• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Razões para a criação do mundo - Thomas Watson (1620-1686)




    Uma pergunta se torna pertinente aqui: Por que Deus fez o mundo? Podemos responder negativamente e positivamente.

    a.       Negativamente

    Ele não fez para si mesmo, pois sendo infinito, não precisava dele. Ele era feliz em cogitar sobre as próprias excelências e perfeições sublimes antes que o mundo existisse. Deus não criou o mundo para ser uma mansão em que residiria perpetuamente. O céu é sua morada (Jo 14.2). O mundo é somente um corredor para a eternidade; o mundo é para nós como o deserto para Israel, não um descanso, mas uma jornada para chegar a Canaã. O mundo é um camarim para adornar nossas almas, não um lugar onde ficaremos para sempre. O apóstolo nos fala sobre o funeral do mundo: "Os elementos se desfarão abrasados; também a terra e as obras que nela existem serão atingidas" (2Pe 3.10).


    b.      Positivamente



    Deus fez o mundo para revelar a própria glória. O mundo é um espelho pelo qual podemos ver o poder e a bondade de Deus refletidos. "Os céus proclamam a glória de Deus" (SI 19.1). O mundo é como uma curiosa peça de tapeçaria, na qual podemos ver a habilidade e a sabedoria daquele que a fez.

    Deus criou o mundo? Então considere o seguinte:

    Deus é o criador do mundo, isso deve nos convencer da realidade de sua divindade. Criar é próprio de um Deus (At 17.24). Platão se convenceu da existência de um Deus quando viu que nada no mundo poderia fazer uma mosca. Assim, Deus prova ser o verdadeiro Deus, distinguindo-se dos ídolos (Jr 10.11). Está escrito na língua dos caldeus: "Assim lhes direis: Os deuses que não fizeram os céus e a terra, e as nações não podem suportar a sua indignação". Quem pode criar, senão Deus? A criação é suficiente para convencer o pagão de que há um Deus. Há dois livros pelos quais Deus julgará e condenará o idólatra, a saber, o livro da consciência - "mostram a norma da lei gravada no seu coração" (Rm 2.15) - e o livro da criação -"Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas" (Rm 1.20). O mundo está cheio de emblemas e de hieróglifos. Toda estrela no céu e toda ave que voa nos ares são testemunhas contra o pagão. Uma criatura não pode criar a si mesma.

    O fato de Deus criar é um poderoso pináculo da fé. Ele, que fez todas as coisas com uma palavra, o que não poderá fazer? Ele pode criar força na fraqueza; pode criar um suprimento para as nossas necessidades. Que questão louca foi aquela suscitada entre os israelitas no deserto: "Pode, acaso, Deus preparar-nos mesa no deserto?" (SI 78.19). Aquele que fez o mundo não pode fazer muito mais? "O nosso socorro está em o nome do SENHOR, criador do céu e da terra" (SI 124.8). Espere por socorro nesse Deus, que fez o céu e a terra. Assim como a obra da criação é um monumento do poder de Deus, da mesma maneira é um suporte para a fé. Está o teu coração pesado? Ele pode, com uma palavra, criar leveza. Está sujo? Ele pode criar pureza. "Cria em mim, ó Deus, um coração puro" (SI 51.10). Está a igreja de Deus fraca? Ele pode criar alegria para Jerusalém (Is 65.18). Não há pilar mais dourado para a fé do que se firmar sobre um poder criador.