• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Paulo numa galáxia muito, muito distante!


    Não há absolutos morais – apenas “equilíbrio” entre a luz e a escuridão – Esta é a filosofia que George Lucas diz acreditar e que é expresso tão bem na sua série Star Wars. Ele diz não acreditar em absolutos morais. Lucas é fascinado com o relativismo oriental.


    Na verdade, apesar disso ser tão repetido e pregado hoje por nossa cultura, ninguém de fato acredita nisso – nem George Lucas. Ou seja, ele não está tão acima da bem e do mal em não fazer distinção entre eles – ou manter que são relativos e não absolutos. Em não fazer distinção moral.


    Estava vendo como Lucas revisou, quando relançou a primeira trilogia para DVDs e Blu-rays – a cena, por exemplo, em que Han Solo atira primeiro em Greedo em Uma Nova Esperança – sem dar chances e sem ser em defesa própria, no original de 1977 – nas revisões Han Solo só atira após Greedo ter atirado contra ele.


    Na cena atualizada, Solo não é mais um assassino de sangue frio, mas simplesmente está se defendendo. Ou seja, Solo não atiraria num homem só para vê-lo morrer, ou porque lhe é mais conveniente... Mas por que não? Se não existem absolutos morais, certo e errado, se tudo é relativo... apenas a necessidade de “equilíbrio”  entre a luz e a escuridão, os dois lados da força, então por que se preocupar com a situação moral do herói – por que ele não pode ser simplesmente um assassino a sangue frio? É porque ninguém – Nem George Lucas – pode escapar do cosmo moral desenhado pelo Logos de Deus. Muitos podem dizer – não existe certo e errado... Você então pergunta: Estupro é errado? Para manter a coerência a pessoa terá que dizer que é relativo – mas apenas até ter que lidar com o estupro na vida real. E assim sucessivamente. Alguém pode dizer que traição, roubo... é relativo... até ser roubado, traído... Como eu disse, ninguém pode escapar do cosmo moral desenhado pelo Logos de Deus.


    Infelizmente muitos “cristãos” também flertam com o relativismo propagado pela cultura. Algo pode ser mais trágico e contraditório? Sequer podemos falar sobre o perdão de Deus em um ambiente assim. Você está obrigado a falar como se Deus não tivesse um claro e imutável caráter, como se não houvesse medida divina para o caráter humano – vimos que na prática ninguém vive assim – Nem mesmo George Lucas numa série de filmes.


    Mas não se tornou comum vermos “cristãos” dizendo: “Sigo Cristo e não doutrinas?” –  Existe frase mais sem sentido? - Seguir a Cristo não é seguir um “vulto” místico criado em minha imaginação caída.


    Ao dizer isso, se juntando a todos os homens – o dito cristão -  diz que o caminho para a plenitude é parar de medir-se por normas ou expectativas fora de si mesmo, externas – incluindo o mundo inteiro, Deus... Você é a referência de si mesmo, e mais nada. A regra se torna – faça de você mesmo a medida do que é bom e agradável (Decida – mesmo na Bíblia o que se encaixa nisso ou não). Dê a si mesmo uma auto-estima positiva INCONDICIONAL. Para homens assim – o único papel que “Deus” pode desempenhar ( um Deus fictício é claro ), é como um endosso “divino” para sua própria auto-afirmação. Deus nada mais é do que apenas um reforço absoluto de si mesmo. Se Ele se apresenta com claros mandamentos e normas, Ele (Deus) se torna um problema e não parte da solução.

    Mas quando começamos a seguir a Cristo, só a Palavra de Deus se destaca como certo e infalível: “Toda a Palavra de Deus é pura; escudo é para os que confiam nele. Nada acrescentes às suas palavras, para que não te repreenda e sejas achado mentiroso”. Provérbios 30:5-6 – Isso é que é andar em e com Cristo, isto é que é segui-lo, é o temor do Senhor, esse temor é o sine qua non do conhecimento: “O temor do SENHOR é o princípio do conhecimento; os loucos desprezam a sabedoria e a instrução”. Provérbios 1:7 – Esse temor é o sine qua non da Sabedoria: “O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo a prudência”. Provérbios 9:10

    É na doutrina terrível mais real da Depravação Total que o homem dá seu primeiro passo com Cristo ao ser Regenerado. A realidade dessa doutrina invade a vida e o homem vê a poluição que sempre esteve lá e ele não via antes tão claramente. Seguir a Jesus não é seguir um halo de luz no meio da noite, é ser guiado pela Verdade! “Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho”. Salmos 119:105.

