• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    SIMPLICIDADE - VOCÊ É SIMPLES?



    Os Hobbits são camponeses que fazem pouco uso de maquinários e têm poucas preocupações com o resto do mundo. gostam muito de comer (bastante e com freqüência) e valorizam mais a previsibilidade do que a originalidade. Desprezam aventuras de todo tipo, considerando-as (corretamente) "caisas desagradáveis, perturbadoras e desconfortáveis. Fazem com que você se atrase para o jantar!" (O Hobbit) - Os Hobbits são heróis improváveis.

    Todavia, ninguém menos que o venerável Gandalf, o Cinzento, um mago de certo renome, escolheu um hobbit, o senhor Bilbo Bolseiro, como principal ladrão de um grupo de anões que tentava reclamar a casa de um ancestral do poderio de um terrível dragão. Sua escolha parecia o cúmulo da tolice para um anão, mas, no final, eles descobriram que a esperteza, a desenvoltura e a liderança podem, às vezes, ser encontadas nos lugares mais improváveis. A verdade é que, possivelmente, eles não teriam sido bem-sucedidos em sua aventura não fosse a assistência daquele ladrão.

    Aparentemente Gandalf tinha alguma idéia do potencial de Bilbo, mas é bem possível que ele não imaginasse as conseqüências de sua escolha. O fato de que Bilbo encontraria o Um Anel, perdido por gerações, além de desempenhar um papel importante no maior conflito da Terceira Era da Terra-média era algo que certamente estava ausente dos mais grandiosos sonhos de qualquer sábio, além de isso não ter sido predito em nenhuma das antigas profecias. Aquilo que parecia pouco mais do que um louco capricho, uma curiosa nota de rodapé nos anáis da história, tornou-se a semente de algo que abalaria a torre Barad-dûr, a antigo fortaleza de Sauron, O Senhor do Escuro.

    Nada na longa e agitada história do Condado sugeriria que seus habitantes pudessem ser capazes de lidar com tal poder. Séculos de paz haviam deixado os hobbits muito pacíficos. Ainda assim, porém, eles não haviam perdido a força com a qual foram criados. "Há uma semente de coragem escondida (bem no funda, é verdade) no coração do hobbit mais gordo e mais tímido, aguardando algum perigo definitivo e desesperador que a faça germinar". (pág 144).

    É da natureza das sementes permanecerem dormentes pelo período que for necessário. Depois de despertarem, elas precisam de tempo e cuidado para crescer. Pessoas simples podem ter uma profunda falta de visão e serem provincianas, mas o custo de obeter sabedoria e perspectiva normalmente é o flagelo. Como Frodo diz, analisando a sua partida:

    "Gostaria de salvar o Condado, se pudesse - embora tenha havido ocasiões em que pensei não ter palavras para descrever a estupidez e idiotice dos habitantes daqui, e senti que o bom para eles seria um terremoto ou uma invasão de dragões. Mas não sinto assim agora. Sinto que enquanto o Condado permanecer a salvo e tranqüilo atrás de mim, a minha andança será mais suportável: saberei que em algum lugar existe um chão seguro, mesmo que meus pés não possam pisá-los de novo" (pag 64).

    Um exemplo da impressionante simplicidade dos hobbits vem da festa de aniversário que abre o romance. Estão ali os Justa-correia, os Corneteiros e os Pés-soberbo, além de todos os outros clãs reunidos - nem tanto para honrar Bilbo, mas para tirar vantagem da oportunidade de festejar de graça - aprecindo os fogos de artifício espetaculares e suportanto o inevitável Discurso. Eles não entendem e nem querem entender qual foi o papel que Bilbo desempenhou em derrotar o dragão ou em trazer paz aos Anões, aos Elfos das matas e ao Homem do Lago. Poucos no Condado até mesmo acreditam nesses contos; na melhor das hipóteses, eles acham Bilbo excêntrico e , na pior, totalmente louco. É difícil ter paciência com pessoas assim.

    A força não é criada pela adversidade - é simplesmente despertado por ela. Os Hobbits são defendidos por muitos povos mais desenvolvidos que não acreditam que a simplicidade seja um sinal de fraqueza. Como diz Aragorn, no Conselho de Elrond: "Se as pessoas estão livres do medo e da preocupação, é porque são simples, e devemos mantê-las assim em segredo". (pág. 258) - Mas essa proteção não diminui a possibilidade de que os atos heróicos, em sua maioria, possam ser realizados - ou pelo menos tentados - pelas mesmas pessoas simples que são por eles protegidas.

    Antes do final de tudo, os hobbits passarão por sua calamidade e todos terão a chance de aprender de que matéria eles são feitos, pois sabedoria e perspectiva são muito mais importantes do que segurança. Mas isso é para depois. Nesse meio tempo, eles precisam se proteger dos "inimigos que congelariam seu coração" (pag 258) por um tempo suficientemente extenso para enfrentar um desastre das proporções de um hobbit. É de se esperar que, mesmo depois do dia de ajuste de contas, eles continuarão a ser indivíduos simples, apenas um pouco mais sábios e compassivos. Na verdade, durante toda a aventura pela qual passarm os três hobbits que acompanham Frodo, eles apelam para sua simplicidade nos momentos mais obscuros e descobrem que isso os sustenta.

    Por outro lado, existem muito mais coisas no coração do mais simples de nossos amigos do que podemos notar. Até mesmo Frodo se surpreende com a pesarosa e poética resposta que seu amigo Sam deu aos elfos que ambos encontraram enquanto deixavam a Vila dos Hobitts.

    "(...) São muitos diferentes do que esperava - tão velhos e jovens, e tão alegres e tristes, de certo modo...Frodo riu de Sam, bastante surpreso, como quem esperasse enxergar algum sinal externo da estranha mudança que se operara nele. Não parecia a voz do velho Sam Gamgi que julgava conhecer. Mas era o mesmo Sam Gamgi ali sentado, a não ser por sua expressão extraordinariamente pensativa" (pag 89).

    É muito fácil cair em padrões de relacionamento nos quais todas as reações são previsíveis, especialmente porque nós mesmos não estamos dizenso nada novo. É preciso ver os amigos em contextos diferentes, na companhia de estranhos, para que nossos olhos sejam abertos para as insuspeitas profundezas de seu caráter.

    Se a simplicidade é uma virtude, então viver de modo simples e valorizar prazeres simples é tudo o que se necessita para que nossa vida tenha valor. Não precisamos nos sentir culpados quando suspeitamos que deveríamos estar fazendo mais pelo Reino de Deus, pois, quando precisar de nós, ele nos chamará; até chegar esse momento, podemos ficar satisfeitos em poupar nossas energias; aprofundar nossas raízes e desfrutar das boas coisas que nos foram dadas. Isso não quer dizer que não devemos buscar a melhoria ou ministrarmos àqueles que estão ao nosso redor. Quer simplesmente dizer que limitar nossos esforços à nossa família imediata e aos nossos vizinhos é suficiente até que nosso chamado seja revelado.

    Pode ser que Deus nos chame para uma jornada de perigo e terror, sem possibilidade de volta; ou então, podemos simplesmente ser chamados para confrontar um chefe cujas práticas parecem um pouco duvidosas. A pessoa mais simples entre nós não está a salvo dessas possibilidades. Por outrolado, pode ser que nosso chamado seja simplesmente viver bem no meio da comunidade onde nascemos. Isso não deve ser desprezado. O encontro de Frodo e seus amigos nos enche de esperança de que receberemos a força e a ajuda de que precisamos para completar qualquer tarefa que for colocada diante de nós.


    M. Smith





    0 comentários: