• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Não deixe tua teologia ficar no caminho do teu amor? Como assim?




    Eu hoje ouvi um proeminente pastor evangélico advertir em um sermão, que não devemos deixar que nossa teologia fique no caminho do nosso amor.
    Fico sempre chocado ao ouvir pastores advertindo contra a teologia, porque isso equivale a um ato de “auto-sabotagem” – se de fato você é cristão. A teologia é tudo o que temos. Imaginem o Steve Jobes falando contra o uso de smatphones, ou Bill Gates falando sobre não usarmos computadores, ou George Foreman falando contra comer carne e ter um grill... Tire a teologia bíblica da igreja e ela não tem mais nada a não ser puro vapor e ar.


    A “teologia” não bíblica pode ficar no caminho do amor (como Deus o define) – na verdade se não é teologia bíblica ficará certamente no caminho do amor. Toda compaixão que leve a uma redefinição do evangelho é falsa e o oposto do amor.


    Eu entendo então como a falsa teologia ( humanista ) pode ficar no caminho do amor. Mas a boa teologia é simplesmente a visão de Deus sobre a criação, a humanidade, o pecado, a salvação, o sexo, o casamento, os relacionamentos... em conformidade com tudo o que Deus revelou sobre si mesmo. Na medida em que falamos sobre qualquer um desses assuntos de forma que se alinhe com o que Deus claramente diz em Sua Palavra, temos boa teologia... temos a Verdade de Deus! Este pensamento correto sobre Deus ( Como Ele se revelou ) e Seu mundo deve nos levar a amar a Deus sobre TUDO (Como Ele é ), e apenas como um eco desse amor supremo amar a sua criação – criada para manifestar a glória da Sua pessoa, Seu caráter... Ou seja, nós ainda não entendemos realmente e amamos o que Ele revelou, ou ainda somos seus inimigos.


    A Bíblia em nenhum lugar sugere que boa teologia pode dificultar amor. Paulo passa a primeira metade de suas cartas expondo boa teologia. Quando ele faz a transição para aplicação na segunda parte de suas cartas, ele nunca adverte que algumas das coisas boas reveladas por Deus que ele mencionou no início de suas cartas podem agora se tornar um perigo. E nem nós jamais deveríamos, se servimos o mesmo Deus e cremos na mesma Palavra.


    O pastor que estava falando sobre não deixarmos nossa doutrina ficar no caminho do amor, estava abordando a questão homossexual. Ele não tinha coragem de dizer que o que a Bíblia diz sobre isto está errado ( pelo menos por enquanto não ) – então ele dizia que a teologia não era de todo ruim. Mas ele queria fazer coro com a torcida progressista da cultura atual – então ele disse que o amor ao invés da doutrina é o mais importante. ( Esse sempre foi o discurso do Liberalismo ).


    O que ele esqueceu, ou quer que nós esqueçamos, é que nós nem sabemos o que é o amor além da teologia. João escreveu: “Conhecemos o amor nisto: que ele deu a sua vida por nós...” (1 João 3:16).  “Deus é amor” ( 1 João 4.8 ). E disse: “E esta é a mensagem que dele ouvimos, e vos anunciamos: que Deus é luz, e não há nele trevas nenhumas.” ( 1 João 1:5 ). A Bíblia continua dizendo em todo lugar que “Santo, Santo, Santo é o Senhor dos Exércitos” (Isaías 6.3)... 


    Essas são afirmações teológicas... precisamos de Toda a Verdade de Deus ou não temos a Verdade de forma alguma: “Portanto, no dia de hoje, vos protesto que estou limpo do sangue de todos. Porque nunca deixei de vos anunciar todo o conselho de Deus.” (Atos 20:26,27). Como toda boa teologia ( Bíblica ), ela nos leva a amar – com a definição de Deus de amor e não da cultura atual. Só o amor como Deus o revela é amor. Por que Ele – em seu caráter santo e imutável – “é amor!” Nada em desacordo com Ele pode ser assim chamado. Se o amor é deturpado nesse mundo, é exatamente por não expressar a Verdade de Deus. Quando estudamos e meditamos nesse Deus, nós estamos fazendo teologia. Teologia bíblica, portanto, jamais é um obstáculo para o amor ( a menos que você tenha abandonado a definição bíblica e abraçado a definição da mente humana em inimizade contra Deus – “Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser.” Romanos 8:7 ).  

