• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Cristo e os Eleitos do Pai - John Owen (1616-1683)



    Deus, o Filho, agente de nossa salvação

    Devido ao fato de Deus, o Filho, haver voluntariamente concordado em fazer o que o Pai tinha planejado, podemos dizer que Ele também era um agente de nossa salvação (Como o Pai). Jesus disse: "A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou, e realizar a sua obra.".(João 4:34). Há três maneiras pelas quais Cristo mostrou Sua prontidão para ser um agente:

    1. Ele Se dispôs a deixar de lado a glória de Sua natureza divina e fazer-Se homem. "E, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele participou das mesmas coisas..." (Hebreus2:14). Note que é afirmado que Ele fez isso não porque toda a raça humana era composta de carne e sangue, mas porque os filhos que Deus lhe dera eram humanos (Hebreus 2:13). Sua prontidão estava relacionada àqueles filhos, não a toda a raça humana.

    2.      Ele Se dispôs a dar-Se a Si mesmo como oferta. É verdade que Ele sofreu muitas coisas passivamente. Contudo, é verdade que Ele deu-Se a Si mesmo para aqueles sofrimentos, ativa e prontamente. Sem tal consentimento voluntário, os sofrimentos não teriam qualquer valor. Assim Ele pode verdadeiramente dizer: “Por isto o Pai me ama, porque dou minha vida... Ninguém ma tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou". (João 10:17-18).

    3.      Suas orações no presente em favor de Seus filhos mostram Sua prontidão em ser um agente em nossa salvação. Agora Cristo entrou no santuário. (Hebreus 9:11-12). Sua obra ali é a intercessão (oração). Veja que Ele não ora pelo mundo (João 17:9), mas por aqueles pelos quais Ele morreu (Romanos 8:34). Ele pede que aqueles que Lhe foram dados possam ir para onde Ele está, para ver a Sua glória (João 17:24). Portanto, é claro que Ele não poderia ter morrido por todos os homens!