• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    A mente de Paulo 03 - Apenas uma coisa é necessária.




    "Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para apóstolo, separado para o evangelho de Deus." - Romanos 1:1 


    Como falamos anteriormente, o impacto da Carta aos Romanos nas história da igreja é incomparável sobre qualquer outra porção das Escrituras.


    Olhe para um dos maiores pregadores da igreja primitiva, Agostinho. Era imoral, vivendo com uma amante.... Estava deitado em seu jardim, indiferente a tudo isso em sua vida, quando ouviu crianças ao lado cantando, “Tole! Lege! Tole! Lege!”Tome e Leia! Essa repetição ouvida na cantiga fez com que ele levantasse, entrasse em casa e abrisse as Escrituras. Um texto de Romanos saltou da página como uma descarga elétrica sobre ele:


    “Andemos honestamente, como de dia; não em glutonarias, nem em bebedeiras, nem em desonestidades, nem em dissoluções, nem em contendas e inveja. Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo, e não tenhais cuidado da carne em suas concupiscências.” - Romanos 13:13,14


    Ele diz que foi transformado pelo Espírito pelas justas exigências da Lei e pela oferta da beleza de Cristo para vestir sua alma nua. Através do Evangelho da Soberana Graça que flui de cada página de Romanos, Deus mudou a história da igreja através de Agostinho.


    Pense em Lutero, um monge Agostiniano que se tornou o grande Reformador. Vivendo numa época de total ignorância do evangelho e decadência da igreja ( apesar de sua riqueza, influência, catedrais, poder sobre governos... ) – Lutero desejava agradar a Deus, e ele pensou que poderia fazer “pagando um preço” de forma física.... penitências... de bater e abusar de seu corpo... mas quanto mais ele o fez, mais evasiva era a libertação de seu desespero. Em vez de vir amar a Deus de fato, encontrou-se o odiando. Porque um Deus justo tinha que exigir que sejamos primeiro justos antes que pudéssemos ser aceitos... mas tudo era impossível. Ele não era como muitos (mesmo cristãos), que rebaixam o padrão de justiça de Deus para aceitar a média do que achamos justo em comparação com outros seres humanos. Ele via que um Deus perfeito só podia aceitar perfeita justiça. Ele não podia viver com Deus e ele não podia vivem sem ele.


    O resultado disso? Desespero! Havia sobre ele um profundo temor da ira de Deus. Ele diz: “Se eu pudesse acreditar que Deus não estava irado comigo, pularia de alegria.” Ele lutava com uma única expressão: “Visto que a Justiça de Deus se revela no evangelho”Rm 1.17. – “Justiça” – Um Deus justo tem que punir um pecador injusto com justa medida. Ele então se irava com uma consciência aterradora e perturbada... ele precisa entender como a justiça de Deus se revela no evangelho.


    Ele diz, depois de se debruçar por muito tempo sobre a carta aos Romanos: "Finalmente, pela misericórdia de Deus, meditando de dia e de noite, dei atenção ao contexto das palavras, a saber:  'O justo viverá pela fé.' Então comecei a entender que a justiça de Deus é aquela pela qual o justo vive por um dom de Deus, em outras palavras, pela fé. Aqui senti como se tivesse nascido de novo e entrado no paraíso por portões abertos". Isso não transformou só Lutero... transformou o mundo.


    Deus deixou claro o significado da verdade a Lutero, que a justiça que Lutero necessitava, não era a justiça construída pela abnegação, orações, boas obras, penitência... mas a Justiça perfeita de nosso Senhor que é imputada livremente como um dom da Graça Soberana ao sermos levados a crer pelo chamado irresistível do Espírito Santo. A Justiça de Lutero só poderia ser a justiça de Jesus Cristo. Lutero entendeu finalmente, que foi salvo pela forma como Cristo viveu – vida perfeita que agora era atribuída a ele – e como a propiciação ( sacrifício que aplaca a ira ) foi feita por ele na cruz por seu substituo – Cristo.


