• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Todo homem deseja esconder a sua “nudez”.





    O homem está fugindo de Deus! Sua mente está em constante inimizade a tudo que o Ser e o Caráter de Deus é: “Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser.” - Romanos 8:7


    Precisamos desesperadamente recuperar na igreja dos nossos dias uma sólida doutrina sobre o pecado. Mas cada vez mais rara é esta doutrina nos púlpitos, conversas, devocionais..., daqueles que se dizem cristãos em nossa geração. E quando o assunto surge, ele surge completamente desassociado com a realidade do pecado exposta em toda parte na Bíblia. Falamos sobre o pecado sem pensar nele de maneira teológica, não transmitindo a ideia de ofensa contra um Deus santo, mas apenas como aquilo que destrói ou atrapalha a felicidade do homem, da família, da sociedade... mas  o pecado jamais pode ser definido em termos do homem ou da sociedade...  mas de Deus. Mas como isso poderia ser relevante para uma mente que está em constante inimizade contra Deus? Então, ao tentar ser algo que o mundo deseje, a igreja escorrega para a irrelevância (tentando ser relevante) para não perturbar o coração do homem com a visão de Deus do pecado do homem.


    Como essa doutrina de maneira nenhuma lisonjeia o homem, então ela vai desaparecendo, já que a igreja de nossos dias sequer suporta a ideia de alguém desconfortável em seus cultos ou algo que possa ofender a “sensibilidade” do homem em seu ego endeusado.


    O homem deseja esconder a sua “nudez”.


    Em O Senhor dos Anéis, Lothlórien é o reino mais belo restante em toda a Terra-média durante a Terceira era.  É um reino lendário por sua beleza, perfeição, um Éden num mundo que está se destruindo... O reino tem um importante papel como o centro de resistência contra Sauron, o senhor das sombras... e é um lugar de refúgio para a comitiva, a Sociedade do Anel. Lothlórien ficava localizada a leste de Moria (Uma cidade mina profunda cavada pelos anões no coração da montanha, onde a sociedade enfrentaria uma perigosa atravessia) entre as Montanhas Sombrias e do rio Anduin .


    Você pergunta, qual a relação que isso tem com a depravação do coração humano? Tenha um pouca mais de paciência e chegamos lá. Em Lothlórien a comitiva do Anel encontram pela primeira vez o senhor e a senhora de Lothlórien e a presença e o olhar de Galadriel é algo que os perturba profundamente. Apesar da pureza, beleza e refúgio de Lothlórien, há um grande desconforto em todos da comitiva. Por que num lugar belo e puro o homem se sentiria desconfortável? Eu poderia chamar isso de o “desconforto do Éden!”


    Sam (Samwise Gamgee), um dos personagens principais do romance de Tolkien, preenche um papel de ajudante do principal protagonista , Frodo Bolseiro, e é fundamental no desfecho da história. Ele inicialmente era o jardineiro de Frodo, pelo qual nutre uma amizade e lealdade que manifesta como o grande combate e sofrimento que dele vem, é uma campanha de comunhão:  “Sofre, pois, comigo, as aflições, como bom soldado de Jesus Cristo.” 2 Timóteo 2.3


    Sam é o primeiro e o que fica mais perturbado com o olhar de Galadriel, não podendo suportar nem por um momento seu olhar fixo.  Ele é tomado por vergonha diante do olhar dela. Quando lhe perguntam por que ficou assim, sua atitude é semelhante ao ocorrido no Éden, dizendo: “Eu me senti como se estivesse nu, e não gostei disso.”

    Adão viu sua nudez, sentiu sua nudez e se escondeu, desde então, todo homem foge de Deus. Nenhum homem busca a Deus. Muitos acham que o homem busca a Deus quando o vê buscando a felicidade, mas o homem caído deseja os dons de Deus, enquanto foge, se esconde e odeia Deus: “Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer. Não há ninguém que entenda; Não há ninguém que busque a Deus. Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só.” - Romanos 3:10-12 – Todo homem agora é um Sam (Samwise Gamgee).


    A corrupção da raça humana depois da queda foi radical, universal e total. “E viu o SENHOR que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente.” - Gênesis 6:5


    Parece surpreendente que qualquer um possa ler passagem como essa na Bíblia ( onde isso é repetido a exaustão), e ainda negar a doutrina da depravação total humana. Essa própria reação mostra a cegueira espiritual por causa do pecado reinante no centro do ser do homem, seu coração.
    É uma verdade dolorosa ao orgulho humano, no entanto, afirmada claramente em toda a Bíblia, que o coração do homem é mau: “Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias.” - Mateus 15:18-19 – Na verdade todo homem conhece essa realidade devastadora de seu coração, por isso Adão fugiu, por isso Sam se perturbou: “Eu me senti como se estivesse nu, e não gostei disso.” – Ninguém precisou de fato falar, Sam (Samwise Gamgee), Adão... sabiam. Por isso a pergunta de Deus: “E Deus disse: Quem te mostrou que estavas nu?”Gênesis 3.11.


    Eis a razão porque o mundo não quer ouvir sobre o pecado, e eis a razão da inutilidade da igreja quando tira o pecado como assunto essencial em sua pregação. O pecado é um tema vital, uma necessidade primária. Sem entender a doutrina do pecado, sua profundidade, a Depravação total do coração humano, sua incapacidade... o homem não pode entender a si mesmo, nem seus semelhantes, nem a tragédia do seu mundo, nem a fé cristã, nem as maravilhas da Graça... Não será capaz de entender a Bíblia, pois ela é a resposta de Deus ao problema do pecado humano, mostrando sua Justiça infinita e sua Graça maravilhosa.


    Através da declaração de Gênesis, “E viu o SENHOR que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente.” - Gênesis 6:5 – aprendemos como a queda corrompeu todos os recantos e trabalhos secretos da mente humana, e todo esboço e intenção do coração humano é grosseiro e poluído. Se a fonte é assim envenenada, como podemos nos admirar que os fluxos que dela fluem sejam mortais? Perdendo essa visão, a igreja se torna inútil, sendo mais uma ideia errada no mundo de como o homem pode evoluir, melhorar, melhorar a sociedade... todas essas coisas, diz Deus, são apenas fluxos de uma fonte envenenada.

    Qual é o grande mal então, essência dessa Depravação? É o sentimento arraigado no coração, é o modo e esquema de todos os pensamentos do homem, é a ação diária que trata o Deus infinito como infinitamente menos valioso e gratificante. Devemos estar atentos então, pois nossa definição de pecado está muito aquém da definição bíblica; da definição que nos leva a uma desesperada necessidade da Graça manifestada em Cristo, e a uma visão da necessidade imperiosa de  uma vida de verdadeira santidade. Paulo nos dá a definição perfeita daquilo que é o pecado: “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Rm 3.23) Eis a nudez de Sam (Samwise Gamgee): “Eu me senti como se estivesse nu, e não gostei disso.”

    A essência do pecado pode estar grandemente presente nos que não tem e nos que tem a Bíblia. Ela tem estado presente na igreja visível como no mundo, pois os paradigmas sobre o homem tem fluído do humanismo secular e não da Bíblia mesmo na igreja– Pois a essência do pecado é não tratar a glória de Deus como aquilo que ela realmente é; como aquilo que Deus realmente é digno - a realidade e o Ser mais valioso e que traz mais satisfação e prazer do que qualquer tesouro no universo.

    É por isso – e por nenhum motivo centrado em nós mesmos (seres humanos), que precisamos ser salvos. É tão somente por isso que precisamos do dom da justiça que só Deus pode dar. É por isso que precisamos de um justiça que não é nossa. Todos nós temos ficado muito aquém da glória de Deus, a fonte está envenenada, todos os seus fluxos revelam isso em cada ação de cada homem na sociedade humana. A tentativa de concertá-la é inútil. Todo homem está fugindo de Deus – Todos nós temos ficado muito aquém da glória devida ao Seu Nome Eterno. Como Paulo diz do mundo sem a Palavra: “...não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças(Rm 1.21) – E diz também do povo que teve a revelação: “Tu, que te glorias na lei, desonras a Deus pela transgressão da lei?” (Rm 2.23).

