• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    O que é nossa "Velha natureza"? - R. C. Sproul




    Nossa "velha natureza" é a nossa familiaridade com o pecado por causa de experiências passadas e o nosso conhecimento dele?


    Quando a Bíblia fala de nossa "velha natureza," é fácil supor que ela se refira às memórias daquilo que se passou em nossa vida, nossos velhos padrões de comportamento. Penso que a expressão significa muito mais do que isso. O contraste entre velha e nova naturezas ao qual Paulo se refere freqüentemente nas Escrituras é muitas vezes apresentado em outros termos: velho homem e novo homem. A maneira geral com a qual o apóstolo descreve é o contraste entre carne e espírito.


    Creio que quando Paulo fala de velho homem, ele está se referindo à natureza humana decaída que é o resultado direto do pecado original; isto é, pecado original não é o primeiro pecado cometido por Adão e Eva, mas a conseqüência dele. O fato é que somos seres decaídos e que nós, por causa dessa natureza decaída, nascemos num estado de separação de Deus. Estamos mortos para as coisas do Espírito. Paulo nos diz em Romanos que a mente da carne não pode agradar a Deus. Não temos nenhuma inclinação ou disposição para obedecer a Deus num sentido espiritual. Essa é a nossa velha natureza, nascemos desse jeito. Somos por natureza filhos da ira; estamos por natureza nesse estado de separação. E a partir dessa natureza que o Novo Testamento nos descreve como seres escravos dessa inclinação ou disposição para pecar.


    Esse foi um debate que Jesus teve com os fariseus quando lhes disse que se eles continuassem com seus ensinamentos, eles seriam livres, e os fariseus ficaram indignados dizendo: "...jamais fomos escravos de alguém". Jesus lhes disse: "...todo o que comete pecado é escravo do pecado". Jesus lhes disse que eles eram escravos do pecado.


    Paulo afirma que estamos debaixo do pecado, isto é, debaixo do peso dele, debaixo do seu fardo, porque a única disposição e inclinação que temos é a da carne. Não temos nenhuma inclinação natural para as coisas do Espírito até sermos nascidos do Espírito. Quando uma pessoa é regenerada, o Espírito de Deus vem e age sobre aquela pessoa e ele ou ela são uma nova pessoa. Aquele que está em Cristo é nova criatura. Eis que as velhas já passaram e todas as coisas se tornaram novas.


    Isso não significa que a velha natureza pecaminosa, com sua disposição alheia a Deus esteja aniquilada. Para todos os propósitos e intenções ela foi destinada à morte. Sabemos que a batalha está ganha. Paulo diz que a velha natureza está morrendo diariamente, e que num certo sentido ela foi crucificada com Cristo na cruz. Não há nenhuma dúvida a respeito de sua destruição final e completa. Nesse meio tempo, vivemos essa luta diária entre o velho homem e o novo homem, a velha natureza e a nova natureza, o velho desejo pelo pecado e a nova inclinação que o Espírito de Deus fez nascer em nossos corações. Agora há uma sede e uma paixão por obediência que não havia lá antes.