• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Pedro: "Esta é a verdadeira graça!" Por que isso era importante?




    A cruz de Cristo é o segredo surpreendente para a vida. O que poderia ser mais surpreendente? A surpresa é que a vida vem da morte. O poder vem da derrota. A plenitude da redenção vem do sofrimento. O ganho vem da perda...


    O enfoque marcado para nós de Cristo sofrendo e perdendo aos olhos do mundo sobre a cruz é nos dizer: “Essa é a mais brilhante manifestação do Sabedoria de Deus. É onde o futuro do desfrute eterno de tudo que Deus é em Cristo começa... TUDO neste mundo impressionante vai falhar por fim, mas a cruz não pode falhar” – A realidade é que só da cruz a benção de Deus nos conceder Ele mesmo jorra sobre pessoas indignas como nós.

    Então será que o evangelho nos faz perdedores? Nos faz  vencedores? Sim, nos faz sempre grandes vencedores. Mas só através da cruz.

    O apóstolo Pedro, por exemplo, aprendeu a viver sob a sombra da cruz. Ele diz que devemos e como chegar lá. A necessidade dessa verdade para nós é vital. Todos nós sofremos e somos tentados a procurar maneiras mais fáceis... naturalmente é o que fazemos... procurar atalhos, caminhos mais curtos...

    Todos nós precisamos do evangelho que atinge homens assim, que naturalmente acham a cruz um escândalo. Muitos hoje celebram a cruz... falam da cruz em cultos... mas só porque ela foi despida de todo significado. Coloque um pouco de significado nela, e a mesma ofensa que ela causa no mundo, no homem natural, ela causa na maior parte dos que se dizem cristãos.
    A Primeira Carta de Pedro, por exemplo, nos mostra como estar aos pés da cruz, viver no poder que flui da Verdade eterna, nos ensinando viver para glória de Deus num mundo cheio de sofrimento.


    Hoje nós temos por um lado o “evangelho da prosperidade”. Ele nos diz que Deus deseja que sejamos ricos e saudáveis... Mas  por outro lado temos o que podemos chamar o “evangelho da vítima”. Ele nos diz como devemos ter pena de nós mesmos e mimar a nós mesmos... Esses dois desvios, muitas vezes conseguem conviver nas mesmas igrejas, nas mesmas pessoas...


    Tanto um quanto o outro, o evangelho da prosperidade e o da vítima, falhará inexoravelmente. Eles reforçam coisas que naturalmente estão dentro do homem caído, reforçam parte da depravação do coração com que cada homem natural nasceu neste mundo ao invés de libertar como a cruz faz. Eles nos levam a lugares que não devíamos ir, lugares que por natureza já estávamos e que é parte da prisão dos homens escravizados pelo pecado, ego... Eles não sabem nada sobre a cruz, eles não nos ajudam a sofrer bem, a enfrentar a morte, dor... inevitáveis. Eles não nos levam a benção de Deus. Precisamos de outro evangelho. Precisamos, por exemplo do evangelho revelado através de Pedro ou Paulo... e não dos “neo-apóstolos” de nossos tristes dias.


    No final da sua Primeira Carta, Pedro diz porque ele a escreveu e o que ela deve realizar no meio deles, um povo sofredor: “...escrevi abreviadamente, exortando e testificando que esta é a verdadeira graça de Deus, na qual estais firmes.” - 1 Pedro 5:12


    Esta é a verdadeira graça! Por que isso era importante? Sempre houve uma tentativa de falsificar a graça separando-a da cruz. Este verso é a chave para todo o livro. A carta foi breve: “Eu escrevi brevemente” – Foi um breve resumo para que aquelas pessoas – e nós – meditassem profunda e longamente sobre aquilo.


    As palavras de Pedro não eram conselhos que deviam ser olhados e aplicados conforme cada um decidisse sobre sua importância. Ele diz: “...escrevi abreviadamente, exortando e testificando que esta é a verdadeira graça...”- Pedro não está simplesmente jogando sobre eles algumas ideias ou insights. Não está dizendo: “são alguns pensamentos, se servir para vocês então peguem” – Não! “Exortando e testificando que esta é a VERDADEIRA graça!” – Ele está falando com autoridade e urgência sobre estar ou não sob a verdadeira graça. Ele está falando isso como testemunha. Não é sobre ele e suas ideias. Trata-se de Deus e você, quando especialmente tudo que importa está em jogo.


    Ele escreve sobre o quê? “...esta é a verdadeira graça de Deus” – Tudo que ele diz é basicamente esta mensagem: “A verdadeira graça de Deus!” Qual é a verdadeira graça de Deus? A mensagem de Primeira Carta de Pedro se resume a isso: Primeiro a cruz, depois a coroa. Primeiro o sofrimento, então a glória. Ou seja, o caminho que Cristo andou. Houve a sexta-feira, o que não parecia nada bom, não parecia nada com vitória... no momento, mas então houve a manhã de Domingo. Primeiro a cruz e em seguida a coroa, esta é a verdadeira graça de Deus. É como Deus age com aqueles que Ele transforma a cada dia na mesma imagem do seu Filho. É como Deus age conosco.


