• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    ETHOS E MORES ( I ) O QUE DEFINE A VERDADE?



    Albert Schweitzer - Teólogo, médico e escritor francês ganhador do prêmio Nobel da paz, disse que a "ética nada mais é que reverência pela vida". Hoje, mesmo aqueles que defendem a ética, na maioria das vezes, já nem sabem mais o que ela quer dizer. Ética e moral tem se tornada palavras sinônimas. Isso é sinal da confusão que permeia o cenário da ética hoje. Historicamente o significado de ambas e completamente distinto. Ética vem do grego ethos - que se deriva da raiz que quer dizer estábulo, um, lugar para cavalos. Juntava dois sentidos - um lugar para morar e um lugar de estabilidade e permanência. Por outro lado, moralidade vem da palavra mores, que descreve os padrões de comportamento de uma sociedade.

    A diferença então é fundamental. Ética é uma ciência normativa, que busca fundamentos principais que irão descrever obrigações e deveres. A ética está interessada efetivamenteno que é imperativo e na premissa filosófica em que se apóia o imperativo.

    A moralidade é uma ciência apenas descritiva. Está interessada no que É - e no indicativo. A moral descreve o que as pessoas fazem; a ética define o que as pessoas deveriam fazer. A diferença entre elas é entre o normal e o normativo.


    A Ética então é:

    1. Normativa
    2. Imperativa
    3. O que deveria ser
    4. Absoluto

    A Moral é:

    1. Descritiva
    2. Indicativa
    3. O que é
    4. Relativo


    Aqui então entra o drama que vivemos hoje, no país, na igreja, na vida pessoal... Quando a moral é identificada como ética, o normal se torna o normativo, e o imperativo é engolido por como vive a maioria.


    Neste esquema, o que é bom é determinado pelo normal, e o normal é determinado pela média estatística. A "norma" é descoberta por uma análise do normal. A conformidade com essa norma torna-se então uma obrigação ética.

    0 comentários: