• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Por que Paulo não jogou a toalha na Igreja do Novo Testamento?




    Muitas pessoas que querem arrumar uma desculpa para seu individualismo cultural – expressão mais decadente de nossa cultura pós-cristã, usam o refrão comum:  “Não faço parte da igreja porque quero fazer parte de algo que seja mais parecido com a Igreja do Novo Testamento!” Será?


    Sempre que eu ouço isso, dito por supostos cristãos que deviam ler a Bíblia, eu balanço minha cabeça... em assombro, por tanta falta de conhecimento, por ver tão deslavada desculpa...


    Em várias incidências claras, a “Igreja do Novo Testamento” era menos atraente, menos autêntica, menos flexível, menos amorosa, menos verdadeira, menos bonita e menos semelhante a Cristo do que a igreja hoje.


    Por  motivos de conveniência cultural (como hoje)... temer perdas, perda de dinheiro, emprego, aceitação cultural... que os cristãos do primeiro século estavam com o pé fora da porta da igreja... e por isso o autor de Hebreus os exortou a não desistirem de congregar, como estava se tornando hábito naqueles dias... e essa era a “Igreja do Novo Testamento” – “Não deixando de nos congregar, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia.” - Hebreus 10:25


    Uma “Igreja do Novo Testamento” que todos nós seríamos tentados a abandonar era a igreja em Corinto.


    Uma das passagens mais célebre da Bíblia é 1 Coríntios 13, conhecida por nós como “o capítulo do amor”.


    Neste magnífico capítulo, somos informados de que o amor é paciente e bondoso. Ele não tem inveja ou jactância, e não é arrogante ou rude. Não é exigente ou irritável, e não guarda rancor. Ele resiste às coisas que estão erradas e celebra coisas que são verdadeiras. Ele crê, espera e suporta todas as coisas.


    Maravilhoso, certo?


    Você sabia que quando Paulo escreveu aos Coríntios sobre o amor, ele não tinha cerimônias de casamento ou qualquer coisa do tipo em vista? Você sabia que ele estava realmente os repreendendo porque eles estavam se devorando, porque cada um dos atributos do amor era algo que eles não tinham como igreja?


    A igreja de Corinto, uma proeminente "Igreja do Novo Testamento" ( como muitos dizem de boca cheia hoje que queriam fazer parte), estava cheia de problemas. Uma breve viagem pela primeira carta de Paulo a esta comunidade de inadaptados nos diz que eles eram conhecidos por se julgarem severamente, criando grandes divisões sobre questões teológicas menores e insignificantes, cometendo adultério, fornicação, iniciando processos frívolos, divorciando-se sem fundamentos bíblicos, desfazendo a "liberdade cristã", se embriagando na santa ceia... e a lista continua. Paulo poderia facilmente ter anulado essa comunidade. Ele poderia ter jogado muito facilmente a toalha.


    Por que Paulo não jogou a toalha na Igreja do Novo Testamento? Pela mesma razão que Jesus não jogou a toalha.


    Igreja é família .


    A adesão a uma igreja local não significa nada mais e nada menos do que isto: Juntando o seu eu imperfeito a muitos outros eus imperfeitos para formar uma comunidade imperfeita que, através de Jesus, embarca em uma jornada rumo a um futuro melhor ... juntos. Perfeitos um dia


    Surpreendentemente, Paulo começa sua primeira carta de confronto aos Coríntios com afirmação e segurança. Apesar de suas muitas falhas, pecados, inconsistências, hipocrisias e fraquezas, ele é esperançoso por eles, não porque eles são pessoas estelares, sequer razoáveis -  mas porque Jesus é um Salvador estelar. Jesus completará a obra que começou neles, e Paulo sabe disso. Então, em vez de bater no botão e ejetar sobre eles, ele dobra seu esforço em seu envolvimento com eles. Em vez de evitá-los e humilhá-los, ele lhes fala como seus amados irmãos, irmãs, filhos e filhas na fé. Em vez de fugir deles, corre em sua direção. Ele os nomeia não de acordo com seus fracassos, mas de acordo com seu status redentor, usando palavras como "santos" e "santificados". Ele agradece a Deus sempre por eles e os lembra que Jesus os sustentará até o fim.


    Paulo olha para a igreja local quebrada e contempla a beleza. Ele olha para a igreja local pecaminosa e prevê a santidade. Ele olha para a igreja local indesejável e é superado com o desejo de seu florescimento. Paulo pensa sobre a igreja da mesma maneira que Jesus. Ele pensa na igreja como uma família. Filhas e filhos de Deus, com quem ele se compraz. A noiva de Cristo, a quem ele se desposou para sempre. Irmãs e irmãos uns para com os outros, herdeiros do Reino.


    Família .

    Como Santo Agostinho disse certa vez, às vezes "a Igreja é uma prostituta ( como Gômer, a mulher de Oséias, é o que Deus diz)... mas ela ainda é minha Mãe".


    Não só a Igreja é nossa Mãe, mas também a esposa de Jesus.


    Se o desejo de alguém é apertar o botão de ejeção na igreja local, é melhor fazer sem arrumar desculpas... admitir ser o eco de nossa cultura em endeusamento do individualismo... sua ojeriza a autoridade, a ter que prestar contas, a ter que servir ao Reino com seu amado dinheiro...  por isso a grande tentação de criar a sua própria experiência de fé particular.