• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Como orar a Bíblia inteira. ( Número 1)




    Há tempos, sempre que leio um versículo da Bíblia, faço uma oração específica sobre aquele versículo... é uma boa prática de aprendizado bíblico e de oração. Mas como pode parecer muito inicialmente uma oração por versículo... que tal sempre ler um capítulo da Bíblia e então fazer uma oração sobre ele?   Quero estimular vocês a fazerem isso comigo...


    Gênesis 1.  Oremos...


    Ó Deus criador eterno, Tu fizeste todas as coisas do nada, o nada é o suficiente para fazeres tudo. Tu estavas no princípio, e Teu Espírito pairava sobre a face do abismo e do caos. Na pessoa de Teu Filho, Tu falaste e o mundo veio a ser. Ele é a Luz do Mundo, e através dEle a Luz foi feita.


    Pai, esta foi a primeira maravilha a abrir o caminho da harmonia e da graça que criou todas as coisas. E quando perguntamos qual é a câmara do seu nascimento, a única resposta é que no Verbo eterno Tu disseste: "Haja luz, e houve luz!” Saber mais do que isso é impossível para nós Senhor... mas quando pensamos na luz que veio antes de todas as coisas, todas as riquezas do evangelho veem a nossa mente Pai. Como isso pronunciava o que o teu Espírito, que pairava sobre a face do abismo, disse tanto tempo depois: “Esta foi a Luz verdadeira, que ilumina todo o homem que vem ao mundo...Jesus!”


    Esta tua primeira declaração que deu início a tudo, Pai – contém tanta instrução... nada bom pode vir antes de brilhar a luz... tanto na Criação do mundo físico, como na criação de cada homem regenerado, ó Senhor. Teu Filho exalta seu próprio ofício ao nos dizer: “Eu sou a luz do mundo, aquele que me segue não andará em trevas. Pai, o profeta Isaías olhou para séculos a sua frente e disse sobre nós, homens na escuridão... “O povo que andava na trevas viu uma grande luz”. Esse é a verdade sobre nós Pai, e começamos a ver isso nos primeiros versos da Tua Palavra a nós.


    Quanto do caráter do Teu Filho essa primeira declaração traz: “Haja Luz”... Ele é a tua imagem Pai, a expressão exata do Teu Ser... porque Tu és Luz... Que imagem melhor podíamos ter, ó Deus?!


    A luz é pura... nela não pode  e não há mistura ou poluição... sua propriedade Pai, repele toda a impureza. A Luz atravessa sem se sujar toda a impureza. A mais pura, brilhante e branca neve Pai, não se compara a luz... o pisar do homem pode transformá-la em lama... a água mais pura pode ser suja Pai, pelo toque de nossas mãos, mas ninguém Deus, pode tornar a luz menos pura. Tal é teu Filho, expressão exata do Teu Ser. Quando Ele andou aqui, era tão puro como Tu és no céu... Ele andou aqui Pai, num mundo de pecados vis, mas Ele passou aqui como um raio de sol... Ele tomou de fato a forma de pecado... meu pecado, Senhor... mas Ele nunca conheceu a mancha do pecado... era santo na Manjedoura, era santo quando retornou para a tua Direita como o Conquistador.


    Ó Pai, a luz é brilhante, na verdade, o que é o brilho senão a luz. Pai, o dia é brilhante quanto mais o sol não é encoberto por nuvens... a esperança é brilhante quando brilha livre de toda melancolia Pai... Tal é Teu Filho em nós. O “resplendor da Tua glória!”


    Só Ele Deus, encarna, como uma constelação, toda a perfeição divina... a Tua perfeição, ó Deus... por isso neste instante te adoramos. Sabemos que o tempo mais brilhante em nossa vida é aquele que está cheio de Ti, por causa de Cristo... que nossas orações, que a página mais brilhante é onde teu Filho é encontrada... Sabemos Pai, que o sermão mais brilhante é aquele que está cheio da glória do Teu Filho Amado. Que a vida mais brilhante é a vida onde Cristo é mais visto... como na escuridão do primeiro dia Pai... brade um haja Luz constante do caráter de Cristo em nós.


