• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    A beira de um colapso nervoso!







    Como você caracterizaria todos os teus problemas, todas as tuas aflições, todas as tuas perdas, todas as tuas decepções? Por mais esmagadoras que elas sejam... como você as caracterizaria? Temos a tendência de ver essas coisas em nossas vidas com um peso muito maior do que em qualquer outro lugar.


    O grande drama dos que se hoje se dizem cristãos é a perspectiva. A perspectiva cristã de nossos dias não difere quase nada de todas as pessoas a nossa volta que nada sabem sobre regeneração, novo nascimento, morte expiatória, graça... A perspectiva demonstrada por Paulo é verdadeiramente estarrecedora. Ele considera aflições terríveis, sofrimentos incríveis, tanto em quantidade quanto em profundidade, como “leve e momentânea tribulação” (2Co 4.17). É essa perspectiva que todos a nossa volta estão vendo em nós? Lembre que as tribulações que Paulo estava experimentando tanto física quanto na alma, eram aflições tiranas e constantes. Sob aflições bem menores a grande maioria se torna completamente inútil para todo o propósito para o qual Deus nos chamou e nos deixa estar na terra – a Glória do Seu Nome!



    Paulo chama as sua grandes aflições de “leve e momentânea” – nós podemos vê-las como tiranas e constantes – Mas vemos assim por causa de nossa perspectiva terrena. Uma perspectiva tão terrena que nos leva a ver o evangelho como algo que deve e que existe para nos livrar dessas aflições simplesmente. Não é por isso que as multidões estão nos cultos? Não é com base nisso que a pregação hoje está centrada? Perspectiva terrena, não é diferente de perspectiva diabólica, pois a glória de Deus não é o objetivo, não é a alegria, não é o deleite desejado.


    Paulo via todas as aflições com a perspectiva de como devemos ver a vida – e então ele considerava elas nesse nível – elas eram momentâneas como o vapor que a vida é: “Porque, que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco, e depois se desvanece.” - Tiago 4:14 – Paulo então chama, por causa de uma perspectiva celestial da vida, aflições tiranas e constantes, vinda de todos os lados de “leve” – leve como uma pena – elaphros – a palavra no grego significa “ninharia sem importância!”



    Perspectiva! Qual é a tua – Paulo diz: “Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus.” - Atos 20:24 – Essa perspectiva de vida fez Paulo dizer que todas as aflições eram “ninharias sem importância” – Essa não tem sido a ênfase hoje, portanto, Deus não pode ser glorificado na vida da igreja espalhada no mundo!



    “Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente” - 2 Coríntios 4:17 – Por um lado Paulo define todos os problemas presentes em sua vida presente, e por outro lado a perspectiva da glória futura e ele as relaciona. É como se estivesse colocando em uma balança. Em primeiro lugar ele pões todas as aflições, tratamento brutal, flagelações, anos nas prisões romanas terríveis, apedrejamento, espancamento público, horas de fome e sede, vestido em trapos, sendo amaldiçoado por sua geração, tornando-se, como ele define: “a escória do mundo!”. Naufrágios, ou seja acidentes, perigos em rios, perigos no mar, perigos nas estradas, perigos de assaltantes, perigos nas cidades... enfermidades, pressão da sentença de morte... junto a isso as pressões e preocupações, diz ele, com as igrejas – que lhe davam grandes tristezas muitas vezes – Corinto, Galácia...



    Na verdade, basta carregar um homem com problemas, e em nossa geração ele logo estará a beira de um colapso. Mas Paulo usa para tudo isso as palavras de Cristo: “Meu fardo é leve” – elaphros – Paulo chamou tudo isso de “Leve e momentânea tribulação” – Isso é Cristianismo – Esse é o resultado do “tudo se fez novo” – Como ele mesmo diz em 2 Coríntios 5.17: “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.” Meu “fardo é leve” – diz Paulo, é leve como Cristo diz que seria! Leve por causa da perspectiva. Um levantador de peso numa competição não se queixa. Ele é, afinal de contas, um levantador de peso e não levantador de flocos de neve. Portanto ele não espera nada do tipo: “amanhã vou levantar flocos de neve!” – Não!  Ele é um levantador de peso – num arranque o levanta acima da cabeça, mantém lá por oito segundos e fim. É um fardo momentâneo. Mas isso só é possível se estivermos na mesma perspectiva de Cristo e na de Paulo. Sem ela, não será leve, mas um peso tirano e que nos leva ao colapso.



    Cristo tinha levado o peso da culpa e da vergonha do apóstolo Paulo, ( como de todos os que de fato estão em Cristo, foram regenerados...) e ele chamou Paulo, e todos nós se somos chamados, para tomar a sua cruz e segui-lo. Paulo não esperava uma mochila agradável e acolchoada cheia de espuma quando Cristo foi esmagado debaixo daquele santo julgamento de Deus!


    Perspectiva! Paulo está dizendo que viver para a glória de Deus neste mundo não te livra de sofrimento algum e torna a perseguição inevitável... Sofrimento real! Mas diz que quando comparados ao que nos espera no futuro, eles são, na pior das hipóteses, leves e triviais. Só o sofrimento é “redimido” – quando vemos o quanto este coopera para a nossa glória eterna – “...nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente” - 2 Coríntios 4:17 – Todos os apóstolos reforçam constantemente essa perspectiva: “Em que vós grandemente vos alegrais, ainda que agora importa, sendo necessário, que estejais por um pouco contristados com várias tentações, Para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória, na revelação de Jesus Cristo; Ao qual, não o havendo visto, amais; no qual, não o vendo agora, mas crendo, vos alegrais com gozo inefável e glorioso” - 1 Pedro 1:6-8 - O efeito desse sofrimento não é meritório, mas é produtivo: “...produz para nós um peso eterno de glória mui excelente” - 2 Coríntios 4:17


    O mundo está vendo em nós um crer alegre, cheio de gozo, inefável... como Pedro disse: “Uma alegria indizível e cheia de glória?” Terríveis aflições são agora "leves e momentâneas?"– A questão toda está sobre a perspectiva – terrena ou celestial? “Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas.” - 2 Coríntios 4:18

    Quando a perspectiva oposta reina, a perspectiva terrena, o evangelho não é mais O evangelho, mas uma farsa!