• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Não te deixarei Ir - Octavius Winslow (1808 – 1878)



    Porém ele disse: Não te deixarei ir, se não me abençoares”.

    Gênesis 32.26

    É o conhecimento de sua necessidade que dá verdadeira eloqüência para fazer sua petição como um mendigo, um sentimento de miséria, de pobreza absoluta, da fome real.

    É isso que dá energia ao seu apelo e perseverança na realização dele. Sua linguagem é: “Devo ter pão ou eu morro”. Você sente que é dependente diariamente da generosidade de Deus? Quais recursos tem dentro de si? Absolutamente nenhum. E o que você é sem Deus? Pura necessidade. Agora, na mesma proporção em que se familiariza com seu caso de forma concreta, sua miséria absoluta, deve chegar ao trono da graça e não aceitar sair sem que a graça o toque.

    Deve conhecer sua necessidade real, deve saber o que a graça é e o quão deficiente você é. Como o pecado o assedia, que enfermidades o cercam, que parte da obra do Espírito está em declínio em sua alma, onde é mais fraco e exposto ao ataque do inimigo, e o que falta para ser aperfeiçoado em toda a vontade de Deus - examine-se honestamente até saber sua real condição.

    Isso vai encarecer o trono da graça, vai agitar e acordar o espírito de oração adormecido, irá fazê-lo enxergar verdades na Palavra que não havia visto antes, lhe dará verdadeiros argumentos na oração, energia e perseverança para sua petição.

    Foi um profundo e premente sentido de sua necessidade que transmitiu tanta ousadia e poder para a luta de Jacó: “Eu não te deixarei ir se não me abençoares” – e o Senhor Disse: “Não te chamarás mais Jacó, mas Israel; pois como príncipe lutaste com Deus e com os homens, e prevaleceste....”

    Imite o Patriarca, comece o dia pensando sobre o que você pode eventualmente precisar para viver para Ele antes que o dia termine, se percebes alguma cruz a frente, ou qualquer tentação, ou perigo ao qual estará exposto – em seguida lute pela graça necessária e prometida.


    Oh, é uma grande misericórdia ter uma incumbência dentro de nós que  nos remete para Deus, e quando nos lembramos o coração cheio de amor que Ele tem, a disponibilidade para ouvir, como sempre nos dá uma resposta, e que entra nas mínimas circunstâncias da história de um crente para redimi-las. Ele repreende a relutância e confronta a incredulidade. Nós deveríamos correr para desfrutar do mais caro, santo e precioso de todos os nossos privilégios. Ore.