• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Amazing Grace! As últimas palavras de John Newton.




    William Jay era um jovem pastor em Londres cuja carreira estava começando no mesmo momento em que o ministério de John Newton  (1725-1807) estava chegando ao fim. Como Newton, Jay era um pastor dotado de nenhuma formação teológica formal. No outono de 1807, aos trinta e oito anos de idade, ele levou um caderno e lápis para o que viria a ser sua última visita a seu velho amigo. 


    Newton estava com seus oitenta anos, acamado e confinado a um quarto no segundo andar da casa em Londres de sua filha adotiva e de seu genro. Embora a saúde de Newton, a acuidade visual e a memória estivessem terrivelmente prejudicados, quase esgotados, Jay manteve seu caderno ao seu lado na expectativa de que pudesse levar um pedaço de aconselhamento, qualquer coisa, de seu mentor pastoral.



    Depois de uma breve reunião, Jay desceu as escadas e reentrou na agitação e barulho das ruas de paralelepípedos de Londres, ainda contemplando as linhas que ele tinha riscado em seu caderno. Mais tarde, ele descobriu a riqueza da única linha que anotou, uma linha agora gravada  na história como as palavras finais de John Newton: "Minha memória está quase no fim, mas eu me  lembro de  duas coisas: que eu sou um grande pecador e que Cristo é um grande Salvador. " Newton morreu algumas semanas depois, em 21 de dezembro de 1807. 


    As palavras transcritas por Jay são um resumo simples e profundo da vida de John Newton, um dos maiores pastores da história da igreja e autor de hinos como Amazing Grace.