, e se você olhar para a história, Abraão não faz voto nenhum – somente Deus faz um voto e juramento...


    Abraão fica de pé ali como uma testemunha quando Deus “aparece” numa teofania, como um brilho esfumaçante e uma tocha de fogo. E só Deus passa entre as partes dos animais. Nada poderia ser mais surpreendente para Abraão.


    Você consegue imaginar-se lá naquele instante? Ver as chamas cintilando nos olhos de Abraão, o brilho intenso e a tocha de fogo fazendo com que todo aquele sangue e as vísceras expostas dos animais brilhassem como joias diante do céu incrivelmente escuro e estrelado. Deus se revelou como luz na escuridão. Deus mostrou e pronunciou uma solução violenta para o maior problema do homem.


    Há uma mistura de um estômago “revoltado” e alívio na mente de Abraão. Embora a cerimônia não fosse estranha a ele, mas todos aqueles animais despedaçados com sua vísceras expostas... deve ter feito seu estômago revirar. Era uma imagem de extrema violência...


    No entanto, um peso enorme saiu de sobre os ombros de Abraão e um poderoso alívio se apodera dele. Só Deus passa pelas carcaças. Somente Deus fez o juramento. Deus colocou todo o preço sobre a sua Sagrada Cabeça, dizendo: “Que o que aconteceu com esses animais aconteça comigo se o voto for quebrado, se a promessa de salvar todos os que prometi salvar em ti não acontecer... cada um... nome por nome da sua descendência espiritual – os verdadeiros filhos de Abraão...”.


    Deus está dizendo, ninguém pode quebrar a promessa ou será partido. Mais eu assumo toda a responsabilidade, pelos dois lados, por isso, passarei sozinho entre os animais.


    É um alívio para Abraão imenso, porque ele sabe que não poderia manter perfeitamente qualquer promessa... ele não passa de um homem pecador. Deus certamente, Abraão sabia, pode manter sua palavra e promessa, mais eu...


    Ele sabe que nele não há capacidade para passar entre os animais com Deus sem que ele por fim não leve tudo a ruína... somente Deus pode permanecer fiel às promessas feitas, como demonstra a própria história de Abraão como sabemos.


    Embora Deus tenha falado para Abraão preparar a cerimônia e se preparar para ela. Deus toma sobre si mesmo fazer o voto dizendo: “Eu vou fazer isso sozinho, eu vou fazê-lo.”


    Deus está dizendo, se você ou tua descendência espiritual... que te dou através de um Filho que no futuro virá de ti... falhar, pecar... o mínimo que seja. Eu serei partido como os animais, meu sangue será derramado, a quebra da Aliança será punida... por mim mesmo que passei sozinho entre os animais... sobre mim cairá a maldição... mas nenhum dos que eu te dei... daqueles que você contou quando eu mandei você contar as estrelas, se perderá. Porque Eu sou o responsável pela Aliança, pelos dois lados da Aliança – minha parte, e a parte dos que salvarei, pois eu passei sozinho entre os animais.


    Mas como isso seria possível? Abraão não podia entender. Como Deus poderia morrer como esses animais? Como Ele poderia ser partido como esses animais? Isso é impossível... Deus não pode morrer, Deus não pode ser partido, Deus não pode derramar seu sangue... Deus não tem um corpo para ser partido... Deus não pode morrer... Deus não tem sangue para derramar... Abraão não podia entender tudo o que estava acontecendo ali.


    Eu posso imaginar aquela escuridão. Todo aquele sangue... eu posso sair dessa cena e viajar milhares de anos... tudo é muito parecido ao pé da cruz... vendo aquele Deus que criou o mundo... que passou como uma tocha entre os animais através de uma teofania... vejo aquele Deus ( Perfeito Deus – Perfeito Homem ) sangrando e agonizando para respirar, e, finalmente, morrendo. Ele foi partido como animais e seu sangue foi derramado... porque é óbvio, nem Abraão, nem seus descendentes espirituais cumpriram a Aliança... Mas Deus tinha passado sozinho dizendo que sobre Ele cairia a maldição daquela Aliança, mas que Abraão e seus descendentes seriam salvos. 


    Aquela cerimônia em Gênesis 15, nada mais era do que a repetição na terra de algo que tinha sido feito na eternidade, com a segunda Pessoa da Santíssima Trindade – que um dia como homem seria um descendente de Abraão – se comprometeu, na Aliança eterna, cumprir toda a exigência para que cada eleito, jamais vissem a maldição e a ira que mereciam.


    Você consegue viajar com tua imaginação, da Eternidade – Onde a Aliança eterna foi feita, até chegar em Gênesis 15, onde Deus a mostra a Abraão passando sozinho entre os animais partidos, e chegando ao Calvário?


    Não me admira que no Calvário, apesar de ser meio-dia, o céu tenha ficado negro. Lá, Deus manteve sua Palavra, e o preço da Aliança quebrada foi exigido... não sobre os homens que ele deu ao Seu Filho, e que seu Filho se comprometeu a representar na Aliança eterna, lá o preço exigido caiu sobre Deus. O inimaginável aconteceu. Deus morreu e seu sangue foi derramado... Ele foi partido... como os animais de Gênesis 15. Ele tomou tudo sobre si mesmo, e quando morreu, Ele disse: “Está terminado!” Fui partido como os animais, meu sangue foi derramado, recebi a maldição... mas em mim os Eleitos, filhos de Abraão, cumpriram a Aliança. Nenhuma condenação pode cair mais sobre eles.


    Quando nos reunimos com a igreja e tomamos o cálice e partimos o pão... lembramos daquele dia escuro que Abraão viu a tocha passar sozinha entre os animais partidos... compartilhamos,  como se estivéssemos de pé ali, do lado de Abraão, sua revolta e seu alívio.



    A Cruz é revoltante e linda.  Quando a contemplamos, olhamos com horror os resultados violentos e de ira infinita do nossos pecados contra um Deus santo, santo, santo. Mas também olhamos com um grande alívio. A promessa foi mantida, e se Deus já passou entre os animais... e se depois ele foi partido como os animais... e se seu sangue foi derramado como daqueles animais... então sabemos que o que Deus começou, Ele vai terminar. Por isso Paulo diz com certeza: “Estou convencido de que aquele que começou boa obra em vocês, vai completá-la até o dia de Cristo Jesus.” -  Filipenses 1:6