• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Adão com suas melhores vestes!





    Eu posso dizer a um homem moral, "ainda te falta uma coisa," Marcos 10:21. - Virtude moral pode coexistir com ódio a piedade. Um homem moral odeia a santidade como verdade tanto quanto ele o faz ao vício ou ao que ele acha que prejudica a sociedade!



    Os estóicos eram moralistas e tinham noções sobre a virtude sublime, ainda assim foram os mais mortais inimigos de Paulo (Atos 17:18).



    A moralidade humana é uma falsificação da verdadeira jóia e não a nova criação. "Eu digo a verdade, ninguém pode ver o reino de Deus se não nascer de novo." (João 3:3). "Você precisa nascer de novo." (João 3:7). Tudo que o homem natural faz não passa de obras mortas.



    Podemos aquecer a água para o mais alto grau e ainda assim você não pode fazer vinho; ainda é água em outro estado. Assim a moralidade pode ser elevada ao mais alto grau, mas ainda é a natureza adâmica, é o velho Adão colocando um melhor vestido. O homem natural não pode agradar a Deus - "Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus". Romanos 8:8



    As ações morais dos homens naturais são feitas por um motivo de vanglória, e não tem qualquer relação com a glória de Deus.



    O apóstolo chama os magistrados pagãos que aplicavam a justiça, de injustos, (1 Coríntios 6:1). "Ousa algum de vós, tendo algum negócio contra outro, ir a juízo perante os injustos, e não perante os santos?" (1 Coríntios 6:1).



    Enquanto eles estavam fazendo justiça em seus direitos civis e cortes, eram injustos no tribunal de Deus. Suas virtudes se tornaram vícios, porque a fé estava faltando, e eles fizeram tudo para levantar troféus para sua própria fama e elogios, nada se relacionando com a glória de Deus. Sua moralidade então, era um pecado 'formidável' e terrível. A moralidade é uma árvore da natureza adâmica e nada pode fazer que possa agradar a Deus - ela em nada se equivale a obra que a graça produz.


    Sola Gratia!!