    Ó Pai bendito, podemos dizer também que a luz é totalmente adorável. Nenhuma beleza pode viver sem a luz... pode ser vista sem a luz... Não é assim teu Filho sobre nós? Exclua a luz e cada encanto no mundo está arruinado. Sem o sol, Deus bendito, se desvaneceria toda a cor... toda cor seria extinta. Podemos dizer o mesmo hoje a Ti ao imaginarmos nossa vida sem a luz adorável do Teu Filho amado.


    Assim é Teu Filho para nós, ó Deus. Que plenitude de beleza está na Sua pessoa, que é Deus, e que é homem. Que harmonia e perfeição, meu Deus, está na obra de Cristo que nos une a Ti. Que encantos constantes Pai, encontramos diariamente nas Escrituras que mostram o valor infinito da Luz que é o Teu Filho. Para vermos essa beleza é que o Universo foi criado por Ti, ó Deus.


    Ó Deus, quando bradaste: Haja Luz! O que as trevas podiam fazer para impedir? A luz é tão livre, meu Pai. A riqueza do homem mais poderoso não pode comprá-la... a habilidade do maior artista não pode contê-la e enquadrá-la. Ninguém pode trabalhar par obtê-la. A pobreza dos pobres não pode privá-los dela... Eis como Teu Filho como Luz da Graça soberana brilha, Pai. Soberana Pai... onde quer que ela venha, ela voa nas asas da liberdade... ela ilumina o mais nobre salão, mas ilumina também o mais pobre barraco neste mundo... Te exaltamos que teu filho, como a luz, brilha soberano no coração de quem quiseres sem encontrar impedimento.


    Como ninguém pode comprar a luz do sol que ilumina o mundo Pai, assim é Cristo... Tua Palavra diz: “Vinde e comprai vinho e leite, sem dinheiro e sem preço”... Que em nenhum de nós, Pai, aja a loucura de pensarmos que podemos pagar pela tua luz... luz que brilha e cria um novo mundo para nós como no princípio, Deus.


    Que saibamos que tua Luz não pode ser comprada... que todos os nossos méritos imaginados são apenas deméritos... que vejamos, Pai, que o melhor em nós não passa de pecado... e nós ousaríamos oferecer pecado por Cristo, a Luz do Mundo? Só podemos fiar quietos na escuridão até que Tu brades soberanamente: Haja Luz!


    Todos nós em que tua luz brilhou soberanamente, Deus, damos o testemunho e cantamos... meu Tesouro é um presente da Graça...Ele me amou por Ele me amou... Ele me chamou porque Ele me chamou... Ele me salvou porque Ele me salvou... nós, Pai... éramos apenas trevas silenciosas e horríveis quando Tu disseste: Haja Luz! Então tua luz brilhou para conhecermos a Ti na face do Teu Filho. E a Luz era Ele mesmo.


    Mas em temor, ó Deus, sabemos que a luz é também reveladora. Enquanto estávamos nas trevas e éramos trevas, nos movíamos inconscientes entre inimigos e nos rastejávamos na lama. Uma flecha final estava apontada para nossos corações, mas nada víamos... ríamos nas portas do inferno Deus... essa era nossa cegueira. Cada toque nosso, Pai, era uma mancha... mas não víamos. Mas tu deixaste a luz brilhar sobre nós e então vimos e uma Nova Criação se fez.


    Mas continue nos enchendo de Cristo, Tua luz que tudo revela. Assim é Teu Filho em nós, Pai. Por seus raios, o PECADO é detectado, como espreitando nossos corações... e o MUNDO nos é mostrado, como que querendo encontrar afeições em nossos corações... por tua Luz, como ela brilhou nas trevas no início, Pai, vem e desmascare o monstro... cujo braço é imundície, e cuja mão carrega um cálice de morte.


    Ó Deus querido, o sol é visto pela luz do próprio sol... assim, sabemos que a Luz que Teu Filho é, não revela só os perigos do mundo, do nosso coração... Ele é a Luz que revela a Si mesmo, como o sol o faz. Ele nos mostra sua Cruz... que manifesta seu amor ilimitado por nós Deus... e mesmo num mundo caído é mal, nos leva a bradar sem temor... “Quem nos separará do amor de Deus que está em Cristo?


