• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    A morte agora e tua como é de Cristo.




    Andrew Rivet nasceu em 1573. Ele era um grande teólogo francês, cheio do Espírito e a maior parte de sua vida viveu na Holanda. Foi professor na Universidade de Leyden. No dia de Natal de 1650, quando tinha 77 anos, ele pregou seu último sermão, adoecendo gravemente logo depois. Só sabemos que era uma grave doença no abdômem. Ele morreu em 7 de Janeiro de 1651.


    Rivet viveu para a proclamação da Verdade de Deus, foi um estudioso, professor e pregador extremamente produtivo durante 50 anos. Mas ele diz que quando a morte se aproximou definitivamente, Deus, em um sentido muito real, fez mais por ele do que em todos esses anos anteriores. Ele disse:
    “O sentimento do favor divino aumenta em mim a cada momento. Minhas dores são grandes, mas toleráveis, mas a minha alegria é inestimável. Não estou ansioso com preocupações terrenas... Só posso dizer – ‘Senhor, tu és meu tudo. Senhor, quão bom é aproximar-me mais e mais de ti... eu tenho aprendido em doce comunhão mais nestes últimos dez dias da tua glória do que eu fiz nos últimos cinquenta anos’”.


    A hora da sua morte tornou-se serva de Rivet – diferente do horror do homem fora de Cristo – Tornou-se seu professor, seu santificador, seu catalisador de adoração mais profunda.


    "Eu já estou sendo derramado como uma oferta de bebida. Está próximo o tempo da minha partida. Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé.” - 2 Timóteo 4:6-7


    Independente de nossa idade, o tempo de nossa partida em breve virá! A vida é um sopro... Jamais deixe que a sua mente se perturbe com a. . .

      
     onde você morrerá,
     quando você morrer,
     ou como você morrerá!

    Estas são todas questões menores - e não deve afetá-lo.


    Basta olhar para a morte como Jesus fez: "Jesus sabia que tinha chegado o momento para ele deixar este mundo - e ir para o Pai!" - João 13:1


    Por que você deve se arrepender de deixar um mundo pobre como este -  onde o pecado, tristeza, dor, angústia, decepção e ansiedade o encontram em cada momento? Por que você deve estar relutantes em ir para casa - para ir para o Pai?


    Você não quer ver o seu rosto?
    Você não quer desfrutar de sua companhia?
    Você não quer ser perfeitamente feliz em Sua presença?

    "Eu desejo partir e estar com Cristo, o que é muito melhor!" - Filipenses 1:23


    A verdade bíblica não romantiza a morte. A morte é um inimigo: “Cristo deve reinar até que tenho posto todos os inimigos debaixo de seus pés... O último inimigo a ser destruído é a morte” – 1 Co 15.25-26. Não fomos criados para morrer – a morte é o resultado do pecado humano – é uma maldição, um inimigo: “Portanto, da mesma forma como o pecado entrou no mundo por um homem, e pelo pecado a morte, assim também a morte veio a todos os homens, porque todos pecaram” - Romanos 5:12


    Mas a Verdade ressoante por todo o Novo Testamento é que a morte é um inimigo conquistado. Não devemos nos cobrir de imagens simplistas e românticas aqui, mas temos que crer com todo o coração – o que nos leva ao gozo mostrado por Rivet, Paulo... na verdade absoluta: “Quando, porém, o que é corruptível se revestir de incorruptibilidade, e o que é mortal, de imortalidade, então se cumprirá a palavra que está escrita: "A morte foi destruída pela vitória". "Onde está, ó morte, a sua vitória? Onde está, ó morte, o seu aguilhão? " O aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. Mas graças a Deus, que nos dá a vitória por meio de nosso Senhor Jesus Cristo.” - 1 Coríntios 15:54-57


    Não é apenas vitória, mas mais do que vitória! Em que sentido? “Quem nos separará do amor de Cristo? Será a tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada (Mort por martírio)?... Não! Em todas essas coisas somos mais do que vencedores... porque estou bem certo de que nem a morte, nem a vida será capaz de nos separar do amor de Deus em Cristo Jesus...”Romanos 8.35-39


    Deus nos dá, sobre a morte, mais do que a vitória. A morte foi derrotada por Cristo. Está presa nas cadeias do poder da ressurreição, não podendo de forma alguma nos destruir. Mas mais do que isso, a morte está entregue, amarrada e derrotada como uma serva da igreja. Ela tem que servir a igreja... cada um daqueles que compõe o corpo de Cristo. Somos mais do que vencedores porque a morte não só foi derrotada e feita incapaz de nos destruir, mas na verdade está escravizada e se fez serva do povo de Deus. Tudo agora serve a igreja, até a morte: “Portanto, ninguém se glorie em homens; porque todas as coisas são de vocês, seja Paulo, seja Apolo, seja Pedro, seja o mundo, a vida, a morte, o presente ou o futuro; tudo é de vocês, e vocês são de Cristo, e Cristo, de Deus.” - 1 Coríntios 3:21-23


    A morte agora e tua como é de Cristo. Nós somos de Cristo, para vivermos para sua glória, servi-lo, exaltá-lo na vida e na morte. Assim, a morte é tua serva. O inimigo, a morte, está derrotado, escravizado e entregue ao serviço dos santos.

    A morte agora é escrava, uma serva da igreja... ela além de não poder nos destruir, é obrigada a nos levar para o desejo eterno e a plenitude para a qual fomos criados de novo em Cristo.

    Você não quer ver o seu rosto?
    Você não quer desfrutar de sua companhia?
    Você não quer ser perfeitamente feliz em Sua presença?

    "Eu desejo partir e estar com Cristo, o que é muito melhor!" - Filipenses 1:23