    Teologia então jamais é um obstáculo para o amor, mas como João, por exemplo, repetidamente diz, é a ÚNICA maneira que ele pode ser expressado no mundo.

    A Bíblia ensina em todo lugar, que cada atributo descritivo de Deus inclui todos os outros. Se pegarmos o atributo do seu amor, por exemplo: O amor de Deus é um amor justo, um amor eterno, um amor soberano, um amor santo, um amor que odeia o pecado... muitos ( liberais, humanistas... ) tentam, além de redefinir o amor conforme a cultura, dar à primazia ao amor porque querem negar a primazia de atributos como onipotência e imutabilidade, para não mencionar justiça e ira. Mas a Bíblia só conhece o amor como Deus o define. E se o amor inclui todos os outros atributos - se o amor de Deus é onipotente e imutável, então não se ganha  nada ao tornar o amor o atributo principal de Deus. A não ser que redefinam Deus, o amor... abandonando a Bíblia e abraçando a mente humana em detrimento dela. Mas para estes Tiago diz: “Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.” -  Tiago 4:4

    Como filhos de Deus devemos andar de modo digno dEle. Mas como? Paulo diz que fazemos isso vivendo de modo coerente com o caráter revelado de Deus – Por exemplo, no início de Efésios Paulo fala primeiro sobre a revelação do amor de Deus ( 1.4 ), depois sobre a iluminação do povo de Deus apenas por Graça soberana (1.17); e mostra a revelação da sabedoria de Deus na salvação (3.10). Depois, no restante da carta – por exemplo, no capítulo 5, Paulo retoma esses temas e mostra como a verdadeira vida cristã é sempre coerente com eles. Viver segundo a vontade de Deus é andar em amor, é andar na luz, é andar em sabedoria...


    "Sede pois imitadores de Deus, como filhos amados; e
    andai em amor, como também Cristo vos amou, e se
    entregou a si mesmo por nós, em oferta e sacrifício a
    Deus, em cheiro suave.
    Mas a prostituição, e toda a impureza ou avareza, nem
    ainda se nomeie entre vós, como convém a santos; nem
    torpezas, nem parvoíces, nem chocarrices, que não
    convém; mas antes ações de graças.
    Porque bem sabeis isto: que nenhum fornicário, ou
    impuro, ou avarento, o qual é idolatra, tem herança no
    reino de Cristo e de Deus. Ninguém vos engane com
    palavras vãs; porque por estas coisas vem a ira de Déus sobre os filhos da desobediência." -Efésios 5:1-6. 

    Andar em amor, andar na luz, a ira de Deus sobre o pecado... são tudo aspectos da mesma coisa.

    Martinho Lutero costumava dizer que o problema com o homem é que ele é incurvatus in se - curvado sobre si próprio. Ele torceu os propósitos de Deus para a sua vida vivendo para si mesmo. Mas a graça muda isso, e o faz mudar mais e mais, com vistas a produzir a semelhança de Cristo em nós. Andar segundo a vontade de Deus significa viver como uma oferta a Deus e como um sacrifício vivo (Romanos 12:1-2).

    Paulo também expressa negativamente o andar em amor. Isso é impressionante, em nossa moderna atmosfera de opinião, em que se presume tão superficialmente que quem ama nunca deve dizer "Não". Este é um conceito absurdo na Bíblia. Neste capítulo 5 de Efésios por exemplo, Paulo dá uma substancial (ainda que não exaustiva) lista de práticas às quais o amor dirá "Não".

    Por que há de ser assim? Porque o amor é o cumprimento da lei Portanto, o amor recua ante a quebra da lei. O amor sabe que há muitas atividades sobre as quais ele escreverá com ponteira de ferro:  "Não-Não" (Romanos 13:8-10).

    Ter direção, saber e praticar a vontade de Deus, como podemos ver, é uma questão moral, e não apenas intelectual. Assim também o amor é uma questão moral. Não é mera questão de sentimentos. Envolve decisões do coração. Estar andando segundo a vontade de Deus implica que alguma medida desta qualidade do amor cristão está sendo exibida em nossas vidas. No mínimo, se dizemos que desejamos a vontade de Deus, temos que fazer do amor, como revelado em Deus, nosso objetivo.


    E como afirmamos anteriormente, teologia então jamais é um obstáculo para o amor, mas como Deus repetidamente diz em Sua Palavra, é a ÚNICA maneira que ele (o amor ) pode ser expressado no mundo. Ame da única maneira possível. Ame teologicamente!