    Seguir a Cristo começa com a visão correta de Deus, e a luz dela, a visão correta sobre mim mesmo. É nesse ponto que o homem se lança aos pés de Cristo. É nesse ponto de miséria que o único clamor é por misericórdia e graça, por um perdão que ele sabe não merecer. É só nesse ponto que o homem toma sobre si o jugo de Cristo: “Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”.  Mateus 11:29-30 – Só quando a luz da Palavra, se vendo como o mais completo tolo, é que o homem começa os primeiros passos com Cristo rumo a sabedoria: “Ninguém se engane a si mesmo. Se alguém dentre vós se tem por sábio neste mundo, faça-se louco para ser sábio. Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus; pois está escrito: Ele apanha os sábios na sua própria astúcia”.  1 Coríntios 3:18-19 – É só nesse ponto que o homem de fato abraçou Cristo como seu Salvador para então começar a segui-lo; quando esse Salvador é Seu Senhor! Que Ele é o Senhor é algo que já está resolvido antes do primeiro passo no caminho, na conversão, ou, sem sombra de dúvida, o homem não foi regenerado e trilha o caminha da perdição e ainda “jaz no maligno” (1 Jo 5.19) como todo o mundo a sua volta.

    O que você acha? Você está seguindo a Cristo? Você é seu discípulo? Se for assim...

    Você vai render seu tudo a Ele, sendo guiado por Sua Palvra.
    Você deve estar pronto a sofrer com Ele (por causa da Verdade) e morrer por Ele (proclamando a Verdade).

    Você deve estar disposto sempre a...

    Abraçar Suas doutrinas, se submeter a ser governado por seus preceitos, imitar o seu exemplo ( o que é seguir a Verdade como está revelada em Sua Palavra). Um verdadeiro discípulo é dócil, se submete e adora Seu Mestre acima de tudo. Um verdadeiro discípulo estuda para conhecer a Sua vontade.

    Os olhos do verdadeiro discípulo seguindo Seu Mestre ficam fixos nele (Através da Verdade revelada), espera nEle, teme em tudo ofendê-lo (Meditando por isso dia e noite em Sua Palavra), tem prazer em agradá-lo, confia em tudo nEle (no que está registrado em Sua Palavra), zelosamente o imita: ( “Sede meus imitadores, como também eu de Cristo”. 1 Coríntios 11:1), sempre se regozija sendo favorecido com Sua presença, e jamais o deixa minuto a minuto dessa vida, mas se apega a Ele com pleno propósito de Coração.

    Quem segue a Cristo está decidido em tudo fazer o que Ele manda: “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele”. João 14:21 – e o faz por respeito à Sua autoridade, por amor a Sua vontade, por reverência a Sua sabedoria, por zelo por Sua honra, por fé em Sua Palavra...

    “Sigo a Cristo e não doutrinas!” – É uma frase vazia! É uma frase vazia que termina na perdição eterna. É expressar a cultura onde a própria cultura se contradiz por não poder ser coerente apesar de desejar ser deus de si mesmo.

    Todo relativismo tem que negar Deus como Deus – e isso é uma loucura mesmo para o mundo completamente pagão.

    Como Paulo diz:

     “Porque, quando os gentios, que não têm lei, fazem naturalmente as coisas que são da lei, não tendo eles lei, para si mesmos são lei; Os quais mostram a obra da lei escrita em seus corações, testificando juntamente a sua consciência, e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os; No dia em que Deus há de julgar os segredos dos homens, por Jesus Cristo, segundo o meu evangelho.” - Romanos 2:14-16

    Parece que a consciência não pode escapar da verdade absoluta (como em Star Wars), nem mesmo em uma galáxia muito, muito distante.