• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Utilize os Meios de Graça – Thomas Watson (1620-1686)



    "Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação...?"
    (Hebreus 2:3)

    Alguém deu um conselho ao seu amigo doente de que não fosse para o médico porque, ele disse, está escrito pelo destino se você vai se recuperar ou não. Se for seu destino recuperar-se então você não precisa do médico, e se não for seu destino, então o médico não lhe fará nenhum bem.

    A mesma falácia é usada pelo diabo contra os homens. Ele os induz a não se empenharem. Se Deus tiver decretado que eles serão salvos, eles serão salvos e não há necessidade de porfiar. Se Ele não tiver decretado sua salvação, então o trabalho deles não lhes fará nenhum bem. Este é um argumento retirado do pensamento do diabo. Mas dizemos que Deus decreta o fim usando os meios. Deus decretou que Israel entraria em Canaã, contudo primeiro eles deveriam lutar contra os filhos de Anaque. Deus decretou que Ezequias deveria recuperar-se de sua doença, porém ordenou que colocasse pasta de figos como emplasto sobre as chagas. (Is. 38:21).

    Não usamos tais argumentos em outros assuntos. Um homem não diz: "Se Deus decretou que eu terei uma colheita este ano, eu terei uma colheita este ano! Por que eu terei que arar, semear ou adubar a terra?" Não, ele usará os meios e esperará pela colheita. Embora "a bênção do Senhor é que enriquece " (Prov. 10:22), e isso é uma verdade, "a mão dos diligentes enriquece" (Prov. 10:4). Os decretos de Deus são executados através de nosso trabalho.

    E assim, amigo, tendo removido estes obstáculos, deixe-me agora persuadi-lo a empenhar-se neste trabalho abençoado, o desenvolvimento de sua salvação. E, para que minhas palavras possam prevalecer, eu proporei vários argumentos com a finalidade de motivá-lo a este trabalho.

    1. O primeiro argumento ou motivo para trabalhar é retirado da preciosidade da alma. Bem podemos nos esmerar para que possamos estar a salvo do perigo. A alma é a divina centelha acesa pelo sopro de Deus. Ela supera o mundo em valor e importância. (Mat. 16:26). Se o mundo é o livro de Deus, como Orígenes o chama, a alma é a imagem de Deus. Platão chama a alma de o refletor da Trindade. É um espelho vívido, o qual reflete o brilho da sabedoria e da santidade de Deus. A alma é o florir da eternidade.

    Deus fez a alma capaz de ter comunhão com Ele. Pagar a metade do valor de uma alma levaria o mundo à bancarrota. A que preço avaliou Cristo a alma quando Se vendeu para comprá-la? Oh, que pena que essa alma excelente, essa alma pela qual Deus convocou um conselho no céu quando a criou, possa fracassar e ficar perdida por toda a eternidade. Quem não trabalharia noite e dia para não perder essa alma? A jóia é inestimável, a perda é irreparável.

    2. A diligência santa e o esforço enobrecem o cristão. Quanto mais excelente for alguma coisa, mais dinâmica será. O sol é uma gloriosa criação. Ele nunca fica parado, está sempre girando em seu circuito ao redor do mundo. O fogo é o elemento mais puro e o mais ativo, ele está sempre inflamado e flamejando. Os anjos são as criaturas mais nobres e as mais ágeis. Portanto são representados pelo querubim com suas asas abertas. Deus em Si é o ato mais puro.

    Homero disse que Agamenon algumas vezes assemelhava-se a Júpiter em suas feições, Palas em sua sabedoria, Marte em seu valor. Através da santa diligência nos assemelhamos a Deus que é o ato mais puro. A fénix voa com uma pequena coroa em sua cabeça. O cristão esforçado não precisa de coroa sobre sua cabeça, seu suor o enobrece. Seu trabalho é sua insígnia de honra. Salomão nos diz que: "...a sonolência faz trazer os vestidos rotos. " (Prov. 23:21). A infâmia é um dos trajes que o cobre. Deus odeia o temperamento lasso. Lemos na lei que o asno, sendo uma criatura estúpida, não poderia ser oferecida em sacrifício. A atividade espiritual é um distintivo de honra.

    3. Desenvolver nossa salvação é o que fará com que tanto o céu como a morte sejam algo doce para nós.

    A. Isso adoçará a morte. Aquele que trabalha duro durante todo o dia, quão tranqüilamente dorme durante a noite. Você que tem desenvolvido sua salvação durante toda sua vida, quão tranqüilamente poderá deitar sua cabeça no sono da morte na esperança de uma gloriosa ressurreição! Este será um leito estimulante de morte.

    B. Isso adoçará o céu. Quanto mais nos esmerarmos por causa do céu, tanto mais doce ele será quando para lá formos. É um deleite para o homem olhar para seu trabalho e ver os frutos aparecerem. Quando ele tem plantado árvores em seu pomar ou plantado mudas, é um deleite observar e rever seu trabalho. Assim, no céu, quando virmos o fruto obtido de nosso esforço: "o fim de nossa salvação " (I Ped. 1:9), isso fará o céu muito mais doce. Quanto maiores forem os esforços para se alcançar o céu, tanto mais bem-vindo ele será. Quanto mais suor, tanto mais doçura. Quando o homem peca, o prazer se vai e as acutiladas permanecem, mas quando ele se arrepende, o labor se vai e o gozo permanece.

    4. Vocês ainda têm tempo para trabalhar. Este texto, estaria fora da época para ser pregado para o execrável no inferno. Se eu lhes ordenasse que trabalhassem, já seria tarde demais. O seu tempo já passou. É noite com o diabo, mas hoje é ainda dia para vocês. "...trabalhem enquanto é dia " (João 9:4). Se vocês perderem seu dia, perderão suas almas. Este é o tempo para suas almas. Agora Deus ordena, agora o Espírito sopra, ministros suplicam, até mesmo as campainhas de Arão soariam nas suas almas chamando-os para Cristo. Oh, aproveitem a época! Este é seu tempo de semear; semeiem agora as sementes da fé e do arrependimento. Se na época certa vocês não têm o desejo, virá o tempo em que terão o desejo e não terão mais a época certa. Aproveitem o tempo enquanto podem. O marinheiro iça suas velas enquanto sopram os ventos. Nunca um povo teve ura caminho tão aberto para o céu como as pessoas desta cidade, e não iriam vocês prosseguir adiante em suas viagens? E como corre para o final este tempo! Eu lhes asseguro que o Grande Legislador não atrasará Seu chamado. Oh, meus irmãos, agora é o tempo de chamada para suas almas. Agora supliquem a Deus por misericórdia, ou pelo menos peçam a Cristo que faça isso por vocês.

    Pensem seriamente sobre estes oito itens:

    Primeiro, nossa vida se vai rapidamente. Gregório compara nossa vida com um marinheiro navegando a todo vapor. Estamos cada dia navegando rapidamente em direção à eternidade.

    Segundo, os tempos da graça, embora sejam preciosos, não são permanentes. A misericórdia desprezada será como a pomba na arca de Noé, abrirá suas asas e voará para longe de nós. A época áurea da Inglaterra - e da humanidade - irá passar rapidamente. As bênçãos do evangelho são muito doces, porém são muito passageiras. "Mas agora isto está encoberto aos teus olhos." (Luc. 19:42). Não sabemos quando o candelabro dourado poderá ser removido.

    Terceiro, haverá um tempo quando o Espírito terá parado de con¬tender. Há um fluir do Espírito, o qual, tendo sido negligenciado, é possível que não tornemos a ver um novo fluir acontecer. Quando a consciência pára de acusar, geralmente é porque o Espírito cessou de contender.

    Quarto, a perda das oportunidades do evangelho será o inferno do inferno. Quando então, no último dia, o pecador deverá pensar consigo mesmo: "Oh, o que eu poderia ter sido! Eu poderia ser tão rico quanto os anjos, tão rico quanto o céu pudesse me tornar. Eu tive o tempo oportuno para trabalhar e o perdi. "Isso será como um câncer corroendo-o. Isso intensificará e acentuará sua miséria. Portanto, permitam que tudo isso venha rapidamente persuadi-los a desenvolver a sua salvação.

    Quinto, vocês podem desenvolver sua salvação sem que isso os impeça de realizar seu trabalho profissional. Desenvolver a salvação e realizar seu trabalho secular para o qual foi chamado não é inconsistente. E coloco dessa forma para evitar objeções. Alguém poderia dizer: "Mas eu trabalho tanto visando o céu que não tenho tempo para meus negócios." Estejam certos de que o sábio Deus nunca faria com que um de Seus mandamentos interferisse em seu sustento. Da mesma forma como Ele quer que vocês busquem o Seu reino (Mat. 6:33), Ele também quer que supram o sustento de suas famílias. (I Tim. 5:8). Vocês podem desenvolver os dois negócios juntos. Não gosto daque¬les que fazem com que a igreja exclua o emprego comercial, fazendo com que passem todo o tempo ouvindo, e assim negligenciando suas responsabilidades no lar. (II Tess. 3:11). Eles são como os lírios do campo, "os quais não tecem nem fiam. "(Mat. 6:28). Deus nunca selou nenhuma autorização a favor da preguiça. Ele ordena e recomenda diligência em sua ocupação, o que pode também nos incentivar a buscar a salvação, porque esta ocupação não nos isentará de nossas outras obrigações. Um homem pode seguir a Deus totalmente como Calebe (Num. 14:34), e ainda fazer como Davi: "...seguiras ovelhas pejadas " (Sal. 78:71). Piedade e diligência devem andar juntas.

    Sexto, a inescusabilidade daqueles que negligenciam o desenvolvimento de sua salvação. Eu imagino ouvir Deus discutindo o caso com um homem no último dia, da seguinte maneira: "Por que você não trabalhou? Eu lhe dei tempo para fazê-lo, Eu lhe dei iluminação com que trabalhar, lhe dei Meu evangelho, Meu Espírito, Meus ministros. Eu lhe dei talentos para trabalhar, coloquei a recompensa diante de você. Por que não desenvolveu a sua salvação? Tanto pode ser preguiça quanto obstinação. Teria havido algum outro trabalho de tão grande importância para você fazer? Você trabalhou nos tijolos mas não no ouro. O que poderia dizer a seu favor para que a sentença não lhe fosse dada?"Oh, como o pecador ficará sem palavras nessa hora, e como cortará o seu coração pensar em como negligenciou sim salvação sem poder explicar o porquê!

    Sétimo, a inexprimível miséria daqueles que não desenvolveram sua salvação. Aqueles que dormem na semeadura mendigarão na colheita. Após a morte, quando estiverem esperando receber uma colheita de glória, eles estarão implorando por uma gota d'agua como fez o rico no hades. Os vadios desocupados são levados presos para serem investigados. Aqueles que não desenvolveram sua salvação, saibam que o inferno é a prisão de Deus para a qual serão mandados.

    Oitavo, se tudo isto não os convencer, considerem por último para o que estamos trabalhando. Ninguém se esmera por uma ninharia. Estamos trabalhando por uma coroa, por um trono, por um paraíso, e tudo isso está compreendido em uma só palavra: salvação. Eis algo estimulante em que trabalhar. Todos os homens desejam a salvação. É a coroa de nossas esperanças. Nenhum esforço é grande demais para se conseguí-la. Quantos sacrifícios os homens estão dispostos a fazer para conseguirem o poder e o cetro na terra! Imaginem então se os reinos deste mundo fossem mais gloriosos do que são, com alicerces de ouro, muros de pérolas, janelas de safiras. O que seria isso comparado ao reino pelo qual trabalhamos? Seria mais fácil abraçar todo o universo do que descrever esse reino em todo o seu esplendor e magnificência.

    A salvação é uma coisa formosa. Está tão acima de nossos pensamentos quanto está acima de nossos merecimentos. Oh, como isso pode acrescentar asas aos nossos esforços. O mercador correrá por regiões de frio e calor a fim de conseguir um pequeno prêmio. O soldado, por um rico soldo de guerra, suportará a bala e a espada. Ele suportará alegremente uma primavera sangrenta, visando obter uma colheita dourada. Oh, então, quanto mais nós devemos dar nosso santo suor por este bendito prêmio da salvação!