    Justificação pela fé somente, sem as obras da lei, foi o triunfo da graça na vida de Martinho Lutero. Ele realmente ficou, por assim dizer, de pernas para o ar de alegria, e, juntamente com ele, o mundo inteiro foi revirado.


    Antes de Deus ter mudado tudo em sua vida através da carta aos Romanos, Lutero diz: "Eu não tinha amor por esse Deus santo e justo que pune os pecadores. Eu estava cheio de raiva secreta contra ele. Eu o odiava, porque  não contente com a assustadora e perfeita Lei que nos condena justamente, nós pecadores miseráveis, já arruinado pelo pecado original, Ele ainda aumentou ainda mais as nossas torturas pelo evangelho. . . . Mas quando, pelo Espírito de Deus, eu entendi as palavras - quando eu aprendi que a justificação do pecador sai da livre misericórdia de nosso Senhor através da fé em Jesus Cristo dada a nós pelo Espírito. . . Então eu me senti nascendo de novo como um novo homem. . . . Na verdade, esta linguagem do apóstolo Paulo foi para mim a verdadeira porta para o Paraíso." As palavras de Romanos foram a causa da gloriosa Reforma, da vida e da liberdade que nos alcançou por Graça hoje.


    A partir de Romanos e daquele momento em diante, o coração de Lutero foi totalmente cativo a Palavra – Eis porque um dos brados da Reforma é Sola Scriptura.


    Antes de entrar no mosteiro, Lutero nunca tinha visto uma bíblia (Ele tinha 20 anos quando teve uma pela primeira vez), e isso apesar de ser um altamente educado estudante universitário.


    Martin Brecht observou:
    “Lutero tornou-se tão familiarizado com (o seu exemplar da Biblia) que ele sabia o que estava em cada página e em cada passagem que foi encontrando. Por causa da inteireza da imagem da verdade dela em sua mente. Desta forma, ele desenvolveu um conhecimento extraordinário e fenomenal da Bíblia. É evidente que o que estamos falando, é que ele nunca teve uma relação superficial com a Bíblia. Lutero meditou sobre tudo o que leu, e assim foi capaz de manter a essência de cada capítulo... Ao olhar para  a conclusão de sua volumosa obra teológica, Lutero pode dizer: ‘eu amava a Bíblia’”.


    Mesmo depois de todas as suas descobertas, da Reforma iniciada... Lutero continuou a dedicar-se a cada página de sua Bíblia. Brecht escreve:
    “Em 1533, ele poderia dizer a si mesmo que há anos ele lia a Bíblia toda pelo menos duas vezes por ano, e que havia examinado cada pequeno ramo desta grande árvore. Neste amor e paixão pela Bíblia Lutero foi um paradigma.”


    Por que precisamos ver a Carta aos Romanos queimando em cada coração, em cada jovem da igreja de nossos dias? O que causou a Reforma?


    Embora muitas pessoas digam que desejam o mesmo que aconteceu na Reforma em nossos dias, não creem que apenas uma coisa é necessária.


    Ao responder o que causou a Reforma, muitas pessoas tendem a responder apontando para Lutero e suas 95 teses.


    Mas se a pergunta fosse feita a Lutero, ele não chamaria a atenção para ele ou para o que ele escreveu. Ele daria todo crédito tão somente a Deus e a Sua Palavra.


    Já próximo de sua morte, Lutero declarou: “ Tudo o que eu tenho feito é colocar diante das pessoas a Palavra de Deus... pregar e escrever sobre a Palavra de Deus... e para além disso, eu nada fiz... foi a Palavra que fez grandes coisas... eu não fiz nada; a Palavra tem feito e conseguido tudo.”

    .
    Em outro lugar ele declarou: “Pela Palavra a terra foi criada; pela Palavra a Igreja veio a existência; pela Palavra a Igreja foi salva agora do engano; e pela Palavra também será sempre restabelecida.”