    Oh! que a graça soberana possa derrubar toda a imaginação orgulhosa e pecaminosa que é contrária à lei que é a expressão do ser e caráter de Deus, e trazer todo pensamento cativo à obediência de Cristo.

    Alguns, lutando para preservar o orgulho de ver algo bom, alguma bondade natural no homem, podem perguntar se não devemos reconhecer nenhum resto de virtude. O que diz a Escritura: "Toda a imaginação dos pensamentos do coração do homem é má."

    Não há uma mistura de bem e mal em nós que possa agradar a Deus? O que diz a Escritura: "Toda a imaginação dos pensamentos do coração do homem é só  má continuamente." – “Não há quem faça o bem!”

    Não há pelo menos alguns intervalos de bondade real? O que diz a Escritura: "Toda a imaginação dos pensamentos do coração do homem é só má continuamente." – “Não há quem faça o bem!”



    Alguém pode dizer, mas no início, por uma temporada na vida, na infância... não é a fonte boa...? O que diz a Escritura? "A imaginação do coração do homem é má desde a sua meninice". Gênesis 8.21. “Alienam-se os ímpios desde a madre; andam errados desde que nasceram, falando mentiras”. - Salmos 58:3 – "A estultícia está ligada ao coração de uma criança"  - Provérbios 22.15 -   "A infância e a juventude são vaidade."Eclesiastes 11.10.

    E, como se determinado a humilhar o orgulho do homem caído, e para colocar a doutrina do pecado original incontestável, Davi, falando sob a influência do Espírito da verdade, declara: " Eis que em iniqüidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe.” - Salmos 51:5

    Um número enorme de passagens atestam esta verdade solene do pecado e da depravação total do homem: “Quem do imundo tirará o puro? Ninguém.” - Jó 14:4 – Toda tentativa é fútil. “Que é o homem, para que seja puro? E o que nasce da mulher, para ser justo?” - Jó 15:14“ Como, pois, seria justo o homem para com Deus, e como seria puro aquele que nasce de mulher?” - Jó 25:4

    Daí podemos concluir, com todo o peso da inspiração divina, que somos “ por natureza filhos da ira” Efésios 2.3 – “que não há nenhum justo, nem um sequer” Romanos 3.10

    É loucura criticar e contender com o Criador justamente ofendido. O evangelho nos leva a confessar a culpa, tanto a original quanto a atual. Só com esse pano escuro de fundo, vemos a beleza infinita da Graça em Cristo.

    A graça de Deus quando vista como sempre deveria ser, em conexão com o estado miserável do homem pecador, brilha como o arco-íris belo sobre nuvens escuras. Suas cores encantadoras alegram e encantam a mente no meio da escuridão circundante.

    Como consolo para uma alma curvada sob um sentimento de culpa que esmaga, estão as seguintes promessas: “E, passando eu junto de ti, vi-te a revolver-te no teu sangue, e disse-te: Ainda que estejas no teu sangue, VIVE; sim, disse-te: Ainda que estejas no teu sangue, VIVE.” - Ezequiel 16:6


    Em seguida vem a fonte da misericórdia "Eu te amei com um amor eterno, por isso com benignidade te atraí" Jeremias 31.3

    Mas como pode uma criatura poluído ser agradável a um Deus puro e santo? Eis os efeitos da graça soberana: "Então aspergirei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias e de todos os vossos ídolos vos purificarei. E dar-vos-ei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne. E porei dentro de vós o meu Espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis os meus juízos, e os observeis.” - Ezequiel 36:25-27

    A segurança e a perseverança dos redimidos é docemente declarada na seguinte promessa maravilhosa "E lhes darei um mesmo coração, e um só caminho, para que me temam todos os dias...E farei com eles uma aliança eterna de não me desviar de fazer-lhes o bem; e porei o meu temor nos seus corações, para que nunca se apartem de mim.” - Jeremias 32:39,40


    Fora esta operação divina, todo homem agora é um Sam (Samwise Gamgee) diante de Deus: “Eu me senti como se estivesse nu, e não gostei disso.”