• Puro conteúdo Reformado!

    ReformedSound

    .

    .

    Sede Espiritual


    Embora não seja perceptível em todos os momentos, em um sentido existe uma sede em todas as pessoas. Deus não nos criou para estarmos contentes com nossa condição natural. Ou de uma forma ou de outra, em um grau ou outro, todos querem mais do que têm no presente momento. A diferença entre as pessoas é o tipo de anseio que possuem no fundo de sua alma.

    Em se tratando de sede espiritual, podemos dizer que há pelo menos três tipos.

    1. Sede da alma vazia

    A pessoa não convertida possui uma alma vazia. Destituída de Deus, busca contínua e freneticamente algo para preencher seu vazio. Os objetivos desta corrida desvairada podem incluir dinheiro, sexo, poder, casas, propriedades, esportes, hobbies, entretenimento, misticismo, realização, reconhecimento e estudo; em qualquer desses, porém, está essencialmente "fazendo a vontade da carne e dos pensamentos"(Ef 2.3).

    Como Agostinho afirmou: "Tu nos criaste para ti mesmo e nossos corações vivem inquietos enquanto não acharem repouso em ti". Sempre buscando, nunca satisfeita, a alma vazia vai de um objetivo a outro, sempre incapaz de achar algo que consiga preencher o vácuo do tamanho de Deus que existe no seu coração.

    A ironia da alma vazia é que, embora seja perpetuamente insatisfeita em tantas áreas de sua vida, ela se satisfaz com tanta facilidade em relação à busca de Deus. Sua atitude para com assuntos espirituais é como o homem que disse à sua alma complacente em Lucas 12.19: "Tens em depósito muitos bens para muitos anos: descansa, come e bebe, e regala-te".

    Sejam quais forem os desejos da alma vazia nesta vida, estes nada têm em comum com o que o pastor e teólogo do século dezoito, Jonathan Edwards, chamava de "desejo santo, exercitado por meio de anseios, fome e sede de Deus e de santidade", que caracteriza o verdadeiro cristão.

    2. Sede da alma árida

    A diferença entre a alma vazia e a alma árida é que a primeira nunca experimentou os "rios de água viva" (Jo 7.38), enquanto que a segunda já os conhece e sabe do que está sentindo falta. Isto não significa que a alma árida tenha perdido a habitação interior do Espírito Santo; de fato, como Jesus disse, "a água que eu...
    k
    k
    Este texto está no tópico - Artigos Teológicos

    0 comentários: