• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Dúvidas sobre nossa fé - W. Guthrie (1620-1665)


    Um genuíno cristão valoriza o Senhor Jesus Cristo acima de tudo o mais. Os cristãos sabem que são pecadores, perdidos e distanciados de Deus. Sabendo que não têm em si mesmos nenhuma coisa boa para trazer a Deus, voltam-se sincera e totalmente para Jesus Cristo, a fim de fazer a Sua vontade e agradá-10. Isso descreve você?
    Talvez ainda não tenha certeza. Às vezes você pensa que é um verdadeiro cristão. Em outras ocasiões, entretanto, parece um pecador tão sem esperança que duvida se tem realmente em você a nova vida que vem de Deus.
    O pecado em nossas vidas às vezes pode nos levar a duvidar se somos cristãos ou não. Mas encontramos na Bíblia crentes confiando em Deus - mesmo quando o pecado parecia forte em suas vidas. Leiam Romanos 7:24-25, onde Paulo agradece a Deus, através de Jesus Cristo, embora esteja triste porque o pecado ainda o domina. No salmo 65:3 lemos, "Prevalecem as iniqüidades contra mim; mas tu perdoas as nossas transgressões". O pecado estava lá - mas também a confiança no poder de Deus para purificar e perdoar.
    Portanto, o pecado em nossas vidas não deve levar-nos a duvidar se somos cristãos ou não. Alguns pecados começam com nossa fraqueza humana, e nos dominam inesperadamente, embora não queiramos pecar. Noutras ocasiões queremos pecar; e esses pecados contêm todo tipo de outros males. Nesse ponto, devemos diferenciar as coisas. Pecados inesperados, que resultam de nossa fraqueza natural, sempre preocuparão os cristãos. Mas pecados que desejamos, e que trazem em si outras formas de erro, tomam muito difícil perceber se a pessoa é uma verdadeira cristã. Entretanto, quando os deixamos para traz, mesmo que sejam pecados sérios e deliberados contra Deus, retomamos o sentido de sermos legítimos cristãos. Depois que Davi pecou contra Deus numerando os israelitas, arrependeu-se desse pecado; sua consciência estava preocupando-o depois que contou os guerreiros. Disse ao Senhor: "Muito pequei no que fiz: porém agora, ó Senhor, peço-te que traspasses a iniqüidade do teu servo" (2 Sam. 24:10). Notem que Davi chama a si mesmo servo de Deus. Embora tenha pecado deliberadamente, e tenha sido tolo, quando se volta contra aquele pecado, sabe novamente que é um cristão autêntico.
    E quanto àqueles pecados inesperados, que entram em nossas vidas porque somos naturalmente fracos e pecadores? Pensemos mais uma vez sobre o que Paulo disse em Romanos, capítulo 7. Certamente Paulo sabe que é pecador, no entanto também pensa em si mesmo como crente. Paulo sabe que falha em obedecer a toda a lei de Deus; todavia não culpa a lei de Deus - ele culpa a si mesmo como pecador. Paulo é claro quanto a desejar fazer o bem, obedecer toda a lei de Deus e abandonar todo o mal. Diz ele, em Romanos 7:19: "Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço". Em terceiro lugar, Paulo sente que o pecado é um fardo - não gosta dele de forma nenhuma, quer se livrar dele (Rom. 7:24). Então Paulo diz que mesmo enquanto está sob o poder do pecado, ainda há algo nele que luta contra o pecado - e fica alegre quando a luta termina em vitória sobre o pecado (Rom. 7:22--25).
    Assim, minha pergunta é: você é como Paulo quando descobre que o pecado está levando vantagem sobre você? Culpa a você mesmo quando falha, não a lei de Deus? Já se colocou contra o pecado e quer fazer o bem? Existiria algo em você que luta contra o pecado, e que se alegra quando você faz a vontade de Deus? Se isso ocorre, o pecado pode levar vantagem quando você menos espera, mas mesmo assim você pode se considerar um cristão genuíno. Entretanto, cuidado: evite o pecado e lute contra ele, pois quanto mais fizer isso mais certo estará do amor de Deus por você. Paulo disse: "a vida que agora vivo na carne vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou e se entregou a si mesmo por mim" (Gal. 2:20).
    Certas pessoas duvidam que são cristãs por uma razão diferente. Não duvidam pelos pecados: duvidam por não terem um sentimento especial do amor de Deus ou da ajuda especial do Espírito Santo, que alguns cristãos parecem ter. Algumas pessoas podem falar dos modos maravilhosos como Deus agiu em suas vidas - Deus parece particularmente real para elas. Mas outras parecem não ter essas bênçãos, e por isso, começam a se perguntar se realmente são cristãs.
    Se você for assim, deixe-me dizer que todos os cristãos têm, eu creio, muitas bênçãos especiais do Espírito Santo. Você quer ser santo? Quando pensa na santidade, bondade e pureza de Deus, você quer ter parte dessa santidade em você também? Bem, se for assim, isso é um dom do Espírito Santo para você.
    Você sente que tem um interesse especial por Deus, e que Deus tem um interesse especial por você? Existe um tipo de compartilhamento entre você e Deus? Acaso o sentimento de   \ que você pertence a Deus e que Deus é o seu Deus, se torna especialmente forte quando adora a Deus? Esse, também, é um dom especial do Espírito Santo.
