• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    O que é a doutrina da segurança eterna? – R. C. Sproul





    Quando falamos da doutrina da segurança eterna estamos usando uma descrição popular de uma doutrina clássica que chamamos perseverança dos santos. Significa que, desde que uma pessoa tenha sido vivificada pelo Espírito Santo, nascida do Espírito e justificada pela fé em Cristo e, portanto, colocada num estado de salvação, essa pessoa de fato nunca perderá sua salvação. Esse é um ponto cheio de controvérsias dentro do cristianismo histórico.



    Há muitos cristãos que não crêem que uma vez que a pessoa esteja num estado de graça, ela permanecerá nesse estado de graça. A Igreja Católica Romana, por exemplo, historicamente ensina a distinção entre pecados veniais e pecados mortais. Pecado mortal é definido como sendo mortal porque tem a capacidade de matar ou destruir a graça justificadora que habita na alma e tal pecado torna necessário que a pessoa seja restaurada à justificação através do sacramento da penitência. Outras denominações cristãs também crêem que é possível que um cristão perca a sua salvação.



    Os defensores da segurança eterna dizem que, uma vez realizada através da fé, nossa salvação está segura e nada nos separará do amor de Cristo. A doutrina está baseada em algumas passagens das Escrituras como os ensinos de Paulo aos Filipenses. Diz-se que: "...aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus". As Escrituras falam também da obra do Espírito Santo na vida cristã. O Espírito não apenas nos regenera ou nos vivifica, começando todo o processo da vida cristã, mas, como a Bíblia nos diz, Deus dá a cada cristão o selo do Espírito Santo e o penhor do Espírito Santo.



    Esse termo é um pouco obscuro no vocabulário comum, embora, quando compramos uma casa, o agente da imobiliária possa nos pedir para fazer um pequeno pagamento adiantado que chamamos garantia. Essa é uma expressão de negócio que usamos e que é usada nas Escrituras da mesma maneira. Um penhor era um pagamento adiantado, uma garantia absoluta de que o restante da dívida de fato seria paga. Quando Deus, o Espírito Santo, faz um pagamento adiantado sobre alguma coisa, ele não nega os outros pagamentos. Deus, o Espírito Santo, nos dá um penhor que se torna menos que um penhor. Ele está extremamente penhorado em terminar o que começou em você.



    Também o conceito de estar selado vem da linguagem antiga do sinete que havia no anel do imperador. Quando algo era selado e afixado com o imprimátur do rei ou do proprietário, então aquilo se tornava sua possessão. Creio que devemos fazer a seguinte observação: Se fosse por nós, não creio que qualquer um de nós perseveraria e teríamos muito pouca segurança. Entretanto, o conceito bíblico é que Deus promete que nada nos arrebatará das mãos de Cristo, que ele nos preservará.