• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    O Código para a ambivalência!




    Como você pode saber a diferença entre um verdadeiro cristão e uma falsa profissão de fé?


    Wilhelmus à Brakel  (1635-1711) em uma de suas obras  estabelece seis proposições para aferirmos essa realidade:


    Proposição 1: Um cristão deve ter um grande amor pela verdade, estar vazio de um grande e dominador e amor à verdade, é estar no engano.


    Proposição 2: Um cristão deve ter grande amor e estima pela a igreja.


    Proposição 3: As Sagradas Escrituras são a única regra de doutrina e de vida.


    Proposição 4: A regeneração é a causa originária da vida espiritual e de todos os pensamentos e atos espirituais.


    Proposição 5:  Um cristão tenha uma fé que traz completa transformação.


    Proposição 6: Todos da felicidade do homem aqui e no futuro, consiste em comunhão e da contemplação de Deus.


    O drama que vivemos hoje é que grande parte das pessoas que se dizem cristãs, vivem numa área escura de subjetividade. Depois de atravessar o obstáculo de ajustar a interpretação bíblica a sua vida, ajustá-la a cultura que o cerca e afirmar que existem muitas maneiras de interpretar o que está claro nas Escrituras, você já se mudou para a área escura da subjetividade. A declaração, “essa é a sua interpretação”, é o código para ambivalência. Fazer isso sempre resulta em desastre tanto para o líder como para a igreja. Estar “acorrentado”  ao  evangelho de Jesus Cristo é o melhor e mais seguro lugar para permanecer.


    O apóstolo Paulo deu à igreja de Filipos características do tipo de pessoa para se evitar em Filipenses 3.18-19.


    O fim e o futuro deles são destruição.


    Eles são controlados pelos seus apetites carnais.


    Eles glorificam o que deveria trazer vergonha e constrangimento, e são inteiramente mundanos –  ligados ao sistema e filosofia do mundo, que guerreia contra o Cristo universal.


    “Porque muitos há, dos quais muitas vezes vos disse, e agora também digo, chorando, que são inimigos da cruz de Cristo, Cujo fim é a perdição; cujo Deus é o ventre, e cuja glória é para confusão deles, que só pensam nas coisas terrenas.” - Filipenses 3:18-19


    Cristo sempre nos guia na Verdade e para ele nos faz viver o evangelho e proclamá-lo fielmente, e assim Ele nos guardará de “tropeçar, e nos apresentará diante a Sua glória sem mácula e com grande alegria” (Judas 24).  Ambivalência é como uma corda que, se não verificada, torna-se uma algema que prende o homem à heresia. Ambivalência é o câncer desta geração!


    Ah! A loucura das mentes descuidadas abertas para tudo e caindo por nada. G.K. Chesterton disse certa vez que uma mente aberta é como uma boca aberta. Está destinada a se fechar em algo sólido. Uma visão ortodoxa da Escritura é, certamente, algo que vale a pena cravar nossos dentes. Todas as pessoas que são superficialmente ortodoxas transformam a verdade das Escrituras em mentira.


    "Se vós permanecerdes na minha palavra...” (João 8.31) – Permanecer na Palavra de Cristo é estar completamente

    persuadido de sua verdade,

    completamente atraído por sua beleza,

    e valorizar o seu valor de maneira clara aos olhos do mundo,

    é experimentar a sua graça e seu poder transformador,

    é tela como nutrição completa, nada mais sendo necessário, nosso pão,

    é tê-la como a refrescante água que mata toda a sede, nada mais sendo necessário,

    é olhar e ver que o mundo está e é completamente trevas, tendo ela como a única luz aqui, num mundo mau.

    E Jesus não diz simplesmente que os verdadeiros discípulos estão em sua palavra. Ele diz que eles "permanecem" nela.

    "Se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos". Permanecer é estar sujeito em obediência humilde. Jesus está dizendo que a marca do verdadeiro discípulo é duradoura, resistente, perseverante, mantendo-se no campo de força da palavra que controla toda a vida. Gostos temporários nada significam, não faz de você um cristão.  A marca dos cristãos é que o gosto e amor pela verdade de Deus é permanente.


    “...Senhor, para quem iremos nós? Tu tens as palavras da vida eterna.” - João 6:68

    J. C. Ryle (1816-1900) enumerou algumas coisas que revelam nosso novo viver em Cristo, para Cristo, centrados na Palavra.

    Ele escreve:


    “Se amamos uma pessoa, gostamos de pensar sobre ela. Nós não precisamos ser lembrados dele. Nós não esquecemos o seu nome ou sua aparência, nem seu caráter ou suas opiniões ou seus gostos ou a sua posição ou sua ocupação ... Bem, é assim que vive o verdadeiro cristão!


    Se amamos uma pessoa, gostamos de ouvir sobre ela. Encontramos um prazer em ouvir aqueles que falam dela. Nós sentimos um interesse em qualquer descrição da Verdade sobre a pessoa amada, e tudo falso sobre ela nos desperta repulsa... Bem, é assim que vive o verdadeiro cristão!


    Se amamos uma pessoa, gostamos de ler sobre ela. O intenso prazer que uma carta de um marido ausente dá a uma mulher, ou o prazer que uma carta de um filho ausente dá para a sua mãe ... Bem, é assim que vive o verdadeiro cristão!


    Se amamos uma pessoa, gostamos de agradar-lhe. Nós estamos contentes de consultar seus gostos e opiniões, agir de acordo com seu conselho e fazer as coisas que ele aprova ... Bem, é assim que vive o verdadeiro cristão!


    Se amamos uma pessoa, gostamos de seus amigos. Estamos favoravelmente inclinados a eles, mesmo antes de conhecê-los. Somos atraídos a eles pelo laço comum de amor comum a uma mesma pessoa ... Bem, é assim que vive o verdadeiro cristão!


    Se amamos uma pessoa, estamos cheios de ciúmes e zelo sobre o seu nome e honra. Nós não gostamos de ouvir falar contra ele e seu caráter, sem nos levantarmos por ele e para defendê-lo ... Bem, é assim que vive o verdadeiro cristão!


    Se amamos uma pessoa, gostamos de falar com ela. Contar a ela todos os nossos pensamentos, e derramar todo o nosso coração para ela. Nós encontramos nenhuma dificuldade em descobrir temas para conversa ... Bem, é assim que vive o verdadeiro cristão!


    Se amamos uma pessoa, gostamos de estar sempre com ela. Pensando e ouvindo e lendo e, ocasionalmente, falando sobre ela aos que passam em nosso caminho... Bem, é assim que vive o verdadeiro cristão e Cristo!...” – Ele nos retira de nós mesmos, coloca todo egocentrismo exposto a morte na cruz e vive na contemplação da glória do Amado de sua alma, Jesus.


    Esteja certo que você não vive na área escura da subjetividade