• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Por que Ele veio. – Thomas Watson (1620-1686)



    Ele veio a fim de se encarnar e nos redimir para que pudesse nos investir em seu reino. Ele era pobre e nos fez ricos (2Co 8.9). Ele nasceu de uma virgem para que pudesse nascer de Deus. Ele tomou nossa carne para que pudesse nos dar seu Espírito. Ele se deitou numa manjedoura para que pudesse descansar no paraíso. Ele desceu do céu para que pudesse nos levar ao céu. E tudo isso foi por amor. Se os nossos corações não forem como rochas, esse amor de Cristo nos constrangerá. O amor de Cristo excede todo o entendimento (Ef 3.19).

    Veja que maravilhosa humildade a de Cristo. Cristo se fez carne. "Oh! que santa humildade o Filho de Deus descer no ventre de Maria!", disse Agostinho. Oh! que humildade infinita o fato de Cristo se vestir com nossa carne, um pedaço desta terra onde andamos! Cristo se vestir com nossa carne foi um dos aspectos mais difíceis de sua humilhação. Ele se humilhou muito mais ao nascer do útero de uma virgem que ao ficar pendurado na cruz. O homem Cristo morrer já seria muito, mas Deus se tornar homem foi a maravilha da humilhação: "tornando-se em semelhança de homens" (Fp 2.7). Cristo se encarnar foi uma humilhação maior do que os anjos se tornarem vermes. A carne de Cristo é chamada de véu em Hebreus 10.20. "Pelo véu, isto é, pela sua carne." Ao vestir nossa carne, Cristo colocou um véu sobre sua glória. Ter se tornado carne, aquele que era igual a Deus: veja que humilhação. "Pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus" (Fp 2.6). Ele estava em pé de igualdade com Deus, era da mesma essência e da mesma substância com seu Pai, assim como Agostinho, Cirilo e o Concílio de Nicéia expressaram. Porém, apesar de tudo, ele tomou a nossa carne. Ele se despiu das vestimentas de sua glória e se cobriu com os trapos de nossa humanidade. Se Salomão achou impressionante Deus habitar no templo que era enriquecido e enfeitado com ouro, ainda mais nós, ficaríamos impressionados pelo fato de Deus habitar a natureza humana frágil e fraca.

    Ainda maior humilhação é que Cristo não somente tomou nossa carne, mas o fez na pior situação, sob desgraça. Como um servo que voltaria a vestir uma farda mesmo sendo deposto por alta traição. Apesar de tudo isso ele tomou as enfermidades de nossa carne. Há dois tipos de enfermidade: o pecado sem dor e a dor sem pecado. A primeira dessas enfermidades Cristo não tomou sobre si, que foi a enfermidade pecaminosa, que é ser invejoso ou ambicioso. Mas ele tomou sobre si as enfermidades dolorosas como:

    (i)      a fome. Ele se aproximou de uma figueira e ia comer de seu fruto (Mt 21.18,19).

    (ii)     O cansaço. Sentou-se no poço de Jacó para descansar (Jo 4.6).

    (iii)    O sofrimento. "A minha alma está profundamente triste até à morte" (Mt 26.38). Era um sofrimento dirigido pela razão e não afetado pela paixão.

    (iv)    O medo. "Tendo sido ouvido por causa da sua piedade" (Hb 5.7).

    Um grau ainda maior da humilhação de Cristo foi que ele não só
    encarnou, mas foi feito à semelhança da carne pecadora: "Aquele que não conheceu o pecado, ele o fez pecado por nós" (2Co 5.21). Ele era como um pecador, pois tinha todo o pecado sobre si, embora pecado algum houvesse nele: "Foi contado com os transgressores" (Is 53.12). Aquele que foi contado entre as pessoas da Trindade, agora foi "oferecido uma vez para sempre para tirar os pecados de muitos" (Hb 9.28). Esse foi o grau mais baixo da humilhação de Cristo, pois Cristo ser considerado como pecador era o maior grau de humilhação. Cristo, que não suportou o pecado dos anjos, deveria suportar o pecado imputado a ele, o que é a mais impressionante humilhação de todas.

    De tudo isso, aprenda a ser humilde. Depois de ver Cristo se humilhar, você ainda é orgulhoso? Um santo humilde é que é a imagem de Cristo. Cristãos, não sejam orgulhosos. Você tem uma propriedade? Não seja orgulhoso. A terra onde caminha é mais rica do que você. Ela tem minas de ouro e prata em seu seio. Você tem beleza? Não seja orgulhoso. E somente ar e poeira misturados. Você tem habilidades e talentos? Seja humilde. Lúcifer tem mais conhecimento do que você. Você tem graça? Seja humilde. Isso que você tem não é próprio, é emprestado. Não seria uma tolice ficar orgulhoso de um anel que é emprestado? (ICo 4.7). Você tem mais pecado do que graça, mais manchas do que beleza. Olhe para Cristo, esse raro padrão, e seja humilde. E algo estranho ver Deus se humilhando e o homem se exaltando, ver um Salvador humilde e um pecador orgulhoso. Deus odeia a mera aparência do orgulho. Ele não receberá mel no sacrifício (Lv 2.11). O fermento é amargo, então por que a ausência do mel? Porque quando o mel é misturado com a farinha, ou o mingau, faz que a massa cresça e inche, portanto o mel não deve fazer parte. Deus odeia a aparência do pecado do orgulho; é melhor carecer de talentos e do consolo do Espírito que da humildade. "Se Deus não poupou os anjos quando ficaram orgulhosos, poupará você que é somente pó e podridão?", disse Agostinho.

    3.      Contemple um enigma sagrado ou um paradoxo. "Deus se manifestou na carne." O fato de o homem ser feito à imagem de Deus é algo maravilhoso, mas Deus ser feito à imagem do homem é ainda mais impressionante. Que o Ancião de dias nascesse, que aquele que troveja nos céus tivesse de chorar em um berço, que aquele que reina e governa as estrelas tivesse de sugar o peito, que uma virgem concebesse, que Cristo viesse de uma mulher que ele mesmo criou, que o galho pudesse dar vida à vinha, que a mãe fosse mais jovem que o filho em seus braços e a criança em seu ventre maior que a mãe; que a natureza humana não fosse Deus, mas uma com Deus; isso tudo não é somente "espantoso, mas também miraculoso". Cristo se encarnar é um mistério que nunca entenderemos totalmente até que cheguemos ao céu, quando nossa razão se aclarará assim como nosso amor se aperfeiçoará.

    4.      Por isso, aprenda que "Deus se manifestou na carne", Cristo nasceu de uma virgem, algo não somente estranho em sua essência, mas quase impensável. Aprenda que não há impossíveis para Deus. Deus pode fazer acontecer coisas que estão acima da possibilidade natural realizar, coisas como o machado boiar, a rocha brotar água e o fogo sugar a água nas calhas (lRs 18.38). É natural a água consumir o fogo, mas o fogo consumir a água é impossível no curso da natureza, mas Deus pode fazer acontecer tudo isso. "Acaso, haveria coisa demasiadamente maravilhosa para mim?" (Jr 32.27). "Se isto for maravilhoso aos olhos do restante deste povo naqueles dias, será também maravilhoso aos meus olhos? - diz o SENHOR dos Exércitos" (Zc 8.6).

    Como Deus se uniria em nossa carne? É impossível para nós, mas não para Deus. Ele pode fazer o que transcende à razão e excede à fé. Ele não poderia ser nosso Deus se não pudesse fazer mais do que podemos pensar (Ef 3.20). Ele pode reconciliar inimigos. Nós nos desanimamos diante daquilo que parece impossível para nós. Como nos entristecemos dentro de nós quando as coisas não fazem sentido. Somos como aquele rei que disse: "Ainda que o SENHOR fizesse janelas no céu, poderia suceder isso?" (2Rs 7.2). Era uma época de fome. Uma medida de trigo, que era uma boa parte de um bushel, deveria ser vendida por um xequel, metade de uma onça de prata. Como poderia ser aquilo? Assim, quando as coisas estão confusas ou estranhas, o próprio povo de Deus questiona como poderá alcançar sucesso. Moisés, que era um homem de Deus, e uma das estrelas mais brilhantes que já cintilaram no firmamento da igreja de Deus, ficou desanimado diante das impossibilidades. "Respondeu Moisés: Seiscentos mil homens de pé é este povo no meio do qual estou; e tu disseste: Dar-lhes-ei; carne, e a comerão um mês inteiro. Matar-se-ão para eles rebanhos de avelhas e de gados que lhes bastem? Ou se ajuntarão para eles todos os peixes do mar que lhes bastem?" (Nm 11.21,22). Como se ele dissesse claramente que não podia ver como o povo de Israel, sendo tão numeroso, poderia ser alimentado por um mês. "Porém o SENHOR respondeu a Moisés: ter-se-ia encurtado a mão do SENHOR?" (Nm 11.23). Deus fez Isaque nascer de um útero amortecido, o Messias saiu de um ventre de uma virgem. O que ele não pode fazer?

    Descansemos sobre os braços do poder de Deus e acreditemos nele, no meio de aparentes impossibilidades. Lembre-se: "Não há impossíveis para Deus". Ele pode subjugar um coração orgulhoso, pode ressuscitar uma igreja morta. Cristo nasceu de uma virgem. O Deus que opera maravilhas foi quem fez isso e pode vencer as maiores aparentes impossibilidades aos nossos olhos.