    Ele, brilhando como Luz, Pai – nos mostra também a preciosidade de seu sangue... onde todas as nossa dívidas foram pagas e nos revela, diante de nossos olhos, as maravilhas da tua Lei, a beleza da tua Palavra. Onde todas as tuas promessas, Pai – brilham com belezas de paisagens inimagináveis iluminadas pelo Sol da Justiça. Todos os dias Pai, Ele retira as cortinas dos céus, e vemos a Ti Pai, como um Deus reconciliado e que pode se alegrar em nós na Luz que Cristo é. Então, Pai... nesses momentos de oração, como agora, temos vislumbres do peso eterno de glória que nos espera.


    Sabemos Pai,  que ordenastes que fôssemos e déssemos muito fruto... mas sabemos também Deus, que a luz é a mãe de toda a fecundidade. Regiões onde Teu sol  raramente toca Deus, são regiões estéreis. Na sombra Pai, a vegetação míngua, a árvore não cresce... inverno perpétuo Deus, é desolação perpétua. Na Criação, como temos visto aqui em Gênesis 1... a luz brilhou para que a terra frutificasse.


    Quando a luz brilha, ó meu Deus, o jardim, a vinha, os campos... logo estão revestidos de abundância, como naquele dia que criaste o mundo. Tal é teu Filho, Tua Luz, ó Pai. Na ausência dEle o coração só produz ervas daninhas e nocivas. Mas quando Ele brilha nos cantos escuros do nosso coração... ó Deus, todas as sementes da Graça brotam... e a árvore da fé fica carregada de frutos dourados... queremos frutificar Deus... nós encha de Luz, nos encha de Cristo.


    Sem a luz Deus, nosso solo seria inflexível e duro... coberto de gelo... se nosso céu estiver preto, sem luz... que esperança há de frutos em nós? Mas quando tua Luz brilha como naquele primeiro dia do mundo... todo gelo no coração se derrete... e nada em nós pode morrer. Pois teu amor, ó Pai, queima e arde em cada câmara do homem interior.

    Esta é a luz que ao brilhar no coração Pai, chama a ousadia do ministro fiel em pregar toda a verdade... Cristo e este crucificado... a ofensa da cruz, Pai... que é escândalo para os Judeus e loucura para os gregos... mas como Tu mesmo disseste, Deus... para os que são chamados eficazmente por Ti... é o poder para a salvação... porque junto com o chamado externo Deus, há o teu brado soberano: Haja Luz!

    Que cada trabalhador na tua vinha ao ver o Sol brilhando, tenha a mesma ousadia... calor no coração e fogo nos lábios.... e assim Pai, corações endurecidos se fundam em um dilúvio de zelo santo por tua glória.

    Ó Deus, que alegria poderia haver quando as trevas pairavam sobre a face do abismo? A luz, como sabemos Deus, é o prenúncio da alegria... Inunde nossos corações de uma alegria que flua da tua Luz que espante o mundo... Durante três dias houve escuridão no Egito Pai... a visão falhou e todo movimento cessou... apreensão e medo... foi um tempo triste. Que jamais o mundo veja teus filhos em apreensão, medo e ansiedade como se estivessem na escuridão. Na viagem tempestuosa que Paulo enfrentou Pai, durante muitos dias eles não viram a luz do sol nem das estrelas... foi um momento triste de desespero para muitos ali... Mas no momento mais escuro da história do mundo Deus, Teu Filho morria na Cruz... e o sol se recusou a brilhar... como ele brilharia se ele foi criado só para ser uma metáfora viva do Verdadeira Luz do mundo que ali carregava naquele instante as trevas do meu pecado... tendo que ser abandonado por ti por minha causa. Que escuridão triste dos meus pecados que levou a Luz do mundo a morte. Que eu jamais brinque, ó Deus, com o pecado que O levou ali, onde a Luz não pode ser mais vista por um momento até ressuscitar gloriosa.