    Observando o lugar central da Escritura em seu próprio coração, Lutero escreveu: "Não importa o que aconteça, você deve pregar somente a Palavra de Deus: Esta é a minha rocha e  âncora. Nisso eu confio,  continuarei a confiar e nela permanecerei. Onde a Palavra permanece, eu também permanecerei; onde ela for, eu também irei.”


    Lutero entendeu o que causou a Reforma. E reconheceu que era tão somente a Palavra de Deus, pregada por homens de Deus, pelo poder do Espírito de Deus... e na linguagem do povo comum da Europa, na linguagem que eles pudessem entender. A Verdade e nada mais... a Verdade estava apenas no Livro... não havia outra fonte da onde ela pudesse fluir... só a Palavra. Então os ouvidos dos homens comuns foram expostos à Verdade da Palavra de Deus. Verdade que tinha explodido sobre Lutero na carta aos Romanos. Verdade que perfurou os duros corações há 500 anos pela ação soberana do Espírito e eles foram mudados radicalmente.


    Esse tinha sido o mesmo poder que tinha transformado primeiro o seu próprio coração... a Palavra e nada mais... um poder, como Lutero disse, que podia ser resumido nas palavras familiares de Hebreus 4.12: "Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e espírito, e de juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração."


    A linha comum de Reformador para Reformador, foi um compromisso inabalável com a autoridade e suficiência das Escrituras, de tal forma que eles estavam dispostos a sacrificar tudo, incluindo suas próprias vidas, para obter a realidade da Palavra de Deus nas mãos do povo.


    Eles fizeram isso porque eles entenderam que o poder de reforma espiritual e reavivamento não estavam neles, mas no Evangelho (cf. Rom. 1: 16-17) – “Porque não me envergonho do evangelho, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego. Porque no evangelho é revelada, de fé em fé, a justiça de Deus, como está escrito: Mas o justo viverá da fé.”


    E eles usaram a frase em latim Sola Scriptura ("Somente a Escritura") para enfatizar a verdade de que a Palavra de Deus era o verdadeiro poder e autoridade final por trás de tudo o que dissessem e fizessem.  Que não há autoridade fora da Palavra. E que nenhuma revelação há para a igreja que não esteja no Livro. Autoridade e Suficiência definem o Livro. Nenhuma outra fonte de revelação de Deus há. É o homem e sua Bíblia, não o homem e sua visão, suas experiências, seus sonhos, suas revelações...


    Foi a ignorância das Escrituras que fez a Reforma necessária. Foi a recuperação das Escrituras, recuperação da Verdade na carta aos Romanos, que fez a Reforma possível. E foi o poder da Escritura que deu a Reforma seu impacto duradouro... Isso acontece tão somente quando o Espírito Santo infunde a verdade da Sua Palavra sobre corações que Ele regenera soberanamente.


    E nada é mais profundo e completo para mostrar isso que a Carta aos Romanos.


    Eu estava lendo esses dias sobre um jovem piloto americano – que tinha acabado de se casar -  e que seria enviado para o Iraque por seis meses, um lugar perigoso em um momento perigoso. Ele queria estar preparado para qualquer coisa que acontecesse – e a primeira coisa que ele fez,  foi memorizar a carta aos Romanos na sua totalidade, para que se ele fosse capturado, preso e privado das Escrituras, ele tivesse escondido a palavra de Deus em seu coração em toda a plenitude da revelação que Deus fez em Romanos.


    Se você fosse privado das Escrituras, você teria romanos em teu coração? Esse jovem piloto foi sábio... ele podia perder a liberdade na guerra, mas não podia perder a Verdade contida em Romanos. Ele desejou decorar toda a carta e assim o fez, pois ele sabia que assim ele teria Todo o Evangelho disponível para ele em qualquer situação. Compreenda Romanos e você terá compreendido tudo o que importa nesta vida.

    Até o próximo passo em nossa longa viagem em Romanos.

    Finalmente entrando em seu texto.