• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    A mente de Paulo 02 - A Centralidade de Deus.




    Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para apóstolo, separado para o evangelho de Deus - Romanos 1: 1


    Há algum tempo atrás eu escrevi o texto chamado “uma carta lançada ao vento” - onde contei que Bob Dylan estava caminhando no início dos anos sessenta por uma rua de Nova York, e notou um pedaço de papel amassado na rua. Parecia apenas lixo sendo soprado pelo vento, mas ele viu nisso uma parábola da verdade sendo amassada e jogada fora como lixo aqui neste mundo. Ele lamentou isso numa música chamada “Blowin in the Wind”


    A verdade senda amassada e jogada fora – não é uma das maiores tragédias na vida do cristianismo da nossa geração? Imagine Lutero, por exemplo, andando numa rua escura da Idade Média, uma carta amassada, a verdade jogada fora... ele se abaixando para pegar... a verdade abandonada numa carta amassada e antiga escrita aos romanos... que impacto isso teve no mundo. Não está na hora de nos agacharmos e não deixar a verdade ao vento?


    Um homem chamado Paulo há milênios atrás escreveu uma carta com suas mão já frágeis, em folhas frágeis, com suas mãos sujas de tinta... e a enviou a algumas pessoas perseguidas em Roma, a maioria das quais ele jamais havia visto. Eles não deixaram a verdade contida ali ficar a deriva no vento... A carta começou a mudar as pessoas ( Pelo poder infinito do Seu verdadeiro Autor)... verdades ocultas deste a eternidade estavam claramente sendo reveladas... ao longo do tempo... as vezes sendo deixada amassada e sendo levada pelo vento... a carta foi chegando e a verdade sendo restaurada.


    Em 386 dC, um homem chamado Agostinho estava lutando com a escravidão a luxúria, paixões sexuais que desonram totalmente o Criador de todas as coisas... mas Deus falou com Agostinho através de Romanos... a carta amassada e levada pelo vento atingiu como uma bomba, este, que vai ser um dos homens mais importantes da história da Igreja. Agostinho se levantou como um novo homem...


    Por volta de 1515, Martinho Lutero estava lutando com sentimentos devastadores... temor a Deus, misturado com uma espécie de “ódio”, por perceber que Deus não poderia ficar satisfeito em sua justiça perfeita, por mais que um homem pudesse tentar... condenação, condenação... era a única palavra que a justiça perfeita poderia declarar, mesmo que ele vivesse num mosteiro da maneira mais rígida possível. Mas a carta amassada e jogada ao vento pela igreja durante séculos, foi encontrada por ele. Deus falou com ele através do livro de Romanos sobre a Graça. A culpa infinita e depravação total do homem, sua incapacidade, como ele merecia tão somente a ira... mas sobre a Graça soberana que justifica o homem. O Deus soberano que tudo faz para Sua glória e salva tão somente para manifestar a glória da sua graça...


    As verdades do papel, da carta... já foram abandonadas muitas vezes depois disso. A carta já foi abandonada, amassada e jogada ao vento várias vezes nos últimos 500 anos depois da Reforma. Foi achada, transformou vidas... mas loucamente foi amassada e abandonada ao vento outras tantas vezes... Nossa geração não fez diferente, pelo contrário. Amassamos e jogamos fora... evitamos... Romanos 9, por exemplo, não tem sido jogado ao vento? “Terei misericórdia de quem eu quiser ter misericórdia e terei compaixão de quem eu quiser ter compaixão". Portanto, isso não depende do desejo ou do esforço humano, mas da misericórdia de Deus. Pois a Escritura diz ao faraó: "Eu o levantei exatamente com este propósito: mostrar em você o meu poder, e para que o meu nome seja proclamado em toda a terra". Portanto, Deus tem misericórdia de quem ele quer, e endurece a quem ele quer.” - Romanos 9:15-18


    Como falamos ontem, queremos juntos e calmamente estudar esta grande Carta aqui no blog passando por toda ela, e disse que seria  uma viagem inesquecível pela mente de Paulo... na Verdade, Pela Mente de Deus.

    Romanos...

    O que você pode dizer sobre isso? Esta Carta tem sido estudada mais intensamente por mais pessoas de grande inteligência e capacidade do que qualquer outro documento na história da humanidade. Talvez não ninguém que está lendo este texto tenha lido a Carta Magna (embora a maioria de nós já tenha ouvido falar sobre ela), mas muitos de nós leu a carta aos Romanos... e nós somos pessoas comuns. Ela tem sido o foco do interesse mais profundo onde cristianismo tem ido em toda a história.


    Jamais, jamais ouve qualquer movimento (verdadeiro avivamento) na história da igreja sem que ele não tenha sido ligado a esta carta de alguma forma. Onde a carta aos Romanos foi ignorada, em seguida, heresias mortais penetraram facilmente na igreja e a escuridão dominou... Não existe nada duradouro, no que diz respeito a igreja, onde a carta aos Romanos não tenha sido profundamente conhecida e amada. Através dela homens se tornaram homens e mulheres de Deus... maturidade é sinônimo de amá-la.
    Nós vivemos num momento de tremenda secularização... mesmo da igreja de nossa geração... e o poder e hostilidade de nossa cultura contra o verdadeiro cristianismo, a apatia esmagadora dentro da igreja de nossos dias... não será vencida, exceto, que as verdades (doutrinas) contidas nesta carta sejam clara e ousadamente proclamadas, entendidas, aplicadas e obedecidas por nós de todo coração.


    Para testar a espiritualidade de qualquer homem que se diz cristão, deveríamos perguntar: “Você conhece bem a Carta aos Romanos?”


    Sobre o que é a carta aos Romanos... sobre o que é toda a verdade tantas vezes amassada e jogada ao vento contida nesta Carta? É sobre Deus! Eis o tema da antiga carta escrita por Paulo. Deus! Não nós. Nem mesmo a graça, ou a lei, ou a fé... Romanos é sobre Deus. Se colocarmos de lado as expressões como “a” e “e”... a palavra mais utilizada em todo livro de Romanos é Deus, uma vez a cada 46 palavras. Romanos é mais intensamente focado em Deus do que qualquer outro livro do Novo Testamento. Qual é o ponto? A mensagem é basicamente simples – no primeira parte da carta – Romanos 1.18-5.21 – temos a explicação do evangelho de maneira maravilhosa – Deus está nos dizendo – “Você é muito pior do que você pensa ( talvez por isso a carta foi tantas vezes amassada e jogada ao vento ), e Eu sou infinitamente maior e melhor do que você pode imaginar, e essa descoberta vai mudar totalmente, de forma maravilhosa, única e definitiva, a tua vida”. Todos que pegaram, desamassaram e leram iluminados pelo Espírito a carta lançada ao vento, experimentaram isso. Mesmo tendo chegado apenas até o 5.20, a boa notícia, depois da devastadora realidade mostrada, explode – “Onde o pecado abundou, superabundou a graça!” – A Graça que Justifica, Santifica, Glorifica... A soberania do Deus de toda graça sobre inimigos mortais. A graça de Deus nunca é gasta ou reduzida pelo tempo... mesmo que muitos joguem a carta ao vento. A graça de Deus, portanto, é infinita.


    Quando somos ofendidos por alguém, o relacionamento se esvai... Mas quando a Verdade Soberana nos ofende... e mais, quando o Deus soberano é tão grandemente ofendido, como tem sido... Ele se aproxima com Soberana Graça. Mas a boa notícia começa com uma má notícia – terrível na verdade. “A ira de Deus se revela do céu contra toda a impiedade e injustiça dos homens que por sua injustiça suprimem a verdade” – Romanos 1.18.


    Não, não amasse a carta e jogue ao vento... nada mais profundo sobre Deus pode ser achado em qualquer outro lugar.  Nada mais pode salvar nossa geração de "cristãos" - Sinta o poderoso golpe da ofensa, depois veja o infinito poder da Graça Soberana, a centralidade de Deus e Sua glória!

    Até o próximo passo em nossa longa viagem em Romanos.