    Por exemplo, Pedro escreve:


    “Amados, não estranheis a ardente prova que vem sobre vós para vos tentar, como se coisa estranha vos acontecesse; Mas alegrai-vos no fato de serdes participantes das aflições de Cristo, para que também na revelação da sua glória vos regozijeis e alegreis.” - 1 Pedro 4:12-13


    Em outras palavras. Quando você está seguindo a Cristo e toda a vida de vocês desmorona... não se surpreendam. Não pense que Deus está contra e não é por vocês. É o contrário. Vocês estão partilhando dos sofrimentos de Cristo. Se isso é verdade, vocês irão compartilhar de sua glória por vir. Eis a sequência. Primeiro a cruz e depois a glória. Primeiro a Sexta-feira e depois o Domingo. É assim que a graça opera. Opera pela cruz.  


    Essa ( Sexta-feira seguida do Domingo da ressurreição) é uma garantia certa como foi com Cristo. Ele então diz: “Permanecei firmes!” – Fique firme, você não deu um passo em falso ao terem tomado a cruz, negado a vocês mesmos e seguindo Cristo. Vocês estão na verdadeira graça. Vocês viverão para sempre na glória infinita do desfrute de tudo que Deus é em Cristo para sempre. Fiquem firmes em meio a estas frustrações. Em meio a essas perdas, sofrimentos... perda da saúde do corpo, bens, morte, martírio... Esta é a verdadeira graça de Deus. Fiquem firmes. “Porque, que glória será essa, se, pecando, sois esbofeteados e sofreis? Mas se, fazendo o bem, sois afligidos e o sofreis, isso é agradável a Deus. Porque para isto sois chamados; pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as suas pisadas.” - 1 Pedro 2:20-21 – Fiquem firmes! Essa é a tônica. Por que?





    Uma forma de sabermos que estamos seguindo o verdadeiro evangelho é que tem que nos ser ditos sempre e sempre: “Fiquem firmes” – Pessoas que seguem o “evangelho da prosperidade” ou o “evangelho da vítima” não precisam ouvir o “fiquem firmes”. Quem precisa de firmeza a não ser em lugares difíceis, perigosos... Quando alguém está sofrendo é preciso ser dito: fique firme. Cristo teve que ficar firme em todos os seus dias, na cruz... Paulo teve que ficar firme, no desprezo, cadeias, sob chicotes, abandono... “Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente” - 2 Coríntios 4:17 – Fique firme é necessário e crucial se o homem está de fato no evangelho da cruz: “Confirmando os ânimos dos discípulos, exortando-os a permanecer na fé, pois que por muitas tribulações nos importa entrar no reino de Deus.” Atos 14:22 – Mas no falso evangelho da “prosperidade” você só precisa ser indulgente consigo mesmo. E no evangelho da vítima você só precisa se encher de auto-piedade, sentir pena de si mesmo. E o mundo como é agora oferece a você abundantemente motivos e razões para ser auto-indulgente ou sentir pena de si mesmo. Mas se tomarmos a nosso cruz e seguirmos a Cristo, é preciso ser dito a nós: “Fiquem firmem!”. Não será um caminho fácil num mundo de pecados e numa sociedade que despreza Deus. A velha e rude cruz não nos fará um homem desse mundo, mas nos mata para ele e o mata para nós: “Mas longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para o mundo.” - Gálatas 6:14 – Então para nós será imperativo o “fique firme!”


    O Pedro que escreveu esta carta era um homem diferente do Pedro que conhecemos no início do Novo Testamento. Lá no início já havia algo bom em Pedro. Ele era um crente, mas ele não entendia que primeiro vem a cruz e depois a coroa. Ele não pensava nessas categorias. Ele “entendeu” a graça de Deus em algum nível, mas muito, muito superficialmente. Ele precisou crescer tanto... Ao não entender que a cruz vem primeiro... ele não pode ficar firme diante do sofrimento e dor... Ele negou o seu Senhor para proteger sua vida de sofrimento. Ele não foi capaz de ficar firme por não conhecer de fato a Verdadeira Graça que agora ele está pregando. Mas a graça o invadiu e Pedro se tornou um homem que poderia sofrer com seu Mestre neste mundo, seguir seus passos. É isto que ele ensinará na sua carta ao povo de Deus:

    “...escrevi abreviadamente, exortando e testificando que esta é a verdadeira graça de Deus, na qual estais firmes.” - 1 Pedro 5:12

    “Amados, não estranheis a ardente prova que vem sobre vós para vos tentar, como se coisa estranha vos acontecesse; Mas alegrai-vos no fato de serdes participantes das aflições de Cristo, para que também na revelação da sua glória vos regozijeis e alegreis.” - 1 Pedro 4:12-13


    Vamos continuar falando sobre isso nos próximos posts.