• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Datas Marcantes do Movimento Puritano


    Isto é apenas um esboço de alguns eventos-chaves do movimento Puritano

     1526 - Novo Testamento de William Tyndale alcança a Inglaterra.



     1536 – Henrique VIII e o Parlamento Inglês separam a Igreja da Inglaterra de Roma.


    1547 – Eduardo VI torna-se rei. A Reforma Protestante na Inglaterra avança dramaticamente.


     1553 – Maria, católica romana, torna-se rainha. Trezentos protestantes ingleses são martirizados, e oitocentos fogem para o continente, onde absorvem os princípios doutrinários dos reformadores continentais.


     1558 – A Rainha Elizabeth I ascende ao trono e estabelece o Acordo Elizabetano, que é insuficientemente reformado para satisfazer àqueles que logo seriam conhecidos como Puritanos.


     1559 – O Ato de Uniformidade autoriza o Livro de Orações anglicano pra culto público e estipula penas para aqueles que se recusam a usá-lo ou que falam contra ele.


     1567 – Uma antiga controvérsia sobre vestimentas atinge seu auge na Igreja da Inglaterra. A questão imediata é se os pregadores tinham de usar nos cultos as trajes clericais prescritos, mas isto é apenas um símbolo da maior questão a respeito de cerimônia, ritual e liturgia na igreja. Sua controvérsia marca uma crescente impaciência entre os Puritanos com relação a situação de uma igreja “reformada pela metade”.


     1583 – John Whitgift torna-se Arcebispo de Canterbury e reforça a conformidade às cerimônias da Igreja Anglicana, o que conduz à opressão dos dissidentes Puritanos.


     1603 – James I torna-se rei. Os Puritanos inicialmente têm esperança de que sua situação melhore. Em 1604 encontram-se com o novo rei na Conferência do Tribunal de Hampton para apresentar seus pedidos. O rei ameaça “expulsa-los da terra, ou fazer pior”.


     1618 – O Livro dos Esportes é publicado pela primeira vez (renovado em 1633), encorajando o esporte aos domingos à tarde em contradição direta ao sabatismo Puritano. Isto é citado pelo historiador britânico da igreja do século dezessete, Thomas Fuller, como uma das principais causas da guerra civil inglesa.


     1620 – Os separatistas Puritano descobriram a colônia dos Peregrinos em Plymouth, Massachusetts.


     1625 – Carlos I, não solidário aos Puritanos, torna-se rei.


     1628 – William Loud torna-se Bispo de Londres ( e Arcebispo de Canterbury em 1633) e empreende medidas severas para eliminar a dissidência da Igreja Anglicana. A opressão laudiana é um contribuinte principal para a migração Puritana à América.


     1630 – John Winthrop guia o primeiro grande grupo de Puritanos até a Baía de Massachusetts.


     1636 – A Universidade de Harvard é fundada.


     1640 – Convocado para sessão por Carlos I, o Parlamento restringe o poder do rei. A migração pra a Nova Inglaterra estaciona consideravelmente.


     1643 – 1646 – A Assembléia de Westminster, um sínodo chamado pelo Parlamento para agir como conselho de consulta em assuntos de constituição política e doutrinária da igreja, prepara o Diretório de Culto, a Confissão de Westminster, Um Catecismo Maior e um Breve Catecismo.


     1645 – 1646 – O Exército parlamentar de Oliver Cromwell derrota o exército do rei e acaba com a guerra civil.


     1646 – A forma episcopal de governo eclesiástico é abolida na Igreja da Inglaterra.


     1647 – Os debates do exército em Putney, Inglaterra, quanto à questão de quão universalmente o voto se estenderá.


     1649 – Carlos I é executado, ao que Oliver Cromwell assume o papel principal no governo inglês até sua morte em 1658. Como Lord Patrono da Inglaterra, Cromwell tanta implementar ideais Puritanos no igreja e no Estado.


     1660 – Quando Carlos II ascende ao trono, a monarquia é restaurada na Inglaterra e a constituição política episcopal é restabelecida na Igreja da Inglaterra.


     1662 – Através de um novo Ato de Uniformidade, o uso exclusivo do recentemente revisado Livro de Orações Comuns anglicano é reforçado, enquanto mais de dois mil pastores Puritanos se demitem ou são substituídos. Quem não é anglicano é impedido de colar grau nas universidades de Oxford e Cambridge, ocasionando a fundação de muitas academias dissidentes.


     1688 – Com William e Maria declarados rei e rainha da Inglaterra, a “Revolução Gloriosa” restaura aos Puritanos a liberdade de pregarem e estabelecerem igrejas independentes.