• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Até um ateu vê e diz que é grotesco!




    Salmo 14: 1 -  Diz o néscio no seu coração: "Deus não existe". 

    Mas ainda mais insensato é acreditar em um Deus que você constrói de acordo com os seus próprios gostos e preferências.

    Como é comum ouvir pessoas que se dizem cristãs falarem: “Eu penso que Deus não pode... eu não posso conceber um Deus que... o Deus que eu creio tem que ser...”


    Aqui está um parágrafo do senso comum refrescante do famoso escritor inglês e ateu,  Julian Barnes:

    “Uma resposta comum em inquéritos sobre as atitudes religiosas é dizer algo como: ‘Eu não vou à igreja, mas eu tenho a minha própria ideia pessoal de Deus.’” Este tipo de declaração, por sua vez, me faz reagir como um filósofo estupefato. Na verdade, eu choro.


    Você pode ter a sua própria ideia pessoal de Deus, mas que ideia pessoal esse suposto Deus tem de você? Porque isso é o que importa se há um Deus. Se existe um Deus, Ele não pode ser concebido por tua mente... e a mente dele tem que ter uma ideia pessoal de você... e se Ele é Deus, é isso que importa.

    Se  Ele é um homem velho de barba branca sentado no céu, ou uma força de vida, ou uma força motriz desinteressada, ou um relojoeiro, ou uma força moral nebulosa, o que conta é o que Ele é  - O que você pensa dele não importa, mas o que Ele pensa de você, ou Ele se torna mera criação de tua mente.”



    Você vê? Mesmo um ateu pode ver que a noção de redefinir a divindade em algo que funciona para você é completamente grotesco.