• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Pregando a Verdade de maneira desleal!





    É possível pregar a Verdade e ao mesmo tempo ser desleal para com Deus? É claro que sim! O homem pode pregar só o que é doutrinariamente correto omitindo aquilo que o deixa na contramão de sua cultura. Omitindo tudo aquilo que os homens a sua volta já estabeleceram como inaceitável...


    Grande parte dos falsos profetas de Israel não pregavam mentiras sobre Deus, simplesmente se calavam e omitiam o que os deixariam mal com os homens. Martinho Lutero fala sobre isso de maneira contundente.


    Martinho Lutero disse:


    Se eu professar com a voz mais alta e mais clara expondo cada porção da Palavra de Deus, exceto precisamente aquele pequeno ponto que o mundo e o diabo estão naquele momento atacando, eu não estou confessando a Cristo... apesar de estar ousadamente professando verdades sobre Ele. Onde a batalha se enfurece, é lá que a lealdade do soldado é provada, é ser constante em toda a frente de batalha... é uma completa desgraça se ele recua nesse ponto específico que o inimigo está atacando furiosamente...



    Como é fácil agirmos assim, professarmos apenas doutrinas que não nos deixem expostos a fúria da nossa cultura, geração... mas se ali, como disse Lutero, naquele pequeno ponto que o mundo e o diabo estão atacando furiosamente, recuarmos com medo... somos totalmente desleais e mostramos que nossa verdadeira lealdade está com o mundo e nossa cultura.


    O amor do mundo nos faz pessoas adúlteras – “Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus”. Tiago 4:4


    O cristão é a noiva de Deus, por isso, mesmo os olhares amorosos para o mundo são o início da infidelidade. Não pode haver dois amores nessa relação. Amar o mundo, em qualquer grau, é uma violação dos nossos votos para com o nosso Marido, Deus. É por isso que Tiago se dirige a eles como "Infiéis".


    B. B. Warfield (05 de novembro de 1851 - 16 de fevereiro de 1921), em seu poderoso sermão sobre esses versículos, intitulado "O Amor do Espírito Santo" diz: "Nós não podemos ter dois maridos, e o marido, a quem os nossos votos são empenhados, todo o nosso amor é devido. Apenas o pensamento sobre outro amante já é infidelidade " – E o que, senão isso, nos faria pregar a Verdade menos aquela que naquele instante, naquela geração... está sendo furiosamente atacada pelo mundo, cultura...?


    Esse é um tema recorrente tanto no Velho quanto no Novo Testamento... E como Jesus disse que só olhar para uma mulher com lascívia já é cometer adultério: “Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério. Eu, porém, vos digo, que qualquer que atentar numa mulher para a cobiçar, já em seu coração cometeu adultério com ela.” - Mateus 5:27-28 – A tentativa de pregar somente a verdade, mas não aquela que estão na frente da batalha de nossa geração, mostra a deslealdade essencial no coração que olha para o mundo como um amante.


    "Vejam como a cidade fiel se tornou uma prostituta!" - Isaías 1:21 -  grita o profeta sobre a cidade onde a casa de Deus está assentada. Em Ezequiel 6:9 o Senhor grita:  "Eu fui entristecido por seus corações adúlteros." Não podemos olhar com indiferença nenhuma parte da verdade de Deus para conseguir pontos de contado com o mundo. Deus não é apenas um termo e um tema teológico, ele não é uma filosofia... a qual eu posso deixar parte dela e reter outra.... Ele é um Deus pessoal. Devemos entender que uma vez que Ele é um Deus pessoal... traímos não uma filosofia, ou parte dela.


    Esqueça a idéia de poder abraçar a Verdade menos a parte que nossa cultura mais despreza, ataca... Que o eco das palavras de Lutero possam estar em nossos ouvidos ou nos levantarmos a cada manhã:


    “Se eu professar com a voz mais alta e mais clara expondo cada porção da Palavra de Deus, exceto precisamente aquele pequeno ponto que o mundo e o diabo estão naquele momento atacando, eu não estou confessando a Cristo... apesar de estar ousadamente professando verdades sobre Ele. Onde a batalha se enfurece, é lá que a lealdade do soldado é provada, e ser constante em toda a frente de batalha... é uma completa desgraça se ele recua nesse ponto específico que o inimigo está atacando furiosamente...”