    Até que Teu filho se erga sobre nós a cada dia, nossa manhã não pode ser feliz... parece noite. E sabemos que por mais que seja maravilhosa a luz que vemos agora... vemos por um espelho embaçado... a luz atual é apenas a estrela da manhã da glória vindoura. Aqui na terra Pai, não temos ainda um céu sem nuvens. Mas em breve nós teremos um Deus sem nuvens. Então Pai, em corpos de luz, e vestes de luz... nós, os redimidos, vamos nos reunir numa cidade de luz... “que não precisa da luz do sol e nem da luz, porque a glória do Senhor a ilumina e sua luz é o Cordeiro.

    Que nos deleitemos na luz que tua Palavra é para nos conduzir neste mundo escuro, Pai. Que não confiemos na vela da RAZÃO... pois esse guia não é nosso refúgio... quantos erros e caminhos falsos nossa razão nos aponta Deus... santifica nossas mentes nos dando a mente de Teu Filho, a Luz do mundo! Nossos pensamentos não são rochas, mas areia movediça. O rio de nossa razão está cheio de redemoinhos de destruição. Estrelas errantes são muitos de nossos livros, pensamentos... queremos o Sol Senhor, queremos o Sol.
    Se as “trevas já passaram” na minha vida, e eis que tudo se fez novo Pai, se minha realidade diz que eu vi o Sol da Justiça... que cada dia isso fique evidenciado por eu odiar o pecado, crucificar a carne e pisar o mundo. Que eu me alegre todos os dias nos feixes de luz do conhecimento do Teu Filho que fluem da tua Palavra... que ela inspire cada oração como essa que eu faço agora.

    Quem minha mente esteja no céu Deus, onde o Sol brilha para sempre. O local ensolarado que é a minha morada eterna. Que nessa alegria eu lembre do Jardim que Tu plantaste no início, e como um único pecado desfez toda a bem-aventurança em maldição.

    Tua luz brilhou sobre mim para que eu possa me levantar e brilhar como luz do mundo. Que outros possam ver a luz e ser transformados em luz por Ti através de mim. Somos luas e planetas que refletem a luz do Sol que Teu Filho é. Não criamos luz, só tu podes fazer isso soberanamente... mas podemos refleti-lo... essa é nossa grande ambição no mundo. Mas se os homens forem cegos, não poderão ver Pai... por isso peço: Diga: Haja Luz sobre alguns através de nós. E sabemos que se disseres, como no caos do primeiro dia deste mundo, haverá luz e o caos se desfará.

    Eu gostaria Pai, de dedicar  o mesmo tempo agora ao teu Espírito que naquele dia pairava sobre a face do abismo... mas  sabemos que tudo que Ele faz hoje é apontar para Cristo... a Luz... por isso podemos ser mais breves.

    Teu Espírito é uma fonte de água vida para nossas almas, e pelo Teu Espírito tu criaste as águas e definiu seus limites. To nos deste o verdadeiro Pão do céu, nosso Redentor, através do Teu Espírito que nos Regenerou... como geraste o universo através dele.

    Através do poder do teu Espírito ordenaste que o sol, a lua e as estrelas teriam domínio sobre a luz e as trevas. Enchestes nossa atmosfera de água e aves do ar e águas abaixo, que povoaste de todas sorte de seres aquáticos... Que mundo lindo criastes no poder do teu Espírito para nos mostrar a glória da tua beleza invisível.

    Ó Senhor maravilhoso, criastes o homem, homem e mulher os fez, à tua imagem... a tanto o que falar em oração contigo sobre todas essas coisas. Tu nos concedeste tudo o que precisamos para a vida... e cada uma delas aponta para o Teu Filho. Nos colocaste em domínio sobre todas as coisas na ordem criada. Que sejamos fiéis Deus sabendo que tudo que temos... mundo, mente, bens... não são nossos. Somos apenas mordomos que temos que administrar tudo isso para Tua Glória, ó Trindade Santa.


    Bendito seja o teu nome, ó Deus, Pai, Filho e Espírito Santo, porque só Tu criaste os céus e a terra. Em Nome de Jesus... Amém!

    Amanhã, se Deus quiser, oraremos juntos Gênesis 2.