    Outra coisa: você sabe que vive sob o olhar de Deus, e quer viver e trabalhar sabendo que Deus o vê e o conhece? Pode dizer, nas palavras do salmista: "Tenho posto o Senhor continuamente diante de mim"? (Sal. 16:8). Às vezes sente a presença real de Deus junto a você? Isso também é dom especial do Espírito Santo.
    Certamente alguns cristãos às vezes têm um sentimento muito especial de estar com Deus, e de Sua ajuda. Enoque era assim. "E andou Enoque com Deus" (Gen. 5:24). Mas todo cristão tem alguma percepção da presença de Deus, e isso é um dom do Espírito Santo.
    Pergunto ainda - você se sente livre para vir a Deus? Sente-se como se nada estivesse entre você e Deus? Talvez você não se sinta assim sempre, nem constantemente. Mas no mínimo sabe que Jesus Cristo abriu o caminho para você vir a Ele. Você pode não conhecer a experiência especial de falar livremente a Deus em oração, com grande confiança. Alguns desfrutam dessa bênção, outros não. No entanto todos os crentes têm algo do dom da liberdade, dado por Deus - e podemos fazer muito, nós mesmos, para chegar à alegria de falar livremente com Deus.
    Porventura o você sabe da influência do Espírito Santo na sua vida? De maneira comum o Espírito Santo precisa operar desta forma em todos os cristãos, a fim de manter cada um voltado para Deus. Há, porém, uma operação especial do Espírito Santo quando Ele vivifica e fortalece a nossa vida espiritual. Nem todos conhecem essa operação especial -contudo o mesmo Espírito Santo está operando em cada crente.
    Você sabe que Deus ouve as suas orações? Ocasionalmente os crentes sabem que Deus os tem ouvido porque Ele lhes dá certeza direta de tê-los ouvido. É provável que Ele não faça isso com freqüência, porém todo crente sabe que Deus ouve suas orações. Além disso, quando oramos a Deus em nome de Cristo com fé, e sem motivos pecaminosos, podemos crer que Deus nos ouve. 1 João 5:14 nos diz que se pedirmos qualquer coisa que esteja de acordo com a vontade de Deus, Ele nos ouve. Se sabemos que Deus nos ouve desse modo, então o Espírito Santo nos mostrou isso.
    Você tem certeza que Deus Se agrada de você? Isso é algo que podemos testar sem experiências especiais. Por exemplo, 1 João 3:18-19 nos diz que se amamos aos outros em nossas ações e em verdade, "diante dele asseguraremos nossos corações". Amor por outros cristãos é um sinal do amor de Deus em nós, e não precisamos de qualquer experiência especial para compreender isso. Se amamos aos outros cristãos, podemos ter certeza do amor de Deus por nós. Entretanto, às vezes o Espírito Santo mostra aos cristãos, de um modo especial, que têm os sinais da vida de Deus em si mesmos. O Espírito Santo faz com que vejam claramente que alguma coisa em suas vidas é ação de Deus neles, e não sua própria ação. Nem todos os cristãos têm essa certeza especial da ação de Deus em suas vidas. Nem todos os cristãos têm também outra experiência que é muito difícil de descrever: o sentimento da presença de Deus em nós, o sentimento do Seu amor em nossos corações, e a glória de Deus enchendo todo o nosso ser. Tal experiência é um dom especial de Deus a alguns crentes para algum propósito especial. Não duvide de sua fé por não ter esse dom especial.
    Você conhece a paz com Deus? Cada crente está em estado de paz, pois, "sendo jusificados pela fé, temos paz com Deus" (Rom 5:11). Os crentes nem sempre estão em paz consigo mesmos, pois podem estar preocupados em suas consciências. Mas, todos os cristãos estão num estado de paz com Deus, mesmo que às vezes não sintam isso. "Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica" (Rom.8:33). Isso, também, é dom do Espírito Santo.
    Acaso você j á teve a experiência de um transporte especial de alegria em Deus? "Crendo, vos alegrais com gozo inefável e glorioso" (1 Ped. 1:8). O Espírito Santo às vezes pode fazer com que o crente tenha uma forte sensação de alegria na amizade com Deus. Isso, também é um modo do Espírito Santo dar uma confiança aos crentes que sua fé é verdadeira.
    Mais uma coisa, para concluir. Uma vez que as experiências especiais do Espírito, que descrevi, não são contínuas, podemos ser tentados a duvidar que vieram verdadeiramente de Deus. Devemos saber que tais experiências normalmente coincidem com algumas circunstâncias particulares na vida, quando temos necessidade de conforto especial. Refiro-me a tempos de acentuada tristeza pelo pecado, ou de perseguição, ou quando estamos encarando alguma grande responsabilidade perante Deus (1 Ped. 4:14).
    Espero, portanto, que você possa perceber que o Espírito Santo está agindo continuamente em todos os verdadeiros cristãos -não somente naqueles que têm experiências especiais do amor de Deus. De fato, o importante é o que pensamos de Jesus Cristo. Seria Ele o que temos de mais precioso em nossas vidas? Confiamos nEle como nosso Salvador e Senhor? Desejamos ser santos, como Ele é santo? Fé em Jesus Cristo é santidade - esses são dons maravilhosos do Espírito Santo. Se você percebe algo deles em si mesmo, seja grato por não lhe faltar coisa alguma de essencial para ser filho de Deus!