• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Que é Graça? Abraham Booth ( 1734 - 1806 )



    Paulo emprega a palavra “graça” para significar o oposto de “obras e méritos”.“Pela graça sois salvos...não por obras” (Ef 2.8,9). Graça significa FAVOR IMERECIDO OU FAVOR DADO SEM QUE SEJA GANHO POR ESFORÇO ALGUM”.


    Pela palavra “misericórdia” entendemos que alguém em dificuldade ou derrotado está recebendo um benefício. Misericórdia faz supor uma pessoa sofredora a quem ela é concedida. Semelhante, “graça” sempre pressupõe indignidade na pessoa que a recebe.

    Se alguém nos dá qualquer coisa por graça, é porque nós não merecemos. Qualquer coisa que mereçamos por direito não pode ser nossa por graça. Graça e mérito não podem estar ligados no mesmo ato. São realidades tão opostas como luz e trevas. “Se é por graça, então não é por obras; de outra maneira, a graça já não é graça” (Rm 11.6)


    Assim, dizemos que nós recebemos a graça de Deus. Estamos dizendo, ao mesmo tempo, que somos indignos dela e que não podemos trabalhar por ela. Dessa maneira, definimos graça com ela é usada no Novo Testamento, ou seja, “o eterno e absolutamente livre favor de Deus na doação de bênçãos espirituais e eternas concedido a pessoas indignas e culpadas”.


    Nas páginas que se seguem tentarei descrever em que consistem estas bênçãos espirituais e eternas, porém, por agora, note que a graça de Deus é eterna.


    A graça de modo algum depende do mérito humano; depende só da vontade de Deus. Não é ganha por mérito nem perdida por culpa. A graça é absolutamente livre de qualquer influencia humana. Portanto nada há que possa derrotá-la, uma vez que ela tenha sido dada. Por isso, Deus pode dizer: “... pois que com amor eterno te amai” (jer 31.3) Tal é a gloriosa base da nossa salvação!


    Graça não é como uma franja de ouro na fímbria do vestuário; não é como um enfeite que decora um vestido; porém, é como o propiciatório do Tabernáculo, que era de ouro – de ouro puro – inteiramente de ouro!
    Portanto, aprendemos como estão inteiramente enganados os que sugerem que a grala de Deus pode ser alcançada pelas boas obras. A graça de Deus recusa-se a ser ajudada naquilo que ela tem que fazer.


    Não seria um insulto à soberania de Deus sugerir que Ele precisa de ajuda do pobre desempenho do homem? Ou a graça é absolutamente livre de toda a nossa influência, ou então NÃO É GRAÇA DE MODO ALGUM.


    0 comentários: