• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    O que há de Errado com a Psicologia? - Wayne Mack


    A palavra psicologia literalmente significa "o estudo da alma". O verdadeiro estudo da alma não pode ser praticado por não-cristãos. Afinal, somente os cristãos possuem os recursos para compreender a natureza da alma humana e como ela pode ser transformada. A disciplina secular da psicologia baseia-se em pressupostos ateístas e fundamentos evolucionistas e está apta a lidar com as pessoas em um nível apenas superficial e temporal. Sigmund Freud, o pai da psicologia moderna, foi um humanista descrente que divisou a psicologia como substituta para a religião.

    Antes de Freud, o estudo da alma era tido como disciplina espiritual. Em outras palavras, estava inerentemente ligado à religião. A principal contribuição de Freud foi definir a alma humana e o estudo do comportamento humano em termos absolutamente seculares. Ele separou completamente a antropologia (o estudo dos seres humanos) da esfera espiritual e por conseguinte abriu espaço para as teorias ateístas, humanistas e racionalistas acerca do comportamento humano.

    Essas teorias fundamentalmente antibíblicas tornaram-se a base de toda a psicologia moderna. Não se pode esquecer que os psicólogos de hoje utilizam centenas de modelos de aconselhamento e técnicas baseadas na miríade de teorias conflitantes, de forma que é impossível falar da psicoterapia como ciência unificada e consistente. Mas a base da psicologia moderna pode ser resumida em várias das idéias comumente defendidas que têm suas raízes nos primórdios do humanismo freudiano. Trata-se das mesmas idéias que muitos cristãos vêm procurando arduamente conciliar com a verdade bíblica:

    1.      A natureza humana é essencialmente boa.

    2.     As pessoas encontram as respostas para os seus problemas dentro de si mesmas.

    3.     A chave para a compreensão e a correção das atitudes e ações de uma pessoa reside em algum ponto de seu passado.

    4.     Os problemas de uma pessoa são resultantes de algo que outra pessoa lhe fez.

    5.     Os problemas humanos podem ser puramente psicológicos em sua natureza - não estão relacionados a qualquer condição espiritual ou física.

    6.   Os problemas profundos só podem ser resolvidos por conselheiros profissionais  e por meio de terapia.

    7.    As Escrituras, a oração, e o Espírito Santo são fontes inadequadas e simplistas para a resolução de certos tipos de problemas.

    Estas e outras teorias similares, destituídas do temor de Deus, têm conseguido se infiltrar na Igreja, a partir de aspectos variados do reservatório da psicologia e estão tendo um profundo e perturbador efeito por meio de sua abordagem para ajudar as pessoas. Muitos cristãos dedicados estão completamente fora de prumo em sua concepção do que seja o aconselhamento e o que ele deveria realizar.

    Alguns lembretes básicos talvez sejam úteis. Por exemplo: a Bíblia é o único manual confiável para o verdadeiro estudo da alma. Ela é tão exaustiva no diagnóstico e no tratamento de cada questão espiritual que, aplicada pelo Espírito Santo no cristão, ela o torna semelhante a Jesus Cristo. E o processo da santificação bíblica. Esse é o alvo do aconselhamento bíblico.

    Os puritanos, por sua vez, referiram-se ao ministério de aconselhamento como "a obra da alma". Falavam sobre a responsabilidade do pastor como sendo "a cura das almas". Compreendiam que a única ajuda confiável para a alma é a infalível verdade das Escrituras, aplicada pelo Espírito de Deus. Sabiam que a única cura genuína, eficaz, ou permanente para os problemas da alma é a completa transformação efetuada pela graça de Deus no coração do que crê.