• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Daqui a 50 milhões de anos!




    Deus nos responsabiliza e responsabilizará, e não podemos ou poderemos alegar falta de recursos para viver para sua glória. Jesus contou uma parábola para deixar isso bem claro:


    “Porque isto é também como um homem que, partindo para fora da terra, chamou os seus servos, e entregou-lhes os seus bens. E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade, e ausentou-se logo para longe. E, tendo ele partido, o que recebera cinco talentos negociou com eles, e granjeou outros cinco talentos. Da mesma sorte, o que recebera dois, granjeou também outros dois. Mas o que recebera um, foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do seu senhor. E muito tempo depois veio o senhor daqueles servos, e fez contas com eles. Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles. E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor. E, chegando também o que tinha recebido dois talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois talentos; eis que com eles granjeei outros dois talentos. Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor. Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste; E, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu. Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei? Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros. Tirai-lhe pois o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos. Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado. Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes.” - Mateus 25:14-30


    Todo o ensino é extremamente claro. É fácil percebermos o ponto da história. Cristo deixou recursos aos seus seguidores, ele voltará e nos responsabilizará pela vida que vivemos.


    Qualquer coisa com que Deus possa ser glorificado, é um “talento” – Nossos dons, nossa influência, nosso dinheiro, nosso conhecimento, nossa saúde, nossa força, nosso tempo, nossos sentidos, nossa razão, nosso intelecto, nossa memória, nossos afetos, nossos privilégios como membros da igreja de Cristo, nossas vantagens como possuidores da Bíblia... todos são talentos. Temos tudo isso.


    O que nos leva a segunda lição importante. Os servos na parábola, como nós, não possuíam os recursos, pois eles receberam do seu Mestre como administradores. Ou seja, não possuímos nada que temos. É tudo de Deus, e nós vamos dar conta de tudo isso um dia. Todas essas coisas que foram mencionadas e muitas, muitas outras que não mencionamos, mas recebemos e por elas seremos responsabilizados. Devemos então escrever mentalmente sobre tudo que “temos” pertence a Deus. É tudo dEle. Nada é meu.


    Se temos pouco ou muito, isso é irrelevante. Vemos que foi cobrado seriamente dos que receberam muitos talentos... e do que recebeu um – era responsável. A quantidade menor não diminuiu a responsabilidade. Isso é importante porque muitas vezes pensamos que se Deus deu a outros muitos “talentos” – como na parábola, eles são mais responsáveis – mas isto é um grande engano. Não é assim. A responsabilização e o julgamento não será com base em quantos “talentos” Deus nos deu, mas com base no que temos feito com eles. Spurgeon coloca isso de maneira perfeita: “Se há graus de glória, eles não serão distribuídos de acordo com o nosso talento, mas de acordo com a nossa fidelidade em usá-los”


    Temos que fazer diariamente algo com o que temos, com o que Deus nos deu. Você não pode jogar para o futuro. O “talento” não é uma apólice de seguro – enterrá-lo para esperar quando o Senhor vir, é ter desprezado o Senhor. Os seguidores de Jesus não penduram o que receberam e ficam aguardando o fim... eles devem ver a cada dia a si mesmos como servos. Tudo que fazem então deve fazer parte do serviço que exalta o Senhor. Caso contrário fica evidente que nunca tiveram em seus corações desejo de viver para o seu Mestre.


    Toda a parábola mostra que tipo de visão temos de Deus. Na parábola o servo que nada fez, jogou pensando apenas em sua segurança, e ele fez isso porque tinha uma visão distorcida de seu mestre – Mateus 25.24,25 – Como eu vivo e o que eu faço com o que Deus me deu, é claramente a indicação do que eu acredito ser a verdade sobre Deus.


    Devemos viver o hoje, e devemos viver cada dia para um único dia, pensando em um único dia, focados em um único dia... o dia em que nós vamos ter que dar conta de tudo. Quando lemos essa parábola fica claro que devemos pensar a cada momento – “eu não vivo para o agora” – Devemos ver que cada dia que Deus me dá e tudo que Deus pôs em minha mão, mente... não fala de nós. Cada decisão deve ser tomada com isso em mente. Tudo isso não é sobre mim, é sobre Deus. Tudo isso não é sobre o agora, é sobre o dia em que eu vou dar conta de tudo quando meu Mestre retornar.


    Os investidores e planejadores financeiros sempre dizem: “Quando se trata de seu dinheiro, não pense apenas nos próximos três meses, ou três anos... Pense 30 anos à frente.”


    Cristo, o conselheiro de investimentos perfeito, diz para nós: Não me pergunte como o que você está vivendo – este investimento dos talentos que são meus – vai estar “pagando” em apenas 30 anos, 50 anos... Pergunte a mim o resultado do que você está vivendo agora daqui a 50 milhões de anos. Viva cada dia não para o dia, mas para àquele Dia. Avalie o dia de hoje em termos de eternidade.

    Deixe esta parábola moldar toda a sua vida – nada em sua vida está fora do escopo desta parábola. Recuse-se a aceitar qualquer coisa como tua, elas não são. Recuse-se a pensar que pode jogar com segurança enterrando tudo... em vez disso, invista como o Senhor ordenou tudo o que você é e tem para a glória de Cristo e com uma visão eterna.