• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Desejas ser Feliz? - Jeremiah Burroughs (1599-1646)



    Todos nós desejamos ser felizes, porém percebemos que isso não é fácil. O problema é que queremos possuir tudo o que este mundo oferece, na expectativa de que isso nos trará felicidade. O apóstolo Paulo tinha uma atitude bem diferente. Ele escreveu: "... já aprendi a contentar-me com o que tenho. Sei estar abatido, e sei também ter abundância" Na linguagem de hoje diríamos: "aprendi o segredo de estar contente em toda e qualquer situação". (Filipenses 4:11). 

    Deus é a única fonte de felicidade verdadeira. Ele não necessita de nada nem de alguém para fazê-Lo feliz; mesmo antes de criar o mundo, as três pessoas da Trindade eram completamente felizes entre Si. O que Deus faz para os cristãos é torná-los tão felizes quanto Ele é. Isso é necessário porque eles não são bons ou fortes o suficiente para se fazerem felizes. Deus lhes dá tudo de que precisam, como João escreveu: "... todos nós recebemos da sua plenitude, e graça sobre graça" (João 1:16). Desta maneira, os cristãos podem sempre estar contentes, pois, mesmo quando possuem pouco daquilo que este mundo oferece, eles têm as bênçãos espirituais que Deus nos dispensa. Em Cristo eles têm tudo que necessitam. 

    Essa felicidade cristã é por vezes chamada de contentamento. A Bíblia diz: "E, de fato, é grande fonte de lucro a piedade com o contentamento. Porque nada trouxemos para este mundo, e nada podemos daqui levar; tendo, porém, alimento e vestuário, estaremos com isso contentes. Mas os que querem tornar-se ricos caem em tentação..." (I Timóteo 6:6-9a). "Seja vossa vida isenta de ganância, contentando-vos com o que tendes; porque ele mesmo disse: Não te deixarei, nem te desampararei" (Hebreus 13:5). 

    A primeira coisa que podemos dizer sobre esta felicidade cristã é que ela vem de dentro. É possível dar a impressão de que, devido não estarmos reclamando, estamos contentes com que Deus nos tem dado, quando na verdade lá no fundo ainda estamos descontentes. Mas Deus, é claro, sabe o que pensamos. Davi disse: "Ó minha alma, espera silenciosa somente em Deus" (Salmos 62:5), porque ele sabia que esta era a única maneira pela qual podia realmente ser feliz. De igual modo esta confiança em Deus, esta felicidade que vem de dentro dos cristãos, os afeta completamente. Davi sabia que Deus estava no controle de todas as coisas; entretanto ainda pode se sentir deprimido porque ele não permitiu que esta verdade influenciasse verdadeiramente sua forma de pensar. Por isso ele escreveu "Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim?" (Salmos 42:5). Como ele, temos que pôr nossos corações naquele contentamento que come ça dentro de nós e nos torna completamente felizes, semelhantes ao calor do corpo envolto pelo cobertor o qual nos mantém totalmente aquecidos. E da mesma maneira que nos sentimos aquecidos quando estamos usando roupas de inverno, assim também a felicidade cristã é algo que continua indefinidamente. 

    Uma outra coisa que podemos dizer sobre a felicidade cristã é que ela ainda está presente até mesmo quando ocorrem as tragédias. Os cristãos se sentem tristes quando estão em dificuldade exatamente como outras pessoas. Quando os outros estão passando por problemas, os cristãos se compadecem deles. Eles oram pelos que sofrem, e é bom fazer isso, porque o Senhor Jesus, que sofreu quando tentado, "é poderoso para socorrer os que são tentados" (Hebreus 2:18). Embora eles orem a Deus, cristãos maduros que enfrentam problemas não resmungam. Quando são tentados a fazer isso, eles conseguem se controlar. Não reclamam acerca de Deus; pelo contrário, obedecem e amam a Deus. Se falam de seus problemas, eles o fazem em oração, pois ainda acreditam que Deus pode ajudá-los. 

    Um terceiro aspecto importante da felicidade cristã é o fato de que ela é uma obra de Deus. Ela não é o resultado dum temperamento feliz por natureza, nem tampouco duma recusa de se envolver com o que está acontecendo ao redor. Até mesmo os incrédulos fazem isso, tentando não ficar preocupados. Todavia, a felicidade cristã é muito mais do que "tentar não ficar preocupado"; também tem um elemento positivo. O cristão deseja ser feliz continuamente, pois isso glorifica a Deus. 

    Por conseguinte, uma quarta coisa que podemos afirmar com relação à felicidade cristã é que aquilo que torna o cristão realmente feliz consiste em fazer a vontade de Deus. Os cristãos não são obriga dos a obedecerem a Deus. Eles o fazem voluntariamente e encontram nisso o que os torna felizes. Quando param para meditar, percebem que nada pode fazê-los felizes como se submeterem à vontade de Deus. Eles se contentam em deixar que Deus planeje o futuro, mesmo se Seus planos diferem daquilo que eles esperam realizar. Na verdade, eles preferem os planos de Deus aos seus próprios, pois sabem que Ele conhece o que é bom para eles muito mais que eles mesmos. Acima de tudo Ele os entende melhor que eles mesmos! Os incrédulos, que crêem que seu destino está nas suas próprias mãos, só têm de temer o futuro, já que um único deslize pode levá-los ao desastre, ao passo que os cristãos não têm o que temer: eles podem entregar o futuro a Deus e então se deleitarem na Sua orientação. Salomão escreveu: "Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento, reconhece-o em todos os teus caminhos, e Ele endireitará as tuas veredas" (Provérbios 3:5-6). Sabendo que Deus está no controle faz os cristãos felizes enquanto estão em dificuldades, tanto como depois quando olham para trás e vêem como Deus os dirigiu. 

    Além disso esta felicidade cristã persiste, seja qual for o tipo de dificuldade sofrida. Os cristãos não têm o direito de decidirem que espécie de sofrimento irão experimentar; não podem dizer, por exemplo, que estão preparados para perderem suas posses, mas não sua saúde. São felizes, não importa o sofrimento que possa vir. Talvez um sofrimento venha após outro até que suas vidas pareçam ser feitas de problemas; entretanto, lá no fundo do coração eles ainda se encontram verdadeiramente felizes. Pode dar-se o caso de seus problemas parecerem não ter mais fim mas mesmo assim lá no íntimo são felizes. E Deus, que planejou integralmente suas vidas, é glorificado nisso.