• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    A deformidade da visão de Deus num “cristianismo pagão”.




    Interesses! Todo paganismo antigo estava firmado sobre o alicerce de que cada um dos muitos deuses estavam ligados aos seus adoradores tão somente por interesses mútuos. A Ideia de Deus estar obrigado a fazer algo pelo homem flui desse paganismo – Há um “cristianismo” quase generalizado que está firmado sobre estas mesmas bases – Deus tem que ajudar, Deus está na obrigação de me amar. Não é difícil escutarmos frases do tipo – “Se Deus não fizer isso, então Ele não é...” – e cada um completa a frase com aquilo que pensa Deus estar obrigado em relação a algum ser humano. Paganismo! Isso é paganismo enraizado no coração humano que nada mais é, em seu estado natural, “uma fábrica de ídolos” de falsos deuses, como expressou  tão bem Calvino.


    Mas Deus não tem qualquer relação de dependência com suas criaturas, em nada depende delas para sua plenitude e perfeita felicidade e satisfação:


    “Nem tampouco é servido por mãos de homens, como que necessitando de alguma coisa; pois ele mesmo é quem dá a todos a vida, e a respiração, e todas as coisas” - Atos 17:25


    “Não te repreenderei pelos teus sacrifícios, ou holocaustos, que estão continuamente perante mim. Da tua casa não tirarei bezerro, nem bodes dos teus currais. Porque meu é todo animal da selva, e o gado sobre milhares de montanhas. Conheço todas as aves dos montes; e minhas são todas as feras do campo. Se eu tivesse fome, não to diria, pois meu é o mundo e toda a sua plenitude. Comerei eu carne de touros? ou beberei sangue de bodes?” - Salmos 50:8-13


    Deus não ser servido por mãos humanas é a pior notícia para o coração do homem caído. Se Ele, como Paulo afirma, “não depende de nada que o ser humano pode oferecer”, se Ele é auto-suficiente todos que pensam que podem negociar com Ele baseados em algo que merecem, estão completamente iludidos. Deus não é obrigado ( o que seria uma relação de justiça – dar o que é merecido ) a nos mostrar nenhum favor depois do pecado e da queda humana. Apelar para Sua justiça é apelar para a condenação, que é a única coisa que o homem merece: “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”; - Romanos 3:23 – Portanto, Deus não tem que usar de misericórdia, “ter” e “obrigado” é o oposto de misericórdia: “Pois diz a Moisés: Compadecer-me-ei de quem me compadecer, e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia. Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece.” - Romanos 9:15-16 – Isso é misericórdia – Um ato da “livre Graça” de Deus.


    Você não pode dar nada a Deus para que ele te deva algo: “Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado?” - Romanos 11:35


    Há uma famosa frase de Heinrich Heine (13 de dezembro de 1797 - 17 de Fevereiro de 1856 -  Ele foi um dos mais significativos poetas alemães do século 19. Ele também foi um jornalista , ensaísta e crítico literário .) que diz: Dieu me pardonnera. C’est son metier!”“Deus me perdoará. Este é o seu trabalho!” – que infelizmente se tornou – contradizendo o ensino bíblico – a base de um “cristianismo pagão” de nossos dias. Na verdade, mesmo o arrependimento é um dom de Deus – mas neste momento estamos olhando para a deformidade da visão de Deus de um “cristianismo pagão”, onde é óbvio, a palavra graça e misericórdia perdem sentido e são vazias de significado.


    Em Romanos 9 Paulo responde a um questionamento sobre a justiça de Deus levando o homem a olhar para a misericórdia. Ele está dizendo, não apele para a justiça, a salvação não é uma questão de justiça, a justiça diz que você está inapelavelmente perdido, ela clama por tua morte, você nada merece como pecador, senão a justiça que te condena, e o que não é merecido não pode ser reivindicado como dívida.


    Ele está dizendo que a salvação não é sobre começar com o que você merece, ou o que você pode fazer para merecer, salvação é a cerca da misericórdia. Se você quiser o que você merece, bem isso é simples, é o inferno. Justiça é o que alguém merece.


    Paulo está dizendo: “Não, não, não, você que está falando e preocupado com justiça na salvação está pensando com a categoria errada. Aqui, o homem perdido só pode pensar em termos de misericórdia: “Pois diz a Moisés: Compadecer-me-ei de quem me compadecer, e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia. Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece.” - Romanos 9:15-16. Se você pensa na categoria da justiça, então a maldição de Deus e o inferno de Deus é o que você terá, e quanto mais você achar que merece algo de Deus, mas longe estará da Sua misericórdia. A ideia de merecimento vem de mentes como a de Jean-Jacques Rousseau, por exemplo, que disse: “O homem é bom por natureza. É a sociedade que o corrompe” (Eis o velho pelagianismo) – Ou seja, o “cristianismo de muitos vem de Heinrich Heine, vem de um dos principais filósofos do Iluminismo como Rousseau, mas não da Bíblia. A Bíblia diz o oposto do ser humano: “...porque a imaginação do coração do homem é má desde a sua meninice...” – Gênesis 8.21“Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer. Não há ninguém que entenda; Não há ninguém que busque a Deus. Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só”. - Romanos 3:10-12 – não havendo um justo sequer, não fale jamais em justiça, ou que Deus será injusto se não fizer isso ou aquilo... misturando a idéia de justiça com salvação e perdão da parte de Deus.


    Observe o que Paulo diz: "Por isso, não depende do querer do homem" – Você vê, não é Calvino ou Lutero falando aqui, isso está sendo dito quase 15 séculos antes deles nascerem. Esse é Paulo, e a discussão levantada por este homem com Paulo, é a mesma na qual o homem insiste hoje.


    E outros dizem: "Ah, não, a salvação é sobre fazer boas ações e ser uma boa pessoa e usar sua ‘liberdade’ para ganhar sua salvação, por isso não depende do homem que corre" – Não! “Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus usar de sua misericórdia!” – Romanos 9.15,16.


    Se você está pensando sobre a justiça de Deus na salvação em relação a alguns serem salvos e outros não, você está pensando sobre a categoria errada. A categoria é a misericórdia. Veja, a única coisa que você pode reclamar é que Deus dá a alguns algo que eles não merecem; céu. Enquanto ele dá a outros precisamente o que eles merecem. Essa é a única coisa que você pode dizer. Você pode dizer: "Senhor você é inteiramente generoso." Sim, você pode dizer isso, mas você não pode dizer que Ele é injusto.


    Deus  não é obrigado a ter piedade e a perdoar, e se o fizer será um ato, como dizemos, "de sua livre vontade", e ninguém o obriga a revidar suas intenções. "Portanto, isso não depende do desejo ou do esforço humano, mas da misericórdia de Deus" (Rm 9:16).